Sexta-feira, 8 de Agosto de 2008

O lado negro do capitalismo

 

Isto é um protesto formal contra o sistema capitalista e ditatorial americano,  que impediu  que TODAS  as pessoas residentes na América  ( quase 300 milhões de habitantes ) assistissem  AO VIVO a abertura  dos Jogos Olímpicos!

 

A rede de televisão  americana NBC,   que  pagou  894 milhões de dólares pelos direitos de transmissão  do evento  ,  além de não mostrar a abertura ao vivo ( o que aconteceria de manhã na América ,  quando a maioria dos americanos está no trabalho ou estudando...)  ainda por cima proibiu todo o resto do país de assistir!  Nenhum outro canal de T.V. pôde mostrar nada e a NBC vai passar a cerimônia de abertura somente à noite,  GRAVADA !   Ou seja:  ao contrário do resto do mundo ,  os americanos só poderão assistir à abertura dos Jogos 12 horas depois  de ocorridos! Tudo isto por causa dos anúncios que eles querem que as pessoas vejam  à noite,  durante a transmissão ,   quando  todo o mundo estiver em casa no 'horário nobre' ... &*%$&*%@f*uck&%$!!

Pior :   Impediram que os canais internacionais (  como a Globo ) transmitissem a cobertura ao vivo ,  assim como fariam nos seus próprios países.

Inclusive na Internet,  todos os residentes na América tambem tiveram seus sistemas de computador bloqueados para NÃO poderem ver a cerimônia !  ( Tentei o site do Terra , no Brasil , que tinha o vídeo do desfile  ao vivo , mas este foi  bloqueado aqui ; o mesmo ocorreu com um site francês que tambem tinha disponibilizado o vídeo da cerimônia de abertura ...)

 Que tal??

 Isto realmente é um acinte!!!

No continente americano INTEIRO ,  somento o Canadá  teve um canal que mostrou  a abertura hoje de manhã .    Dá pra acreditar??

 

 

sinto-me: Indignada
publicado por Pâmelli às 16:54
link do post | Comentários | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 18 de Julho de 2008

Desabafo : Como seria o mundo ( e especificamente o Brasil) se...

 

-Existisse a PENA DE MORTE  para políticos que fossem pegos roubando o próprio país...

 

- O governo deixasse de hipocrisia de uma vez por todas e pusesse o Exército nas ruas do Rio de Janeiro (  é o que a maioria da população da cidade já disse que quer!)  -  por mim,  pode encher a cidade de tanques, soldados, carros policiais blindados , inclusive nas praias, zona sul e bairros nobres da cidade!  Antes isso do que não se poder mais andar nas ruas com medo de levar um tiro ou ser assaltado a qualquer hora , em qualquer lugar...

O problema é que brasileiro é tão traumatizado com os vinte anos de ditadura militar que sofreu de 1964-84 ,  que prefere ter assaltantes, pivetes armados, traficantes prontos para fuzilar inocentes nas ruas de suas cidades,  ao invés dos militares que estariam lá para proteger a população!!  Aliás,  aqueles milicos deveriam ter alguma utilidade - até porque salários e aposentadorias boas eles bem que gozam...  Já que não precisam defender o país contra nenhum inimigo externo,  que façam alguma coisa para defender a população dos inimigos INTERNOS!!!

A última?  Troca de tiros e novas balas perdidas em pleno Leblon e Lagoa esta semana.

Um inocente morto, vários feridos.  Dois policiais fuzilados a sangue frio dentro de seus carros estacionados na Lagoa. 

Detalhe:  Quem está fazendo isso não é gente com fome.  O próprio chefe da polícia do Rio já disse que não existe praticamente  mais  este tipo de crime  na cidade. É tudo coisa de traficante!

Agora imagine isto acontecendo em Manhattan em N.Y. ou no 16ème de Paris?  Sim,  porque o Leblon e a Lagoa são os bairros 'nobres'  do Rio de Janeiro...

Realmente é DEMAIS pra aguentar!

 

-A maioria das pessoas que desejassem ter filhos ( ou animais de estimação) ,  decidisse por ADOTAR alguem ou algum animal que já esteja AQUI e precisando de um lar e uma família,  ao invés de  comprar um 'caõzinho de raça na loja de animais mais próxima..' ou colocar MAIS  um ser humano no mundo só porque este vai ter  seu  'precioso DNA' .   Quanto egoísmo!  Quanta vaidade e falta de consciência ecológica!!!

 

- O governo passasse uma lei fazendo com que ao invés de usarem animais inocentes ( ratos e macacos) como cobaias para experiências e pesquisas científicas,  passassem a utilizar PRESIDIÁRIOS que foram condenados por  crimes hediondos.  Já é hora destes monstros em forma  humana passarem a dar  alguma contribuição à sociedade depois de todo o mal que fizeram!!!

Além disso,  os centros de pesquisa poderiam PAGAR a qualquer pessoa que  esteja disposta a se submeter à um experimento  ou pesquisa  em andamento. ( Isto aliás, já acontece  nos E.U.A.  -  há anúncios na T.V. diariamente para quem deseja contribuir para as pesquisas e,  de quebra , ainda ganhar algum dinheiro!).  Aliás, quem garante que algo que funciona no rato vai depois funcionar igual no humano??

 

-As pessoas tivessem o direito de comprar, possuir  e fazer uso de uma arma para se defender em caso de agressão ou assalto . 

Novamente,   como é o caso nos E.U.A.  e que ,  diga-se de passagem ,  tem o número de  homícídios e mortes de inocentes nas ruas de suas cidades muito ABAIXO  do  Brasil.  De fato nem há termos de comparação!!!

Inclusive,  quem sabe se os assaltantes e traficantes que andam a solta por aí,  matando inocentes diariamente por causa de um relógio, um carro ou uma carteira...Se soubessem que a população poderia estar armada e livre de um processo em caso de morte por legítima defesa,  quem sabe não pensariam duas vezes antes de nos abordar com suas metralhadores, pistolas e canivetes nas ruas, nos sinais e nas praias da cidade??

 

Ah, eu não aguento tanta hipocrisia.  Tanta baboseira.  Tanta inércia e blábláblá inútil.  Tanta gente só falando em 'educação'  em 'inclusão social'  ...Como se isto , por estas alturas do campeonato,  pudesse surtir algum efeito prático e imediato nesta  situação caótica,  neste estado de guerra civil não declarado  em que o Brasil se encontra. Isto é como um médico  irresponsável e inconsequente , sugerindo  vitamina C para  tratar alguem que está com tuberculose!

 

O mundo ( e o Brasil ) haveriam de ser bem melhor -  ou ao menos , bem  MENOS pior !  -eis a minha resposta.

Caramba , será  possível que  eu seja a única a pensar  assim???

sinto-me: Enojada com tanta hipocrisia
publicado por Pâmelli às 19:27
link do post | Comentários | ver comentários (5) | favorito
Quinta-feira, 19 de Junho de 2008

'Barracos' no tribunal

 

Desde que cheguei na América, há cinco anos,  me divirto assistindo aos programas de corte ( Tribunal)   na televisão.

Muitos americanos 'de melhor nível' :-)) ficam surpresos com isso,  inclusive durante muitos anos meu marido  sempre foi o primeiro a me gozar.

A verdade é que a 'baixaria' por alí costuma correr solta e alguns casos parecem tão absurdos, que chegam a ser hilários!

 

Há várias razões porque eu comecei ( e continuo) a assistir estes programas: 

a primeira delas é que ,  ao chegar nos E.U. ,  ainda não tínhamos  instalado a Globo lá em casa.  Havia portanto somente os poucos canais da T.V. americana básica ( já que nunca quisemos instalar o cable...).  Então,  de repente,  eu me vi assitindo alguns desses programas e acabei por conhecer bem o estilo de cada um dos juízes que presidem a corte;  a segunda é que pensei que esta seria uma boa ocasião de ouvir um inglês BEM FALADO  ( já que estamos no Texas....:-)) - pelo menos  da parte dos juízes! -  e aprender  um pouco mais  sobre as leis e a sociedade americana em geral;  finalmente acabou se tornando um hábito e hoje eu assisto somente ao meu programa preferido - o de "Judge Judy" -  ao meu ver,  a mais  inteligente, experiente e implacável ( além de engraçada:-))  de todos os juízes.

 

Não é surpresa pra ninguem o hábito que o americano tem de processar todo o mundo,  por qualquer coisa.  Aliás , os filmes de 'tribunal' sempre foram um ponto alto na cultura americana.  Apesar de  hoje a 'moda' ter se voltado mais  para o tipo de série  como CSI,  antigamente fizeram-se muitos filmes excelentes  desse gênero .  Lembram de "Jagged Edge" com Glen Close e Jeff Bridges?  De "Suspect" com Cher e Liam Neeson?  De    "Presumed Innocent" com Harrison Ford e Greta Scacchi? 

 

Mas voltando aos progamas de corte ...

Foi muito o que eu aprendi desde que vim para cá. 

Por exemplo,  que em certos estados é obrigatório por lei se ter um corrimão instalado em sua escada dentro de casa.  Se  a dona da casa não tiver um  e alguem cair  da escada e resolver lhe processar ( mesmo que seja sua melhor amiga ou companheira de casa...) ,  ela  terá de lhe pagar indenização!

(Dá pra imaginar uma cena destas  no Brasil?!  Um país onde prédios inteiros   desabam matando milhares de pessoas e quem sobrevive tem de lutar ANOS na justiça para conseguir receber uma mísera indenização pelo apartamento que comprou e perdeu... ( O caso do edificio Palace II, que ocorreu em 1998 , até hoje  não teve as devidas indenizações pagas e ainda  tem 17 famílias morando em hotéis!!) 

 

  Mas , sobre o  episódio na corte  -  o da escada sem corrimão...

Tudo aconteceu porque o cachorro da casa  surgiu  de repente  no vão da porta e assustou a tal mulher que vinha descendo a escada.  Imagina que ridículo!    A  figura  MORAVA na casa e estava careca de conhecer o cachorro!   Ainda assim,  processou sua 'roommate'  ( companheira de casa,  sem conotação sexual...)  e a dona da casa e do cachorro..., e acabou levando a bolada.  Pode??

 

Me lembro de um caso absurdo onde uma jovem ex-garçonete do  "Hooters"  ,  (  nome de uma franquia de restaurantes famosa por empregar somente moças com peitos grandes!!  Só na América mesmo...-:))))   -que estava sendo processada pelo ex-namorado.  

O caso era o seguinte:   o rapaz estava querendo 'seu dinheiro de volta...'  já que tinha  pago a operação de implante de silicone da moça , quando os dois ainda namoravam...:-))  Então,  depois que o relacionamento acabou,  quis ser reembolsado ! 

  Dizia que tudo não passara de 'um empréstimo' , e a moça , por outro lado,  dizia que o dinheiro para a operação havia sido um 'gift' (  presente)  e que precisava do 'acessório adquirido '  para poder  trabalhar no Hooters...:-)). 

 

Depois teve o caso da velhinha que estava processando um cassino em Las Vegas.

A situação era a seguinte:   a velha habituée  da roleta , estava jogando com  um grupo em volta de uma mesa  há  horas ... Então , a um determinado momento , resolveu se levantar  um pouco e justo naquele momento um funcionário, distraidamente,  retirou sua cadeira e colocou-a em outro lugar.   A velha então  disse à juíza que não vira que seu lugar  tinha ficado sem a cadeira  (  quantos martinis já teria  bebido então??)  e ao tentar se sentar novamente  ,  acabou caindo de bunda no chão!! 

Estava ,  portanto ,   processando o cassino por causa das ' dores,  do sofrimento e da subsequente fisioterapia...'   que fora obrigada a fazer  como consequencia de seu acidente.

Foi então que Judge Judy resolveu assistir aos videos gravados no circuito interno do cassino e percebeu que depois do suposto 'acidente terrível' ,  a velha ainda voltou a jogar e permaneceu no cassino durante várias horas, só indo embora lá pelas tantas da madrugada!!

" Mas,  se a senhora estava tão mal, como é que ainda ficou lá jogando depois disso??  Por que não foi logo para o hospital?"

Bingo!  E assim a  velha golpista foi desmascarada. 

 (Não sem antes ouvir a juíza me sair com o seu famoso ' Get a life!  You're not going to retire on this. '  (  Vai arrumar uma vida útil!  Não é aqui , na corte,   que a senhora vai fazer  o seu pé de meia  !  :-)))

 

Outra coisa que me chama a atenção nos E.U. ,  é como é comum parentes, pais, filhos, amigos etc.. processarem uns aos outros.  São tantos os casos de pais que  odeiam e simplesmente deixaram de  falam com os filhos , e vice-versa .  E não apenas por um tempinho mas para sempre ou por anos a fio!!    Só na familia de meu marido há dois casos assim :  o de sua mãe e sua única filha ;  e o de sua madrasta e uma de suas filhas.

Até no meio de celebridades vimos este tipo de coisa,  como é o caso de Jennifer Aniston que não se comunica com a  própria mãe há anos.

Isto é uma coisa que não se vê nas sociedades latinas ( no Brasil é praticamente impensável e eu nunca ouvi falar de nenhum caso parecido...). Por que será?   Certamente não é por falta de motivos , pois  é certo que há  casos de disputa  entre familiares próximos de arrepiar os cabelos!  No entanto , nos países latinos (  católicos??)  nunca vemos um desenlace que termine no tribunal  ou com o  rompimento definitivo de relações entre pais e filhos.  Teria isto a ver com repressão religiosa?  Hipocrisia?   O conceito de que 'roupa suja se deve lavar em casa' ?  Deve haver uma explicação , mas seja lá o que fôr,  não creio que seja simplesmente o fato das sociedades anglo saxônicas terem mais  pais e filhos ' degenerados'  do que as sociedades latinas.

 

Enfim,  para mim  o universo dos programas de corte é uma fonte inesgotável de entretenimento e aprendizado.  Podem falar o que quiser.  :-))

 

 

 

 

 

 

 

sinto-me: Divertida
publicado por Pâmelli às 00:52
link do post | Comentários | favorito
Sábado, 14 de Junho de 2008

Sex and the City

 

Hoje resolvi dar uma de crítica de cinema. 

 Afinal um crítico nada mais é do que uma pessoa que viu um filme e depois lhe dá sua opinião a respeito.  É uma coisa totalmente pessoal e subjetiva;  não uma opinião de especialista e portanto está aberta a opiniões contrárias. 

  Aliás, por isso mesmo eu não costumo levar em conta as  'críticas'  de filmes (  nada mais do que  opiniões pessoais ! ) que leio nos jornais e revistas por aí, até porque muitos dos críticos  são visivelmente parciais em suas idéias (  A  maioria  deles são homens,  pseudo-intelectuais de esquerda , que adoram ridicularizar  as comédias românticas  - que costumam tachar  com desprezo de chick flick ou 'filmes para mulheres' -  ,  'malhar' os filmes  de Hollywood' ,  simplesmente porque são de Hollywood...  e , por outro lado,  tendem a  glorificar e encontrar os maiores méritos na  miséria , na pobreza , na paranóia e na violência ...

Tendo dito isto,  aí vai o que eu achei do filme 'Sex and the City' que fui ver nesta sexta-feira:

 

Primeiro, devo dizer que nunca assistí a tal série na T.V. , que aparentemente faz muito sucesso nos E.U. e,  acredito,  em vários países.  ( Como meu marido não gosta de televisão e eu assisto muito pouco,  preferi optar por NÃO termos T.V. a cabo  e simplesmente tive a Globo Internacional  instalada  em nossa  casa...;  é minha maneira de 'matar um pouco a saudade ' e poder ficar informada sobre o que se passa  no Brasil...)

Mas enfim,  voltando à 'Sex and the City' , como eu já havia imaginado que seria o caso ,  não gostei muito;   mas como não tenho nada contra 'uma tarde passada assistindo  à uma comédia boba e leve...'  - desde que  não seja  completamente idiota !! -   tudo bem.

 

Vou ser mais especifica:  o  filme é bem 'americano', rico, capitalista,  republicano e racista ! 

As 'piadinhas'  são patéticas e preconceituosas:  A cena no 'resort de luxo' no México , onde uma das inseparáveis  amigas  só fica  comendo iogurte , com medo de ficar doente...  -( "Mas estamos em um resort 5 estrelas..." diz uma delas .  Ao que a outra responde:   " É , mas  estamos no  MÉXICO !" ) -  me irritou profundamente.

Toda a platéia -  que era  99% constituída  de mulheres, americanas, brancas , patricinhas e/ou  peruas (   muitas delas  visivelmente  usando  acessórios com  as  mesmas griffes que apareciam no filme e igualmente  com o mesmo mal gosto ...) -  riu.    Menos eu.

É que aquilo me lembrou  daqueles típicos gringos arrogantes , que volta e meia , sabe-se lá por que,  resolvem sair de seus países 'civilizados' de Primeiro Mundo e passar umas férias no Terceiro,  só para  depois poder ficar fazendo este tipo de comentário ridículo  e críticas ao local que estão visitando ,  assim como ao estilo de vida das pessoas nativas. Pois que fiquem lá na sua Manhattan,  no 16ème de Paris ou em Knightsbridge em Londres!   Afinal quem põe o pé  na água,  é porque está querendo se molhar...

 

 

Outra cena:  uma das amigas , depois de se separar ,  vai morar em um bairro de Nova Iorque  menos 'chique' e 'branco' do que o que morava antes , com o marido.  Ao seguir pela rua  à procura do novo endereço e vendo que seu  pequeno filho  está andando na frente,   a mulher me sai com esta:      ' Olhe lá,  meu filho!  Um homem branco segurando uma criança.  Vamos segui-lo.  Deve ser naquela direção...' 

Mais uma vez,  risinhos divertidos da plateia.  E eu, nada.

 

As roupas do filme são outro detalhe. 

Cada uma das principais atrizes -  e em especial Sarah Jessica Parker-  deve trocar de roupas umas 125 vezes .  As griffes famosas pipocam na tela a cada 5 minutos -  Gucci,  Dior, Lanvin, Chanel, Roberto Cavalli...No entanto,  a maioria das roupas e accesórios são de um mal gosto e breguice extremos!  O tal vestido de noiva,  de Vivienne Westwood ,  que Sarah Jessica Parker escolhe para o 'grande dia' é um terror!      ( Noivinha de bolo e ainda por cima com penacho na cabeça! )  

 

Os famosos sapatos Manolo Blahnik , de $ 525 dólares ,  são de um mal gosto  horripilante!  

Realmente,  é incrível como as americanas,  mesmo quando têm dinheiro, moram em Nova Iorque e usam griffes dos maiores couturiers do mundo , ainda assim , conseguem escolher as peças de roupas e os sapatos mais escabrosos! 

  (Que tal esse cinto  estilo 'punk, heavy metal...' - TUDO  a ver com o vestido... E a bolsinha da ' Torre Eiffel' , heim  ?? Arggggggggggh!) 

 

E o meu preferido...( ÉEECCA!!)

 

Santo Cristo ,  pois até a bolsa Louis Vuitton que a Jennifer Hudson ganha de presente no filme consegue ser um HORROR -  com cara de camelô da rua da Alfândega , de quinta! 

Ok,  enough ,  sobre o lado 'fashion'   de Sex & the City...

 

Minha conclusão final:   Não leve,  em hipótese alguma seu marido , namorado ou amigo  ( a menos que ele seja gay...) para assistir esse filme . Ele vai ODIAR e vai deixar o cinema num mal-humor do cão!   (  Felizmente eu tive a idéia de ir  sozinha , enquanto meu marido fazia uns trabalhos em casa...:-)) 

 

O que 'salvou' o filme?  

  1)  algumas ceninhas de 'sexo'  (  coisa praticamente inexistente em qualquer filme americano...) serviram ao menos para sair um pouco da rotina  do típico 'enlatado  yankee' .   Aliás,  penso que para os  3 ou 4 únicos homens no cinema ( que estava lotado!!)  ,  estas talvez tenham sido as únicas cenas que  não foram  uma tortura total...:-));  2)  o personagem de Mr. Big , interpretado por Chris Noth.  Aliás o único personagem realmente  charmoso e BEM VESTIDO no filme inteiro! 

  Com seu tipo físico meio ítalo-americano  ( deve ter ascendência européia , com certeza...) ,  o bonitão nos faz lembrar de Richard Gere,  Al Pacino,  e Robert de Niro nos seus melhores tempos ...:-)

 

Por fim,   pra mim ,  a única cena que realmente gostei e me identifiquei foi  a  do casamento final   -não o primeiro,  cheio de  falso glamour, milhares de convidados , vestido ( fantasia de mal gosto ? ) de griffe famosa  e o escambau !

Aquela união  simples e discreta,   no City Hall,  com APENAS  os dois noivos ,  o vestido de Sarah Jessica Parker ( um mero conjunto cor de pérola e  de griffe desconhecida...)  -   apesar de que,  poderiam ter escolhido algo que lhe caísse melhor...- nada de convidados, amigos, damas de honra, fotógrafos etc.. Mas  apenas  contando com a ( indispensável)  presença do juiz  e dos outros casais.   Isto sim,   eu achei muito mais romântico ,  pessoal e original!   Talvez porque tenha me casado assim... E foi muito legal. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

sinto-me: chocada com tanto mal gosto
publicado por Pâmelli às 19:10
link do post | Comentários | favorito
Terça-feira, 10 de Junho de 2008

Banalização de costumes geral

 

Francês sempre  foi ,  das língua que falo e ensino  ( inglês, francês e português...) minha língua favorita.  A mais bonita,  a mais chique,  a mais 'sexy' ...Apesar de ser tambem a mais difícil e  bem menos  importante  que o inglês no mundo atual.

Sim , há muito que a língua francesa deixou de ter importância prática na vida moderna  e , infelizmente,  parece que o mesmo ocorreu com a cultura francesa. :-(

Não é a toa que antigamente  - digo, até o começo dos anos 70...-  as pessoas e o mundo ocidental em geral , costumavam ter bem mais classe e elegância:   tirando a camada de 'miseráveis' , que sempre existiu ,  a maioria das  pessoas  se vestiam bem,  comiam bem - e falavam, escreviam e se portavam  bem melhor do que hoje em dia !

Tudo isso era devido à  influência da cultura francesa no mundo. 

Então veio a globalização , ( que no fundo nada mais é do que a 'americanização' dos costumes... ) trazida pela  modernidade e a tecnologia.  Os tailleurs ,  ternos e gravatas deram lugar aos jeans desbotados e rasgados (  e ainda por cima com a cintura  baixa!! ) ;  os escarpins  foram substituídos pelos  tênis e , mais frequentemente ,  pelos   flip -flops ou chinelos de dedo ( arrrrrrrrrgh!) ;   as  famosas 'havaianas ', que alguns anos atrás eram os  típicos  chinelos dos 'peões de obras'  no Brasil , agora viraram artigo de  'última moda' ,  aparecendo em comerciais com Gisele Bündchen e  vendidas nas lojas mais famosas.  Os restaurantes de fast-food invadiram as principais cidades  e os congelados , no micro-ondas,  se transformam em 'jantar' em poucos segundos no lar de milhares de famílias ao redor do mundo.  No cinema,  na televisão,  até nas revistas de fofocas sobre celebridades,  tudo o que se vê são fotos de Brad Pitt e Angelina Jolie,   de Tom Cruise e Katie Holmes. Sem falar das baixarias quotidianas de  Paris Hilton,   Lindsey Lohan  e Britney Spears! 

E quanto a toda a enxurrada de notícias sobre a  gravidez das celebridades?!  Jennifer Lopez e seus gêmeos, Angelina idem;  Halle Berry, Nicole Richie, Jessica Alba...a lista é infindável e o  assunto  noticiado como se fosse  'uma  grande proeza da humanidade...' !  Para completar,  as fotos vendidas pelos casais famosos  às revistas de fofocas atingem cifras  cada vez mais astronômicas.  Que tédio e quanta  pobreza de espírito!!

 

Há duas coisas em especial que me incomodam  no mundo  moderno:   primeiro  , a TOTAL  falta de modos e consideração das pessoas nos lugares públicos e , segundo, sua mais completa e absurda falta de conhecimento e cultura geral  ( e não estou , evidentemente,  falando de conhecimento tecnológico, pois neste caso,  qualquer criança de 7 anos já o  tem de sobra....) 

Estou me referindo a 'cenas' como , por exemplo,  você estar  em um parque,  calmamente aproveitando um momento de relaxamento , leitura ou um piquenique com seu marido...E,  de repente,  uma  MEGA  família irrompe e se instala bem ao seu lado -  quando há espaço de sobra  em volta! 

Imediatamente  a mãe começa a  brigar com as filhas pequenas usando sua  voz de trombone, o pai põe-se a jogar bola com o filho praticamente  ao lado de SUA  cadeira e cesta de piquenique  e o cachorro da família  logo começa a correr solto, fuçando tudo e cheirando todos ao seu redor!     Eis uma cena bem  'normal' ,  bastante frequente e considerada perfeitamente aceitável em nossa sociedade moderna...

 

Num outro dia ,  em uma loja de departamentos elegante,  um pianista começa a tocar um 'clássico'  do tipo ,  "As time goes by"  ou " " La Vie en rose"  e quando você se aproxima e lhe agradece pela atração  e elogia o seu repertório,  ele lhe olha surpreso e diz: 

 - Obrigado, mas como é que você conhece isto?  Não é de sua época..."

Aliás,  esta desculpa patética   ( "Não conheço isso porque não é de minha época..." )   que muitas pessoas adoram usar para disfarçar a própria ignorância  ,  é uma das coisas que mais me irrita hoje em dia!

  Me desculpe,  mas um brasileiro que  nunca leu  José de Alencar , Aloísio Azevedo ou Machado de Assis;  não distingue a música de Jobim da de Chitãozinho e Xororó,  não sabe que Salvador foi a primeira capital do Brasil  e desconhece a origem da feijoada ...Não é porque 'não viveu naquela época...'  -é simplesmente  porque é uma pessoa ultra ignorante! 

O mesmo se passa com um americano que não sabe quem foi  Fred Astaire , não reconhece  a voz de Sinatra  , nunca leu John Steinbeck  e não tem a menor idéia de quem  foi Grace Kelly.   Sorry , guys ,  you're not young . You're just  plain ignorant!!

 

Na Europa a coisa é um pouco melhor pois no velho continente ainda existe o hábito -  cada vez menos frequente...-  de se estudar mais e melhor a própria história e cultura.

Filmes antigos ainda passam em alguns canais de T.V. e o hábito da leitura (  e não apenas a leitura de best-sellers!)  ainda não morreu completamente. 

 

Algumas pessoas dizem que sou saudosista ao extremo e  talvez elas tenham razão .  Sou mesmo e assumo isso.

Apesar disto, reconheço que do ponto em que chegamos não há mais volta.  A tecnologia e a  'globalização' chegaram para ficar .  

Sua última vítima  ,   a língua portuguesa (  o português original, de Portugal...)  que o diga.

 

Agora é oficial:  Camões acabou de ser engolido pelo i-pod...

 

 

 

sinto-me: broxa com tanta breguice!
publicado por Pâmelli às 17:31
link do post | Comentários | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 6 de Abril de 2008

Rio 2008 - ou a cidade do absurdo

 

Era 1992 quando decidi pela primeira vez deixar minha cidade natal -  o Rio de Janeiro.

Na época eu tinha vinte e poucos anos, morava com meus pais  em um belo e confortável apartamento em um dos bairros mais nobres da cidade,  tínhamos empregados,   dava aulas em uma das escolas de idiomas mais conhecidas e tinha vários alunos particulares.   Em suma:  tinha dinheiro no banco,  carro bom e roupas caras para passear, amigos com quem sair,  festas,  praia...  Enfim,  a  Cidade Maravilhosa aos meus pés ! 

 

O problema é que eu não aguentava mais um aspecto muito específico da vida do dia a dia no Rio de Janeiro -  a violência.  Já tinha sido assaltada pelo menos umas três vezes na rua;  vivia com os nervos a flor da pele cada vez que parava o carro em um sinal;  me sobressaltava  por qualquer coisa e mais de uma vez cheguei a emitir um grito de susto e pavor ao ser abordada por algum passante ou turista inocente na rua , que queria apenas me pedir uma informação...

Certa vez cheguei a abrir a porta  do carona e pular para fora  do carro  em pleno movimento , pouco antes deste parar  no sinal na Avenida Atlântica.  Eu tinha  percebido uma criatura de 'aspecto suspeito' nos abordar , evidentemente para nos assaltar.  Corri até o posto de polícia mais próximo para pedir ajuda e minha amiga , que conduzia o carro,  ao parar  no próximo sinal , realmente nos confirmou que havia sido ameaçada pela 'falsa pedinte'  mas que ,  no entanto,   havia arrancado e conseguido escapar a tempo!  ( Naquela época os assaltantes ainda não tinham o hábito de fuzilar os motoristas que , em um instinto de sobrevivência impensado,  ao serem abordados por eles  ,  pisavam no acelerador com toda a força...)

 

- Pamelli,    - disse -me minha amiga  mais tarde.  -  Você tem razão de deixar o Brasil.  Do que jeito que anda,  qualquer dia  desses vai acabar tendo um troço!

 

Aquele episódio acabou por me convencer.  Poucos meses depois,  avisei aos meus pais que iria  abandonar meu trabalho e os alunos particulares , vender meu carro e  comprar minha passagem para a Europa .

 

-Vou trabalhar como " au-pair " ( babysitter :  justo eu , que nunca tive o menor jeito com crianças!),  doméstica...qualquer coisa.  Se bobear me caso com  o primeiro  estrangeiro , só pra não precisar mais voltar para essa Selva de Pedra!

 

Fugi para Portugal.  Morei um ano em Lisboa e passei a trabalhar na Berlitz de lá.   ( Naquela época os brasileiros tinham direito de trabalhar legalmente por lá;  não creio que ainda seja assim hoje em dia...)

No final acabei partindo para a Alemanha -  para me casar.  ( Um casamento 'de verdade' e não por interesse de cidadania, mas que de qualquer forma, foi má idéia.)

O fato é que já naquela época eu achava que a cidade do Rio de Janeiro havia se tornado  'invivível'  !(  Me desculpe Aurélio...)

 

Hoje,  mais de quinze anos depois,  morando nos E.U. e no meu segundo casamento (  Bingo,  desta vez acertei!!) ,  meu marido e eu sempre voltamos ao Rio de férias , ao menos uma vez por ano.  Apesar de tudo é lá que estão minhas raízes,  minha mãe e alguns amigos antigos de infância.  Meu marido adora o Rio.  Eu ,  adoro a comida,  os serviços de salão (bons e baratos ,  ao contrário daqui...) ,  os garçons bem treinados,  os programas culturais (  Municipal?  Peças?  Shows de Bossa Nova?) e o que  ainda restou da antiga joie-de-vivre e  do bom humor carioca.    Apesar disto,  nunca ficamos na cidade mais do que alguns dias e logo partimos para Búzios a fim de poder realmente relaxar.  ( Lá eu chego mesmo a usar o solitário que ganhei de presente de noivado de meu marido,  que adoro,    e que nunca tiro do dedo aqui nos E.U...)

 

Mas o mais estranho são as estórias...Os comentários que ouço das pessoas cada ano quando voltamos.  Coisas que ,  em qualquer outra parte do mundo ( moderadamente civilizado...) seriam consideradas no mínimo 'absurdas' , mas que lá,  no velho Rio,  agora são tão parte da realidade  e do cotidiano das pessoas,  que são tidos como  coisas 'normais'.

 

Há um ano atras foi uma antiga amiga de escola que , agora,  professora no estabelecimento onde estudamos há mais de vinte anos (  uma escola muito exclusiva e cara em uma das áreas mais nobres da cidade...) -  veio me dizer que se sentia 'muito segura' trabalhando e tendo o seu filho agora estudando lá... Afinal,  sempre que a polícia resolve subir o morro (  há uma favela enorme apenas alguns metros da escola) e fazer alguma 'operação' por lá,  eles  avisam  os professores e funcionários com antecedência.  Então  o pessoal manda as crianças ficarem somente na parte interna da escola ,  nas salas de aula ,  que tem vidro blindado.... '  

 

Tudo ótimo , pelo visto.  ( Na nossa época a favela já existia  mas nunca houve casos de tiroteio nem remotamente perto da escola e  as salas certamente não tinham vidros blindados...!)

 

Meu primo é um médico famoso que só anda de carro blindado.  ( normal)

 

Neste ano,  durante nossa última visita à cidade,   ao encontrar uma outra velha amiga para jantar , o que ouço é o seguinte:

 

-  Sabe,  estou saindo com um cara gatérrimo de 55 anos.   ( gatérrimo, com 55 anos? Minha amiga tem 42 e é uma bela moça  ,  com aparência bem jovem tanto de corpo quanto de rosto...) Ele escreve para um jornal local.  O problema é que tá ASSIM  ( gesto de mão designando um montão de gente...) de mulher atrás dele!! 

 

Que coisa deprimente!  - pensei.  Além da catástrofe social ,  o Rio de Janeiro agora sofre tambem da catástrofe demográfica.  Há mulheres demais e homens de menos nesta cidade!  Qual seria a outra explicação para  uma moça bonita,  bem sucedida,  solteira e pelo menos 13 anos mais jovem do que 'um mero escritorzinho de jornal,  com mais de  meio século de existência...'  estar tão insegura  e quase acreditar que 'tirou a loteria esportiva'  ao conseguir fisgar o tal reporter  da folha de domingo?!  Afinal  ,  que me conste,  não está se tratanto aqui de nenhum   Michael Douglas ou Donald Trump....pleaaaaaaaaaaaaase!

 

Por fim,  minha amiga completou me contando sobre um jantar que tivera com uma outra velha amiga nossa e seu marido que ,  segundo ela ,  agora estava 'super orgulhoso...' pelo fato de sua mulher ter posto silicone nos seios. 

 

-Eu nem havia notado nada mas ele fez questão de chamar minha atenção e perguntou se eu não havia notado nada de diferente na ...( nome de nossa amiga em comum).

 

Super orgulhoso??   Será que eu  de repente  fiquei velha demais?  Na minha época (  que aliás é a mesma delas...),  alguem costumava se orgulhar de um filho, amigo ou parente quando esta pessoa realizava alguma coisa de especial, ou quem sabe até de extraordinário!  Um prêmio na escola...Um espetáculo de dança...Uma promoção no trabalho...Quem sabe um livro publicado ou tese completada??  Mas colocar silicone no peito agora virou motivo para que um marido se orgulhe de sua mulher??!

 

A cada ano que se passa eu sinto que estou cada vez mais longe -  e não apenas em termos de distância física...-  da minha antiga realidade,  de minhas origens,  de minha cidade natal.

Meu marido e eu continuaremos voltando ao Rio de férias todos os anos , assim como fazemos religiosamente há cinco anos , desde que nos casamos.  Contudo,  eu sei que a cada ano e a cada nova visita que faremos à cidade eu terei um novo choque , de uma maneira ou de outra.

 

Me parece que o clássico   " Carta ao Tom 74"  , nunca foi tão verdadeiro e atual....  O Rio de 2008 é um Rio surreal.

 

 

 

 

 

 

 

sinto-me: uma estranha fora do ninho
publicado por Pâmelli às 21:30
link do post | Comentários | favorito

.Mais sobre mim

. Meu Livro

COPADRAMA

- A Brazilian Tragicomedy

(um romance em inglês de I. Pamelli M.)

. Comprar na AMAZON.com

.Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. O lado negro do capitalis...

. Desabafo : Como seria o...

. 'Barracos' no tribunal

. Sex and the City

. Banalização de costumes g...

. Rio 2008 - ou a cidade d...

.arquivos

. Janeiro 2018

. Novembro 2017

. Junho 2017

. Abril 2016

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.flag counter

free counters

.subscrever feeds