Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Jorge , o Amado

Pâmelli, 14.07.12

Ontem,   aqui em casa,  assistimos ao Globo Repórter sobre  o remake  da novela “Gabriela” , assim como  a obra e a vida de Jorge Amado.  ( Nos  E.U. o programa passa com uma semana de atraso em relação ao Brasil).

 

Jorge Amado é o meu autor brasileiro preferido e dos seus livros , “Gabriela”  é o que eu gosto  mais.  De fato, este foi um dos melhores livros que já li ( isso faz mais de vinte anos! ) e até hoje,   ainda me lembro como já nas páginas finais comecei a ‘economizar’  na leitura, lol,  porque não queria que a estória acabasse! 

 

Agora a Globo resolveu fazer  a versão moderna da novela  de 1975 . Eu era uma garotinha então,  e só me lembro de algumas partes engraçadas, que via meus pais assistirem divertidos, altas horas da noite lá em casa, quando eu  já devia  ter ‘ido pra cama’.  Pois é, naquela época criança ainda tinha hora pra se  deitar…

 

“Gabriela” , se não me engano, foi a novela que alçou Sonia Braga ao estrelato nacional  e à categoria de sex symbol brasileira.   Agora é a vez de Juliana Paes encarnar o personagem  e ,  ao que parece ( a novela só começa esta semana aqui nos Estados Unidos ),   está fazendo um excelente trabalho. 

 

Mas, voltando ao Globo Repórter de ontem…

A reportagem,   naturalmente foi bastante interessante.   As imagens da Bahia , sempre  tão colorida, alegre , musical  e africanizada...Com suas comidas exóticas,  a sua história e os seus monumentos preservados ( ao contrário do Rio de Janeiro!) ,  são sempre um prazer de se ver.  As ótimas entrevistas com o  velho Jorge e sua mulher, Zélia.   A famosa Casa do Rio Vermelho , em Salvador, onde  o casal morou tantos anos até o final de suas vidas.

A única coisa que deixou a desejar,  foi aquela entrevista ( que tomou boa parte do programa) com a filha do autor , Paloma -   aquela  senhora gorda e deprimida , que há anos não vai à casa onde seus pais viveram e foram tão  felizes. Ao invés disso, a família   mantém a casa  fechada, desabitada  e abandonada,   porque  segundo ela ,  “aquilo lhe dá uma tristeza e saudade enormes,   de um tempo que não volta mais…"   Que baixo astral, arre.   Saravá!

 

 Tivesse eu tido a sorte e o privilégio de ter sido filha do grande Jorge Amado -  e naturalmente ,  sentiria imensas  saudades dele e de Zélia,  pois  afinal, até nós , simples leitores,  que nunca o conhecemos pessoalmente, sentimos saudades... Enfim,  tivesse eu tido esta sorte,  eu é que não ia deixar aquela casa fechada,  sem móveis,  esquecida  e triste.   Muito pelo contrário! 

 

É verdade que o tempo não volta.  Mas isto não significa que você não possa fazer renascer o espírito,  a lenda e a estória ( ou estórias) de alguém muito querido que já se foi.  Uma vida especial pode e deve continuar sendo celebrada, mesmo após a morte.

Eu,  no lugar da senhora Paloma,  abriria aquela linda e charmosa casa ao PÚBLICO  -  sim,  a todas as pessoas que leram , conhecem e admiram a obra de Jorge Amado -   e a transformaria em um Centro Cultural tão colorido, alegre e imaginativo  quanto foi a obra do próprio Jorge.   Alí,  ele estaria mais vivo e presente do que nunca! 

 

O lugar teria um  café  ( O “Cravo e Canela” {#emotions_dlg.smile} ) com as  "quitutes de Gabriela” ,  uma charmosa livraria com todas as obras do autor, além de livros de culinária e história da Bahia ,  um souvenir shop vendendo todos aqueles trinkets baianos ...lol ,  visitas guiadas aos  “cantinhos preferidos do escritor e de sua mulher” ( dentro e fora da casa e  no  jardim em volta..) ,  além de  uma pequena sala de projeção,  onde pelo menos uma vez por mês mostrariam algum filme ou série baseada na obra do ilustre baiano.    Já pensaram que delícia ? lol     O lugar fervilharia de turistas do Brasil inteiro – e muitos inclusive vindos de fora,  pois afinal,  Jorge Amado teve sua obra traduzida para mais de 40 idiomas!   Isso sim,  seria um verdadeiro tributo de Paloma  ao seu pai e uma demonstração sadia do  amor e admiração que sentia  por ele. 

Por fim,  eu deixaria a casa como   “Patrimônio  cultural  para o estado da  Bahia” ,   assim como tantas pessoas  fazem  aqui nos E.U. – o país dos grandes filantropos! (Ou ,ao menos formaria  um acordo para que no futuro a casa fosse  vendida  pelos seus descendentes  para a  CIDADE de Salvador   , garantindo  desta forma que  ela permanecesse aberta  ao público .

 

Agora,  do jeito que está,  o mais provável é que seja  herdada por algum neto do escritor ,   posteriormente vendida,   talvez demolida ou completamente descaracterizada.  .   E um dia, daqui há uns 100 anos,  quando  o estado da Bahia  finalmente resolver  ‘ reconstruir a antiga residência onde viveu  Jorge Amado’ , terá que usar fotos antigas e , quem sabe,  recorrer  a reportagem  do Globo Repórter da noite de ontem,  "pra saber como ela era".   Humph.

 

Enfim,  para nós, meros leitores e admiradores do escritor,  restam seus livros, os filmes , novelas e agora ,  a representação de "Gabriela". 

Quanto a mim,   meu consolo é saber que desta vez vou poder ficar acordada até altas horas, me divertindo com  os personagens inesquecíveis do velho Jorge.   {#emotions_dlg.smile}

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.