Terça-feira, 16 de Janeiro de 2018

Romance para este inverno...

Aos leitores e amigos do Parada Essencial:  

 

Aqui vai o link da página no Facebook  do meu romance de viagem PARIS, MON AMOUR - As memórias de uma jovem brasileira na Cidade Luz.   

 https://www.facebook.com/pamelli2018/

Este é para quem ama a Velha França,  um bom romance e tem senso de humor!

A história  começa nos anos 1970 em Brasília,  passa pelo Rio de Janeiro nos anos 1980 e depois vai para Paris ( o grosso do livro e principal momento da história....) - ainda com direito a um capítulo inteiro passado no Marrocos. 

Baseado em fatos reais,  o livro conta as aventuras e desventuras de uma jovem estudante brasileira em Paris nos final dos anos 1980.

Disponível somente pela Amazon -  no Brasil e Portugal, apenas em versão KINDLE ( livro eletrônico, para ser lido em tablets, computers e I-phones...).  Nos E.U.A.,  disponível também em paperback.

Nota: Para quem tem KIndle Unlimited, é possível baixar o livro FREE.

Então vá  lá!  

Dê um pulo até a página do PARIS, MON AVOUR no Facebook e veja

DSCN0117 (2).JPG

 

algumas fotos e extratos do livro lá postados.

E  depois, quem sabe,  você queira seguir com a Pâmelli para a Cidade Luz....:-) 

 

 

publicado por Pâmelli às 20:11
link do post | Comentários | favorito
Quinta-feira, 29 de Junho de 2017

Dica de leitura para este final de ano: PARIS MON AMOUR - As memórias de uma jovem brasileira na Cidade Luz

19576605_740925492754628_260940356_o.jpg

 

Depois da minha  sátira carioca "Copadrama- Uma Tragicomédia Brasileira" , publicado em 2009,  "Paris Mon Amour" finalmente saiu da gaveta ( ou melhor, do computador...) depois de vinte anos!    

Neste caso, trata-se de um romance de viagem inspirado em fatos reais. A história começa no Rio, nos anos 70 , passa por Paris ( a maior parte, nos anos 80), depois o Marrocos e  termina  na Flórida, USA  nos tempos atuais !  Pas mal, hein?

Nota:  Quem tem Kindle Unlimited ( da Amazon)  pode ler e se entreter  for FREE.

 A  obra  está disponível em Paperback( brochura)   e Kindle ( e-book)  nos E.U.A.  Já  no  Brasil e Portugal, pode-se ler em Kindle ( E-book) , pelo I-pad, I-phone ou computer...( Não sei se a Amazon manda entregar os paperbacks/brochuras em outros países...)

Enfim, quem estiver interessado em dar uma espiadela e ler os primeiros capítulos ( A  Amazon disponibiliza as primeiras páginas para o leitor dar uma olhada e só depois, se gostar, comprar o livro)  é só ir no site da Amazon e digitar Isabela Pamelli Martins.  Ao entrar na minha página de vendas, escolha o livro que quiser "explorar".  

 

Os endereços da Amazon nos E.U., Brasil e Portugal  são:

 

www.amazon.com

www.amazon.com.br 

 

www.amazon.com.pt   

 

Voilà uma boa sugestão  de presente de Natal para quem gosta de um bom romance.  :-) 

 

Fui!

 

 

publicado por Pâmelli às 01:38
link do post | Comentários | ver comentários (1) | favorito
Domingo, 11 de Junho de 2017

Leitura de verão: Três romances brasileiros e um conto no estilo de La Fontaine

Pessoal,

faz muito tempo que não venho ao blog escrever nada.

 

É que estive envolvida em vários outros assuntos nestes últimos tempos.  Voltei para a faculdade, me formei em Antropologia e História e voltei a trabalhar como professora de línguas na Berlitz. 

 

Agora, depois de anos com estas obras engavetadas,  resolvi revisá-las e publicá-las na Amazon.

 

Para quem já leu e gostou do meu primeiro romance satírico ( Copadrama- Uma tragicomédia brasileira) , publicado em 2009, ( incluindo sua versão em inglês e em Kindle ( e-book), saibam que agora há os seguintes títulos disponíveis e a venda também  na AMAZON:

 

1) PARIS MON AMOUR  -  as memórias de uma jovem brasileira na Cidade Luz

--romance de viagem ( somente em KIndle /ebook)

Este é para as almas realmente românticas!!

 

2) MINHA VIDA DE CACHORRA -  uma autobiografia canina

--- romance para os pet lovers!  - Kindle/e-book only

Você tém ou teve um cão que amou demais?  Então este livro é para você!

 

3) TRIÂNGULO ANIMAL -  Segundo La Fontaine

---o conto/fábula sobre três animais , um cão, um gato e um cachorro.  Astrologia, amor platônico, aventura...Uma estória tanto para jovens quanto para adultos.

 

Para saber mais sobre as obras e  poder ler as primeiras páginas for Free, é só ir até a página da Amazon

e digitar o meu nome literário :Isabela Pâmelli Martins.

Você então cairá na minha página de vendas. Em seguida é só clicar na imagem do livro escolhido , que uma nova página se abrirá e lhe dará a opção de "olhar dentro" e ler as primeiras páginas/capítulos.

Finalmente, os livros podem ser comprados em qualquer país, com a Amazon local, na moeda local.

 

Voilà. Já fiz minha propaganda.

Copadrama Cover Kindle (2).jpg

 

Então, boas férias e boa leitura!!

.

 

 

 

 

publicado por Pâmelli às 19:34
link do post | Comentários | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 15 de Outubro de 2013

D.C. - uma das belas capitais do mundo.

Afinal hoje volto aqui para postar  as fotos de minha mais recente  viagem à Washington- ou D.C. , como os americanos preferem chamar sua capital.

 

No dia antes do casamento no campo,  mais uma vez “fugi” de Columbia  no commuter bus ( que sempre pego em frente ao Shopping de lá) ,  até a cidade , onde  passei o dia.  

Ah, Washington é definitivamente uma das grandes e belas capitais do mundo!   Uma cidade imponente, cheia de avenidas largas , de prédios históricos e com  uma elegante arquitetura neoclássica.  E tem muita,  muita cultura e museus maravilhosos.  Não deixa nada a dever à Londres, Paris ou Madri.  Sério.  É apenas uma cidade mais ‘jovem’.

No dia que estive lá o governo ainda continuava fechado, no seu ridículo shutdown,  devido à pirraça dos republicanos. (Aliás, enquanto escrevo estas linhas o impasse continua, agora agravado pela ameaça do calote da dívida americana...) .  Portanto desta vez não pude visitar nenhum dos museus do Smithsonian Institute , como sempre costumo fazer. ( Era a minha intenção conhecer o  American-Indian Museum ,   que tem uma arquitetura super interessante , tipo ‘adobe’ , e dizem,  possui  o melhor restaurante de todos os museus no Mall).

Mas meu dia foi LONGE de tedioso ou desperdiçado ,  uma vez que resolvi fazer outro tipo de programação, igualmente interessante ou até mais:  um completo City-Tour por toda a cidade, em um dos seus trolleys abertos , já que o clima estava ótimo,  ensolarado mas fresco.  ( Outubro pelo visto  é um ótimo mês para se visitar a cidade pois trata-se do começo do outono...)

Na primeira vez que visitei Washington,  há dez anos,  fiz o mesmo tipo de tour.  Mas desta vez,  já tendo uma boa noção da cidade e conhecendo alguns de seus principais monumentos e avenidas,  foi muito melhor! 

Ao chegar à D.C.,  desci  do commuter bus  bem perto da famosa Pennsylvania Avenue,   onde caminhei até a Casa Branca.  ( Hoje em dia não é mais possível se visitar a C.B. de dentro,  em visitas guiadas, então tive de me contentar em tirar fotos apenas do lado de fora das grades...).  

Como ainda era cedo e eu não tinha tido tempo de comer nada,  segui até o Hotel W ( Washington) e lá tomei um digno breakfast, antes de começar minha excursão pela cidade.  ( O “W” é um belo hotel,  bem pertinho da Casa Branca e tem um ótimo restaurante.  Além disso, é um dos lugares históricos da cidade pois existe desde cerca de 1917...  Também é um ótimo lugar para se comprar os tickets dos City Tours,  que saem de um ponto ao lado do hotel.)

De lá segui em minha excursão no bondinho aberto por TODA  a cidade, visitando seus principais pontos turísticos.  Fiz o percurso ao longo das duas linhas,  a verde e a laranja. (Existe mais de uma companhia que faz os tours, mas escolhi o “Old Town  Trolley” , que é aberto, já que o tempo estava tão agradável.

Ao todo levei cerca de 5 horas para fazer o  tour completo.  Detalhe:  você pode descer em qualquer um dos pontos turísticos e depois voltar e tomar novamente o próximo bondinho, já que os tickets (cerca de $40)  são válidos pelo dia todo.  Desta forma passei  por todos os pontos famosos da cidade:  os museus do Smithsonian no Mall, os monumentos dedicados aos ex presidentes  Lincoln e Jefferson, a Casa Branca,  o Teatro Ford ( onde o Presidente Lincoln foi assassinado), a famosa estação de trem de Union Station, a rua das embaixadas ( incluindo a do Brasil)  etc.  Em especial, adorei o bairro de Georgetown - que mais se parece uma cidadezinha inglêsa...-  e o charmoso museu da “Phillips Collection”,  que pude visitar, já que este não é do governo e sim de uma coleção particular.

O ‘Phillips’ é perfeito pois é  bem menor do que os Smithsonians e portanto pode ser visitado em pouco mais de uma hora.  Me lembrou muito o  ‘Musée D’Orsay’ de Paris em seu acervo -  embora seja bem menor -  já que tem uma coleção fantástica de arte do  Século 19 e começo do 20, incluindo muitas obras impressionistas , pós-impressionistas e modernas.  O quadro mais lindo de todos , para mim,  foi o do Renoir  “The Luncheon of the Boating Party”, de 1880. ( Pra dizer a verdade, foi o quadro impressionista mais lindo que já vi em toda a minha vida!! – incluindo todos os que já vi no Orsay ou qualquer outra exposição por aí a fora ).   Fiquei tão ‘in love’ com o quadro, que no final da visita tive de seguir para a  lojinha do museu e comprar alguns souvenirs com a sua reprodução  - um mousepad ( que estou usando neste momento! Lol),  um chaveiro, postais e até um livro ( um romance) , baseado no quadro e nas pessoas que aparecem nele.   Sim,  se você for ao Phillips,  não esqueça de reservar alguns minutos para conhecer a sua museum shop

 

Enfin,  melhor do que escrever a respeito,  é dar uma olhada nas fotos , não acham? 

 

1)

A Casa Branca- a residência do homem mais poderoso do mundo! lol

Este foi o mais próximo que consegui chegar e tirar a foto do outro lado da grade.  Segurança total - e não é pra menos, né?

 

2)

O prédio do Capitólio - onde os Republicanos estão tentando transformar num INFERNO a vida do Presidente. (Essa eu tirei de dentro do bondinho...)

 

3)

O Lincoln Memorial- um templo dedicado ao Presidente Lincoln.  Um dos pontos turísticos  mais  belos  da capital.

 

 

 

4)

O excelente Hotel W, onde tomei meu café-da-manhã e comprei os tickets para o City Tour. Fica bem perto da Casa Branca.

 

5)

Meus "colegas" de bondinho ( trolley), lol

 

E agora, alguns dos meus quadros preferidos no Phillips Collection:

 

6)

"The Mediterranean" ( O Mar Mediterrâneo)  , de Courbet - 1857.  De todos,  o meu mar preferido...{#emotions_dlg.heart}

 

7)

"Circus Trio" de Georges Rouault -1924

 

8)Este Cézanne de 1902-6 certamente influenciou Picasso em sua fase azul..., não acham?

 

9)Picasso em sua fase azul...  "The Blue Room" (Perto da mesma época)

 

10)

 "The Open Window" de Bonnard - primeira metade do Século XX

 

11)E o mais lindo de todos, O highlight do Phillips : "Luncheon at the Boating Party", de Renoir - 1880 ( Não sei o nome original em francês)

          

Renoir é só alegria e romantismo, gente.   O cara adorava pintar "as coisas belas e os bons  momentos da vida",  pois dizia que o mundo já tinha coisa triste e feia o suficiente!  Gênio. {#emotions_dlg.smile}

 

 

 

sinto-me: Inspirada por D.C.
publicado por Pâmelli às 18:48
link do post | Comentários | favorito
Segunda-feira, 30 de Setembro de 2013

A próxima escapulida: New Orleans

Nossa, faz tanto tempo que passei pelo blog!  Séculos!

Desde nossa volta ao Texas,  do Colorado... Cadê tempo pra escrever um post?!

 

O segundo semestre na U.T.  já começou  e desta vez pelo menos estou aproveitando e gostando um pouco mais dos meus dois cursos...Caramba!

Mas, na verdade, desde nosso retorno à Austin,   já demos uma outra escapulida recente - desta vez para a Louisiana, para o nosso aniversário de 10 anos de casamento! (Isso já faz umas duas semanas....). 

 

No ônibus,  durante nossa viagem de 9 horas,  cheguei a escrever um rascunho de post para ajudar a passar o tempo (que hoje publico no Parada e aproveito para decorar com as minhas mais recentes fotos da bela e charmosa cidade de New Orleans {#emotions_dlg.smile})

 

Então , aí vai...

 

" Estou neste momento escrevendo do ônibus ,  a caminho de New Orleans!

Pois é,  já fugimos de Austin novamente -  desta vez,  para o nosso aniversário de dez anos de casamento childfree! Lol   Ah,  como é bom poder simplesmente ‘pack and go’ , sempre que nos dá na telha.  Basta arranjar alguém para cuidar dos bichos…

 

Desta vez  resolvemos vir de ônibus -  o MEGABUS ,  que sai de Austin  para Houston  , onde trocamos de carro ,  e então seguimos para o estado da Louisiana.  Total de viagem entre Austin e New Orleans :  cerca de nove horas!

 

Já escureceu e a escuridão é total no meio da estrada.  Em  volta , tem os famosos pântanos da Louisiana, com crocodilos e o diabo. Eu sei disso porque já fizemos este percurso mais de uma vez , de carro -  embora nunca tenha visto nenhum crocodilo.   Mas eles estão lá.  Aliás,  uma coisa horrível e horripilante nos postos nas estradas por aqui é poder comprar “crocodilinho empalhado” pra levar de souvenir.  Coisa mais horrorosa.   Um absurdo,  não acham?

O Megabus  é um double decker ,  de dois andares e tem internet.  Meu hubby é praticamente o único homem branco a bordo e eu certamente sou a única latina. Lol   Já no posto de gasolina bem moquifo onde fizemos a parada, como não poderia deixar de ser ( afinal,  isto aqui é a Louisiana! )  tinha até um cassinozinho meio fuleira, lol.  Pois é,  ao contrário do puritano  estado do Texas,  o jogo é  permitido na Louisiana.

 

 Nossa escapulida até New Orleans  será somente no fim de semana pois na segunda já temos aula e trabalho em Austin.  Aliás,   devo dizer que este semestre a coisa melhorou bastante e estou finalmente gostando dos meus dois cursos:  “Cairo Cosmopolitan” e “ Primate Social Behavior” -  um sobre o Egito (e especificamente a cidade de Cairo) e o outro um curso de antropologia sobre os nossos “parentes”:  os primatas.  

Sim, é bom lembrar que  nós humanos somos TODOS  primatas.  Nao são apenas os macacos e gorilas que estão nesta ordem.  (Ao contrário do que pensava a personagem da Cristiane Torlone em “Fina Estampa” , quando imaginava estar insultando a torneira mecânica , Griselda,  ao chamá- la de ‘primata’.  Eta perua burra!!

E sim,  eu  tambem assisto novela.  É a maneira que encontrei de ficar com o meu vocabulário e as gírias em dia,  já que moro aqui na  terra dos gringos há tantos anos... "

 

E agora,  eis algumas fotos que tirei durante nosso fim-de-semana em New Orleans:

 

1)

O Megabus que pegamos para irmos para N. O.  Desta vez resolvemos não dirigir.

 

2)

 Cassino moquifo até mesmo na parada do posto, no meio da estrada... Isto é a Louisiana!!

 

3)

Passeio de bondinho pelo centro da cidade...

 

4) 

Algumas casas típicas no French Quarter, com os seus balcões em ferro trabalhado...

 

5)

Noite de jazz no hotel Royal Sonesta na Bourbon Street...Alí tem show de jazz toda noite!

 

6) 

Jantar francês no excelente restaurante "August" , no centro, em uma bela casa antiga...

Nota:  N.Orleans tem ótimos restaurantes franceses , além é claro , daqueles com a comida típica local cajun, que é muito picante e exótica.

 

7)

Na famosa feira , o French Market, com   produtos e comidas exóticas da Louisiana... Tempêros picantes e pratos típicos que incluem, entre outras coisas, tortas e hambúguers  de carne de crocodilo!! (Caçados diretamento dos pântanos, eu suponho....)  Tadinhos.  Eu não comi.  Preferi comprar um colar com o símbolo do estado ( a flor de lis)  e uns livros contando sua história.

 

8)

O rio Mississippi ao entardecer,  com o típico barco a vapor que tomamos (com direito a jantar e banda de jazz -yes! {#emotions_dlg.smile}  ) Este aí,  o 'Natchez',  é um dos barcos originais, bem ao estilo "Mark Twain",  lol. 

 

Uma parada à tarde no famoso Café du Monde é um must!  Alí se toma o café com chicória (parece esquisito,,  mas é uma delícia!)  , típico de N.O. e se come os seus deliciosos donuts - os beignets!  Tudo, naturalmente,  ao som de jazz...{#emotions_dlg.smile}

 

 

Esqueçam as imagens deprimentes que viram durante o Katrina, gente.   New Orleans  é SHOW!

 

 

 

 

sinto-me: Satisfeita de voltar à N.O.
publicado por Pâmelli às 04:40
link do post | Comentários | favorito
Sexta-feira, 19 de Abril de 2013

A risada do americano

 

Ninguém no mundo dá uma risada igual ao Americano. Pode observar.

 

Estou falando daquela risada forte, alta e espontânea, mas também meio brega e aparentemente exagerada,  que volta e meia ele solta,  em todo e qualquer tipo de lugar. Digo “aparentemente exagerada”  porque para um estrangeiro ela pode de fato parecer meio afetada, mas no fundo , vinda do americano,  frequentemente é 100% genuína.

 

Parece irônico eu  vir  no blog falar sobre “a risada do americano" justamente  em uma semana onde a América sofreu  com dois terríveis e trágicos acontecimentos – o atentado em Boston e a explosão na fábrica de West,  no Texas.  Contudo,  quando colocamos as coisas na sua devida perspectiva , mesmo diante de tragédias nacionais tais como Newtown,  Boston e West...,  (e sem querer minimizar o enorme sofrimento na vida de todos os que estiveram direta ou indiretamente envolvidos nesses eventos),  é preciso lembrar que os Estados Unidos são o quarto maior país em extensão no mundo, com uma população de mais de 330 milhões de pessoas e que, portanto, casos como estes são bastante raros de acontecer.  Afinal , estamos  falando de um lugar maior do que a Europa  inteira! – tirando a Rússia, é claro.

 

 É preciso lembrar disso quando se fala no “número de pessoas assassinadas todos os anos na América”, seja por armas de fogo (que os americanos continuam comprando a torto e a direito...) ,seja por atentados tais como os que ocorreram em Boston ou na escolinha de Newtown, em Connecticut.   O fato é que nos E.U.  ,  ao contrário do Brasil, por exemplo,  50.000 pessoas  NÃO são assassinadas todos os anos ; nem cerca de 200 policiais tampouco.  Nem de muito, muito longe, as estatísticas por aqui chegam perto disso.

 

Mas voltando ao tema do "riso do americano"...

Desde que vim para cá., há dez anos,  isto é uma coisa que logo percebi e sempre me vejo observando nas pessoas. 

O "riso do americano" não é uma coisa exclusiva dos americanos, mas  também  se vê  em muitas pessoas que moram nos E.U. há anos,  e que portando,  já incorporaram algumas características do povo local.  É também interessante notar que ele cruza todas as fronteiras sócio-econômicas da sociedade e pode sair tanto de uma senhora da alta roda,  de um caminhoneiro,  de um estudante de medicina de Harvard , de um  alto executivo, uma astronauta, um senador  ou  um atleta olímpico. Em suma:  é o riso de um povo feliz. {#emotions_dlg.happy}

 

Um exemplo disso ocorreu ontem no meu encontro quinzenal de “Conversation” em francês, onde um dos nossos colegas,  no meio da conversa, de repente soltou uma daquelas risadas estrondosas.  Tratava-se de um jovem indiano que reside nos E.U. há anos;  um rapaz muito bonito, poliglota,  bem sucedido e noivo de uma bela e simpática brasileira ( Imagine!).  Ou seja:  exatamente o tipo do “bem resolvido” que costuma dar este tipo de risada por aqui, lol.

Por um momento nosso grupo de ex-pats ( em sua maioria formado por franceses e alguns outros europeus)   tomou um susto.  Mas as pessoas logo se recompuseram.  Afinal isto é a América,  e eles próprios ,  depois de morarem aqui por tantos anos,  hoje já são bem mais leves, bem humorados e até mesmo sorridentes, do que os seus velhos conterrâneos.

Apesar disso,  assim  como eu,  nenhum deles costuma dar (e provavelmente nunca dará)  aquela risada tipica do americano.   

 

O fato é que  durante  todos os anos que morei e viajei  pela Europa e pelo Brasil, nunca  encontrei gente rindo desta maneira.  Nem mesmo o  brasileiro,  com sua fama de “alegre e folião”, ri como o americano. (Muito menos se ele tiver um certo grau de instrução e educação e gostar de pensar que é “civilizado”, lol).

 

Já o americano, física e culturalmente isolado do resto do mundo (e na maioria dos casos, se lixando para o que não acontece nos E.U. ou esteja diretamente relacionado à eles!),  pouco se importa com o que dizem ou pensam dele (Por exemplo,  que são "gordos, mal vestidos , ignorantes ou sem classe").  Daí que,  volta e meia,  quando está entre amigos, colegas ou  membros da família,  o gringo vai lá e me solta  aquele  CÁCÁRÁ- CÁCÁ !!, em alto e bom tom, para quem quiser (e quem não quiser também...) ouvir.

 

Eu,  mesmo depois de todos estes anos nos E.U. , confesso que  não consigo soltar aquela gargalhada totalmente à la gringa - até porque sempre achei, principalmente a sua versão feminina, especialmente desclassificada. Sinceramente,  algumas  mulheres por aqui  quando riem parecem uma hiena no cio.  Really.  

 

Mas uma coisa é certa:  o riso (ou a falta dele) é o reflexo da alma de um povo,  e o do americano é assim:  forte, alto , espontâneo e, sim..brega! -  às vezes chegando mesmo a ser estrondoso demais  e inadequado no ambiente e local onde a pessoa se encontra. 

Mas este mesmo riso  é também a  marca de um povo genuinamente feliz  (e não apenas da boca pra fora, querendo fazer gênero para o resto do mundo...) . Um povo orgulhoso de ser o que é,  de ter as coisas que tem e de viver no país em que vive,  e que ele realmente acredita ser o melhor lugar do mundo.

Para muitas pessoas pode até parecer o riso do ‘bobo alegre’,  mas no fundo,  é o riso do cara que muitas vezes ,mesmo sendo  "gordo, mal vestido, ignorante  e sem “classe...”,  está muito bem resolvido consigo mesmo.  Para a raiva ou a inveja de muita gente.

 

 

sinto-me: Rindo do riso dos gringos
publicado por Pâmelli às 18:14
link do post | Comentários | favorito
Sexta-feira, 28 de Dezembro de 2012

Hitchcock em dose dupla!

 

O frio aqui em Austin nestes últimos dias tem estado de matar!

Ontem , quando fomos assistir ao filme "Hitchcock",  em um dos cinemas da cidade,  a temperatura estava por volta de zero.  Brrrrrrrrr!

 

Aliás,  adorei o filme.  

A Helen Mirren , como sempre,  está ótima  e o Anthony Hopkins , como Hitchcock,  excelente.  Dois SUPER atores,  no doubt.

 

"Hitchcock"  trata de toda a controvérsia em torno do making  do famoso filme  "Psicose",  do grande mestre do suspense.   Na época ( 1959) a coisa foi um escândalo,  tanto do ponto de vista da sensualidade quanto do terror.  Já hoje,  com tanta  baixaria e porcaria cuspindo sangue nas telas dos cinemas,  penso que  "Psicose"  deva inspirar bem menos pavor e não choca mais ninguem.   Mas,  ainda assim,  o filme é e sempre será  um clássico hitchcockiano.  (By the way,  em inglês o nome do filme é  'Psycho' , que significa "psicótico"  e não "psicose'...)

 

Minha mãe assistiu "Psicose"  quando jovem,  na época de lançamento, nos anos 50.   Ela disse que todo o mundo GRITAVA horrores no cinema.  lol  

Meu marido diz que se lembra de ter assistido à algumas partes, mas não do filme inteiro.    Já eu , nunca tive a coragem de assistir!   Até hoje.

 

( O  plano  é assistirmos ao filme aqui em casa, em DVD.  Já peguei minha cópia na minha velha locadora - pois é, eu ainda frequento uma!-  e preparei uns pães de queijo para acompanhar a sessão! {#emotions_dlg.smile}  E o gato e o cachorro estão convidados.  Afinal, quanto mais 'elementos' na sala de T.V.  melhor... lol,  e se eles forem peludos,  melhor ainda! )

  

 

 Enfim,  aqui fica  a recomendação do filme "Hitchcock" , de 2012.   Já para quem não conhece nada da obra do grande  cineasta,   recomendo "Dial M for Murder"  , "Vertigo"  ( cujos títulos em português eu não sei...)   e "Rear Window" ( Janela Indiscreta),  para começar.   Dois deles são com a lindíssima Grace Kelly.  

 

E agora,  tá na hora de comer  pão de queijo e desfrutar da companhia macabra   de Norman Bates!    {#emotions_dlg.sarcastic}

 

sinto-me: Reapreciando as obras de Hitch
publicado por Pâmelli às 04:00
link do post | Comentários | ver comentários (2) | favorito
Sábado, 30 de Junho de 2012

Washington- uma jóia neo-clássica nas Américas!

   Semana passada estivemos de volta à Costa Leste ( mais especificamente no estado de Maryland)   para  o casamento da filha de um grande amigo de meu marido.

Como sempre,  ficamos hospedados na casa de meu sogro , na cidade  de Columbia ,  a cerca de meia hora  de Baltimore.  ( Para saber mais sobre esta charmosa e antiga cidade nos E.U.,  dêem uma olhada no post de 20 de maio de 2011:  "Baltimore- exemplo ou inspiração para o Rio").

Eu sempre gosto de ir para a Costa Leste,  pois lá a América é muito mais “civilizada”  - que dizer,  as pessoas são muito mais sofisticadas e cultas  do que por aqui, pelas bandas do  “Velho Oeste” .  Pelo menos nos grandes centros .   Afinal foi na Costa Leste  onde ‘tudo começou’ :  as 13 colônias originais,   as primeiras cidades, Washington - a capital,  NYC… Além do que,   é a parte mais “europeia” dos E.U.

Sim,  ali, em alguns lugares,  você realmente sente que está em ‘New England’ ( a Nova Inglaterra).

 

   Nesta visita passamos apenas uma tarde em Baltimore e,  no dia do casamento , seguimos para a cidadezinha de Frederick onde estava marcada a cerimônia , que aconteceu  em uma  bela casa  de 1888.

 Mas o melhor mesmo foram os três dias que fugi pra Washington , lol -  ou simplesmente  como dizem os locais :  “D.C.”  {#emotions_dlg.smile}

 

 Ah, isto sim  é uma cidade!  Uma capital.  Um cartão de visita para o país.

 

   Nesta minha terceira  visita à capital Americana, finalmente pude ter uma boa noção  do que é realmente Washington.  Da primeira vez, alguns anos atrás, pude ter apenas uma ideia geral , percorrendo os principais pontos turísticos da cidade de bondinho;  da segunda ( dois anos atrás), passei o dia no Museu de História Natural ,  que eu sempre tive vontade de conhecer.  Já desta vez,   os três dias que passei ali,  finalmente puderam me mostrar  tudo o que a cidade tem a oferecer em termos de história,  cultura,  diversão e lazer.  

 

   O fato é que Washington é uma  SUPER cidade.   É linda,  classuda,  elegante,  cheia de monumentos imponentes, muita área verde, muitas delas com as suas reflecting pools ( seus lagos e "piscinas")  ,  e sobretudo,   muito, muito espaço aberto.  Em suma: uma maravilha de lugar, principalmente para claustrofóbicos como eu.  Lol 

 

  Sua arquitetura neo-clássica  lhe dá um aspecto muito europeu,  mas suas avenidas largas e todo o  imenso espaço aberto que se tem em volta,  são sua marca bem ‘americana’.   Ali,   ao contrário de Nova Iorque,  ( tirando o metrô em horário  de pico)  não há tumulto – nem mesmo nos seus pontos mais turísticos,  porque a cidade é realmente descongestionada de prédios !  Oh, sim,  eles estão ali,  principalmente na área do centro ( o Old Downtown) , mas sempre com muita área livre em volta.  Washington é a antítese de Copacabana!! lol   

Fora isso tudo, a capital americana ainda tem um  bônus : diferentemente de Miami e N.Y. , quase não tem turistas brasileiros!! lol  (Eu bem sei que tem muito brasileiro que detesta cruzar com outros brasileiros quando está no exterior...) 

 Já aqui  em  Austin, apesar de não ter turista brasileiro ( ou de qualquer outra nacionalidade...) ,   a comunidade de residentes tupiniquins  é considerável.

 

Enfim,  eis aqui alguns dos  highlights de minha visita de três dias em  Washington:

 

 

 O Washington Monument visto do Tidal Basin ( O "lago" em volta) .   Um dos símbolos da cidade.

 

 A National Gallery de Washington é um dos magníficos  museus do Smithsonian Institute.  Seu acervo é simplesmente fantástico!  Eis alguns poucos exemplos:

Este quadro do Da Vinci é supostamente o único do pintor nos Estados Unidos. 

Este quadro, do Murillo ( se me lembro bem...) foi um dos que mais gostei.

 

 E este Raphael... Simplesmente um "clássico". {#emotions_dlg.smile}

 

 E este Renoir,  que tal?

 

 O famoso prédio do FBI ,  na Pennsylvania Avenue  - que aparece no meu seriado favorito ,  "Bones". Será que o agente Booth estava lá, interrogando algum suspeito? lol

 

 O belíssimo prédio do Capitólio ,  a sede do Congresso americano.  Esta foi uma das visitas mais interessantes que fiz,  com direito a um  filme contando  a história do Congresso , além de um tour com uma guia excelente!  E,  como todos os  museus do Smithsonian Institute ,  a entrada ( acredite o não) é gratuita.

 Aqui,  um dos salões que visitamos dentro do Capitólio.

 

 O Ford's Theater, onde o Presidente Lincoln foi assassinado em 1865.  Hoje o teatro é aberto a visitação pública, mas continua tendo peças encenadas.  O Presidente morreu no prédio em frente - na época uma pensão-  e o local hoje virou igualmente  ponto turístico.

 

Um dos monumentos mais belos da cidade é o dedicado à Thomas Jefferson ( o Jefferson Memorial),  um dos autores da Declaração de Independência dos E.U. e o seu terceiro presidente.  O templo,  em estilo neo-clássico fica localizado no Tidal Basin , formado por um braço do rio Potomac. 

 

No último dia não resisti e tive de voltar ao Museu de História Natural, que estava com uma exposição especial sobre a Titanoboa - uma cobra prehistórica que viveu há 60 milhões de anos atrás e que tinha mais de 15 metros de comprimento! Era duas vezes maior do que a maior cobra que existe hoje em dia.

 

Voilà

Como vêem,  Washington D.C.  é SHOW!  {#emotions_dlg.smile}

 

 

sinto-me: Tirando o chapéu para D.C.!
publicado por Pâmelli às 20:24
link do post | Comentários | favorito
Terça-feira, 13 de Dezembro de 2011

Houston, Texas : a São Paulo do Primeiro Mundo

Categoria de Post:  turismo, arte,  cultura

 

Agora que estou de férias e relaxando aqui em Breckenridge ( Colorado) ,volto atrás uma semana para escrever sobre nossa visita sábado passado  ao Museum of Fine Arts de Houston.

Nossa curta escapulida até a maior cidade do Texas (e a quarta maior dos E.U.) se deu na sexta-feira.   Dirigimos 3 horas até lá, passamos a noite,  e no dia seguinte seguimos para o MFA , que é   o mais importante da cidade e o maior do Texas.

 

O que fomos ver lá?

 A exposição “Tutankhamun, the Golden King and the Great Pharaohs …”  ,  sobre o antigo Egito e o mais famoso de todos os seus faraós : Tutankhamun , cuja  tumba,  repleta de tesouros ,   foi  descoberta em 1922.

---

O MFA de Houston fica em uma bela  área  da cidade chamada de Museum District .

Ao chegarmos à cidade, minha mãe ( que sempre vem pra cá nesta época do ano…) imediatamente  comentou :

-Puxa, como esta cidade lembra  São Paulo!

De fato,   Houston lembra muito S.P.  -  mas a parte RICA  da cidade !!  Aliás,  a área do Museum District é a cara dos Jardins.  O centro é cheio de belos prédios,  tudo muito moderno e  iluminado, com milhares de viadutos de vias expressas -  só que ao contrário dos de São Paulo, estes são   sem pichação ou gente  morando debaixo. 

As ruas de Houston são  largas ,  limpas e sem buracos e  não há  qualquer  sombra de mendigos  ou pivetes.  E quanto à favelas  … ( se em S.P., elas ficam principalmente na periferia da cidade - e não BEM DENTRO dela e ao lado dos melhores bairros , como é o caso do Rio de Janeiro…) , em Houston elas são simplesmente  inexistentes.

O  risco de alguém ser assaltado por lá?   

É o mesmo de um brasileiro sofrer um atentado terrorista em  plena Avenida Paulista! Ou seja:  Impossível não é. Mas é muito, muito pouco provável.

Pois é, caros amigos.  Este é o retrato da  América atual , que ‘ficou pobre e está em decadência…” ,  coitadinha.

 

Ok,  mas voltemos à múmia mais famosa da antiguidade…

A exposição do King Tut  vai estar no MFA de Houston até abril de 2012 , e além desta,  havia mais outras três exposições temporárias  igualmente interessantes :    uma sobre  o “Luxo do Barroco na França do  Século 18” ,   uma sobre as Arábias e a outra sobre os grandes Mestres holandeses!   Tá bom , ou quer mais?  

Infelizmente como estávamos com o tempo limitado, tivemos de nos contentar  em visitar somente a do King Tut ( alias, a razão de nossa viagem até Houston)  e dar uma  rápida passagem pelo acervo permanente de pinturas europeias do museu.

---

Quer saber?   Eu tiro o chapéu para o MFA de Houston!    Quem dera que tivéssemos em Austin um museu deste porte.  A coisa melhor que temos por lá  ( em termos de museu…) é o Bob Bullock , especializado na História do Texas.  ( Este até é bastante interessante e fica em um belo prédio).  Já o tal do Blanton Museum,  que é o  ‘Museu oficial de arte da cidade’ ...  Arre égua!  Que pobreza.    Ok, o  prédio é até bonito, mas o acervo… *Suspiro*

 

Mas voltando ao King Tut…

O único senão da Expo do Egito é não podermos tirar fotos.   Uma pena,  pois logo na entrada  recriaram uma espécie de tumba, com um vídeo explicativo sobre o Egito Antigo .  Uma vez lá dentro,  são várias as estátuas  que podemos admirar dos  três Reinos do Egito  ( o Old, Middle e New Kingdoms), móveis e até uma latrina da antiguidade!  Lol  Já na parte da tumba do King Tut, podemos ver  jóias magníficas  que estavam sobre sua múmia , vários artefatos, estatuetas e até alguns coffinettes  ( espécie de  ‘tumbinhas’ do faraó,  lindamente decoradas em ouro, turquesa e outras  pedras preciosas,  e que era  onde se colocavam os órgãos do  morto –  o que fazia parte  do processo da mumificação… ). Tem  até  uma cópia idêntica à  múmia  do faraó ( já que a original se encontra no Egito e jamais saiu de lá ).

 

Bom,   se não pude tirar fotos dos tesouros do King Tut,  ao menos pude registrar o  prédio do museu , assim como algumas  das pinturas de seu acervo permanente.

 

Eis aqui alguns dos quadros que mais gostei nos setores do Século 19 e 20 de Arte Européia  . (  A coleção vai dos Séculos 14 ao 20, mas só tivemos tempo de  visitar os dois últimos ).

 

 

  Este Manet de pescadores foi o meu preferido...

  Um Picasso bem doidaço...

 

   

 Um charmoso Kandinsky, um Van Gogh e um Monet quase abstrato.

                                         (Estes são os que me lembro)

 

 Já estes de baixo eu tambem adorei, só que não me lembro dos nomes dos artistas.  Preciso ver no catálogo  que comprei na lojinha do museu e que ficou lá em casa , em Austin.  Imaginem,  um lindo catálogo da coleção europeia do MFAH,   por apenas 5 dólares!!

 

Les voilà:  ( Não são lindos?) 

 

    

 

 

 

 

sinto-me: Tirando o chapéu para o MFAH!
publicado por Pâmelli às 06:37
link do post | Comentários | favorito
Sexta-feira, 7 de Outubro de 2011

Os mais belos "cafés" no mundo...

Este vídeo me foi enviado por uma amiga do Brasil.

Trata-se dos “ dez mais belos e famosos cafés do mundo!

Lindo demais .  Mas apenas recomendado para aquelas pessoas de gosto sofisticado e que apreciam as coisas REALMENTE belas da vida.

Portanto se você fôr um daqueles philistines ( avesso aos prazeres proporcionados pela arte e cultura) ou glutão que come pedaços de bolo do tamanho de uma prancha e toma café em copos de plástico… Sorry, mas esta NÃO é a sua praia. (Instead,  siga para o site do Mac Donald's ou do Starbucks ...)

 

A música  de fundo é de  Johann Strauss – “Die Fledermause”  ( O Morcego) e  simplesmente maravilhosa.

 

Sendo assim,    sente-se,  relaxe e durante uns dez minutos delicie-se  com os ‘Coffee Shops’ ao redor do mundo que REALMENTE  valem a pena conhecer - mesmo que seja de forma virtual.    

De minha parte,   posso dizer que tive a sorte e o privilégio de conhecer  três deles:  o Café de la Paix de Paris,  o Florian em Veneza e a Colombo no Rio de Janeiro.  ( Pois é.  Não há um único na lista nos E.U. , mas a Colombo do Rio está entre os grandes! )

Naturalmente , a maioria dos grands cafés estão na Europa.  Veja se a sua cidade ou país tem um deles...{#emotions_dlg.smile}

 

Nota:  

Como estou LONGE  de ser entendida de informática,  esta foi a forma que encontrei de colocar o vídeo no blog.  É clicar no download file e esperar abrir o Powerpoint.  A introdução é escrita e leva alguns segundos para começar com a música e as imagens...

 

Os_10_mais_belos_Cafés_do_mundo.ppsDownload File

 

 

Enjoy!!

sinto-me: Inspirada por um belo Café...
publicado por Pâmelli às 16:54
link do post | Comentários | ver comentários (2) | favorito

.Mais sobre mim

. Meu Livro

COPADRAMA

- A Brazilian Tragicomedy

(um romance em inglês de I. Pamelli M.)

. Comprar na AMAZON.com

.Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Romance para este inverno...

. Dica de leitura para este...

. Leitura de verão: Três ro...

. D.C. - uma das belas capi...

. A próxima escapulida: Ne...

. A risada do americano

. Hitchcock em dose dupla!

. Washington- uma jóia neo-...

. Houston, Texas : a São Pa...

. Os mais belos "cafés" no ...

.arquivos

. Janeiro 2018

. Novembro 2017

. Junho 2017

. Abril 2016

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.flag counter

free counters

.subscrever feeds