Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Dos estudos, da vida e da decadência do Império Americano

Pâmelli, 29.07.12

 

Categoria de post:  pensamentos,  desabafo

 

Tenho andado meio ocupada… Mas nem tanto. Lol

As “férias”  do verão já estão quase no fim ,  mas como sempre ,  me inscrevi em dois cursos durante este período, a fim de adiantar meu programa no Community College. 

O primeiro (o de “Governo do Texas” – ai que PORRE!)  era obrigatório ,  mas graças à Deus já terminou.  Coisa mais chata :  curso de política local… – e ainda mais texana !   TUDO.  TUDO, o  que eu sempre sonhei.

 

Agora, finalmente estou seguindo meu último curso .  Sim,  depois de terminar este , tiro o meu Associate’s Degree em Antropologia!  (Acredito que no Brasil este tipo de diploma não exista .  Pelo menos na minha época lá não existia.)   O  A.A.  corresponde ao segundo ano da faculdade,  mas só é dado pelas Community Colleges.  Aqui é um diploma como se fosse o "primeiro nível" nos diferentes estágios de uma educação  universitária -  Associates’,  Bachelor’s, Master’s, Doctorate  etc… 

Em geral, quem tira o A.A.,  depois segue para uma faculdade convencional ( já ingressando no  terceiro ano),  podendo então  tirar o seu Bachelor’s Degree  após dois anos.  É o que estou pensando em fazer – mas ainda não decidi ao certo.

 

Mas, voltando ao meu último curso no Community College neste verão…

Este sim, está sendo bem interessante , pois trata-se de “Astronomia: o Sistema Solar” . {#emotions_dlg.smile}

É que eu ainda precisava de mais um  crédito na área de “Ciências” para terminar o programa. Então escolhi este, já que a última vez que estudei algo parecido, foi no final da década de 70!   -  quando estava no 3 rd  Grade  ( Terceiro ano primário) na Escola Americana no Rio!!   Pois é.  Plutão, então, ainda era considerado um planeta… lol

 

Anyway,  meu professor atual  é um senhor de certa idade e ,  como todo astrônomo,  um personagem interessante.  ( Uma amiga minha no Rio,  louca por astronomia e que vive fazendo os cursos do Planetário da cidade, sempre me disse que os astrônomos costumam ser pessoas muito cultas e interessantes – além , é claro,  de inteligentes! - e ela tem razão).

 

  Professor R.  não foge  a regra.   A única coisa,  é que  como é Americano ( e ainda por cima,  Texano!),  está naturalmente MUITO acima do peso.  Ele  sofre de artrite – provavelmente de gota tambem…- e anda e senta  com dificuldade.  Enfim,  está um caco para a sua idade ( que nem é tanta assim,  pois imagino que ele esteja entre os 60 e 70 anos).   

 

Mas basta olhar para ele para imaginar o estilo de vida que leva. 

Professor R.  já  entra na sala de aula carregando sua garrafinha de Coca-Cola  ( não duvido nada que sofra também de osteoporose,  já que refrigerante é péssimo para os ossos...)  e seu abdômem tem a circunferência quase tão vasta quanto os anéis  de Saturno!

Tenho certeza que ,  como a maioria dos americanos,  deve viver dentro de um carro,  levar uma vida ultra sedentária e comer muito mais do que deve - principalmente carnes.  Afinal,  estamos no Texas. {#emotions_dlg.confused}

 

É mesmo  terrível como as pessoas aqui nos E.U.  se acabam  antes do tempo!

É verdade que em geral vivem bastante -  afinal isto aqui é o Primeiro Mundo e remédios e tecnologia é o que não falta …-  Mas como vivem mal!!  E é tanta gente ainda relativamente “jovem” -  nos seus quarenta e poucos anos …-   já sofrendo de MONTES de doenças!  Um horror.

 

 Eu,  quando morava no Rio,  não  me lembro  de ouvir dizer que alguem com menos de 50 ou 60 anos,   sofria de gota , diabetes, pressão alta  etc.     Ora, uma mulher carioca de mais de quarenta anos,  classe média ( nem precisa ser rica) e  morando na Zona Sul,  muitas vezes parece uma moça de pouco mais de trinta!

Já aqui,  muito antes de bater os quarenta , o povo  já está todo gordo,  flácido,  cheio de pneus, celulite, vivendo com  problemas de coluna,  com o joelho arrebentado, com a pressão alta demais, sofrendo de  diabetes tipo 2  e o escambau.

 Viva  “The American Way of Life” no Século XXI!

 

O fato é que 99% dos americanos  comem mal e em excesso, vivem  com a B*NDA sentada  no sofa da sala ou dentro do carro,  não andam,  não se exercitam, praticam pouco sexo,  se matam de trabalhar, raramente saem de férias e vivem grudados  na internet e em seus malditos i-phones. 

Outro dia eu vi um anúncio no cinema que me deixou deprimida.  O cara dizia para o público: " Quem é que tem tempo hoje em  dia de ler um livro?  Faça o seu download no seu i-phone e OUÇA os livros que quiser... " 

 Arre,  quanta pobreza intelectual!

 

É nessas horas que eu lembro dos Founding Fathers.  Daqueles filósofos deístas ( Ben Franklin,  Thomas Jefferson...),  que fundaram este país e que eram  tão cheio de idéias brilhantes , de sonhos , coragem e determinação.  Eles acreditavam na América!  Mas hoje, devem estar se revirando em seus túmulos...

 

Enfim,  penso que minha aula de Astronomia com Professor R.  deveria ter sido muito, muito boa uns dez anos atrás -  quando suas veias, seus ossos e  suas pernas  estavam em melhor estado.   Hoje em dia ele mal se aguenta em pé e até fala com certo esforço, como se seu coração suspirasse em cada final de frase.  Sua cabeça de astrônomo é tudo de bom que lhe resta.   Uma pena, pois afinal o cara é gente fina. 

 

É quase certo que  se Professor R.  ensinasse Astronomia no Rio,  com certeza gozaria de uma saúde muito melhor  e aparência física muito mais jovem.  Por outro lado,   se morasse na “Cidade Pavorosa”,   estaria muito mais sujeito a morrer durante um assalto ou levar uma bala perdida quando fosse dar suas aulas no Planetário ou  em alguma universidade local. {#emotions_dlg.sad}

 

Como vêem… Não há lugar perfeito.

Ok.  Talvez o Lago de Como , onde mora o George Clooney,  ou  a Monte Carlo da Princesa Caroline ainda  se salvem...

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.