Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Depois de Mrs. Pain, mais uma professora maluca...

Pâmelli, 21.06.11

 

Neste  verão, ao contrário do ano passado quando tomei três  cursos no Community College (e quase morri de estafa!) , resolvi fazer apenas dois cursos :   Composition 1 ( Dissertação)  nas primeiras 6 semanas, e World and Regional  Geography ( Geografia  mundial e regional)   nas últimas 6.

Mas nossa,  que coisa mais chata essa Compositon 1!

Nunca vi um curso tão medíocre e com  tantas regras inúteis!

E o pior: ninguem precisa saber escrever ou ter a menor imaginação pra passar no curso de Composition 1 do Austin Community College ;  basta você ter tido um treinamento intenso  de vida militar – no estilo de Cuba ou da Velha União Soviética !- e saber seguir as regras da professora à risca! 

É sério.  Um grandissíssimo PORRE e uma  perda inútil de tempo

Mas,  como o curso é obrigatório e faz parte de qualquer programa que você escolha  na universidade,  tive que me submeter , engolir todos os sapos e aceitar o inaceitável.( Bem, pelo menos acabou e agora,   espero, ter mais sorte no próximo curso  que começa semana que vem…)

 

Sinceramente,  este curso foi pior ainda do que os de matemática - que fui igualmente obrigada a tomar.    ( Pelo menos naqueles eu padeci mas  aprendi alguma coisa. Já nesse,  NECAS!)  Minha escrita não melhorou ( talvez tenha até piorado com tantas regras ridículas que tive de adotar ao escrever a mais simples dissertação…), nem tampouco minha gramática ou vocabulário.  URGH!

 

O enigma de Professor S.:

 A  professora de Composition  1 , é  para mim, de certa forma   um enigma.

Ela é petite ( deve ter um metro e meio), magrinha,  clara de pele e olhos.  Tem cerca de uns cinquenta e poucos anos e é solteira.  ( Até aí,  nada demais.)

Mas…

Já no  primeiro dia de aula, achei uma coisa ‘meio estranha’ e até comentei com meu marido.

Acontece o seguinte:  este curso  de Composition   é designado especialmente às pessoas cuja língua nativa não é o ingles.  Apesar disso,  a maioria alí fala  muito bem e com pouquíssimo ou quase nenhum sotaque – afinal estamos na faculdade.

 Já no primeiro dia, eramos uma turma pequena – umas 12  pessoas.  A maioria mulheres  hispânicas, uns dois rapazes ,   uma vietnamita e eu.  Mas o que me surpreendeu na atitude da professora de ESL  ( inglês para NÃO americanos nativos…) foi a sua TOTAL falta   de curiosidade em relação aos seus alunos. Durante  todo o curso de 6 semanas, ela jamais  perguntou à ninguem de onde ele ou ela  vinha ou qual era a sua primeira língua ( A meu ver,  que tambem sou professora de línguas,  algo que deveria ser uma  pergunta bem óbvia - principalmente  em se tratando de um curso de composição em inglês PARA ESTRANGEIROS ).

Típica falta de interesse e de cultura de americano – pensei. 

Mas ainda assim, o fato de Professor S.  ser professora de ESL ,  deveria ter lhe causado algum interesse cultural por aquelas pessoas.  E depois então,  quando descobri que a mulher tinha ascendência alemã e falava a língua de Goethe,  aí é que fiquei ainda mais surpresa com o seu desinteresse!

 

Afinal,  embora a maioria de meus colegas fossem  hispânicos,  nem todos eram do México.  Havia até uma moça cubana que se sentava ao meu lado ( e que acabou até virando minha amiga), sem falar em uma brasileira e uma vietnamita.   Agora, vai me dizer que isso não é no mínimo estranho?

 

A verdade é que as primeiras impressões  que temos das pessoas  ( principalmente as negativas…), normalmente se confirmam mais cedo ou mais tarde.   

As semanas se passaram e eu  logo percebi que ,  saber escrever duas frases fazendo sentido e possuir uma ortografia e gramática decentes  não eram, absolutamente,  importantes neste curso. O negócio era saber seguir as ridículas  regrinhas impostas pela professora maníaca ( e que, eu tenho minhas sérias dúvidas,  realmente façam parte do programa…) , timtim  por tintim,  palavra por palavra,  ao se  interpretar qualquer texto que nos fosse dado.  A prova,  é que a aluna que mais se seu bem no curso foi justamente minha colega de mesa,  a cubana!  (Uma moça, diga-se de passagem,  muito simpática ,  mas com um inglês deplorável , tanto do ponto de vista da gramática, pronúncia, fluência e vocabulário.) Mas afinal, depois eu pensei,   ninguem no mundo deve saber seguir regras melhor do que os cubanos.  É isso,  ou então El Paredón!! 

 

Mas voltando à Professor S…

Outro “mistério” da sua personalidade,   é o fato dela se vestir bem , gostar de animais e literatura – e apesar disso , ser do jeito que é! Lol    Ora, eu sempre imaginei que quem tivesse bom gosto para se vestir,  gostasse de animais e literatura SÓ PODERIA SER UMA PESSOA RAZOÁVEL E COM UM MÍNIMO DE FLEXIBILIDADE!  (Ah, mas aí talvez seja o ponto onde entra o seu DNA alemão…)

 

A baixinha é  uma verdadeira nazista no que diz respeito à ordem, sequência e maneira de se interpretar  ou mesmo escrever seu próprio  texto.  Ou você faz a coisa EXATAMENTE conforme suas regras,  ou, não  importa se tenha analisado bem ou corretamente o artigo ,  se sua escrita e gramática estavam corretas… BOOM! -  é bomba na certa.

 

E a conclusão:

Então na última semana de aula  , ao ir até o seu escritório no ACC para pegar o meu passe para fazer a prova no Testing Center , eu pude perceber, (para a minha total surpresa!)  , o verdadeiro CAOS que é a sua sala!  Livros, cadernos e toda a espécie de tralha que se possa imaginar espalhados por todos os cantos: nas estantes, mesa, cadeiras e até no chão.  Tudo imundo e completamente desorganizado.   Um verdadeiro pardieiro!   ( E tudo isso para alguém tão inflexível e cheia de  regras  na hora da escrita…).  

Por fim,  em um dos nossos últimos dias de aula,  Professor S.  nos disse que morava em um apartamento com QUATRO  gatos . Mais:   que  estava pretendendo pegar um cachorro pra criar tambem!

Pois é.  Depois dessa eu só pude lhe coroar de vez como Dona Marie ( seu primeiro nome), a Louca.

 

Ora,  quem  lê o Parada,  sabe que ninguém é mais parcial aos bichos do que eu.  Que simpatizo bem mais com eles do que com a maioria das pessoas e dou a  MAIOR FORÇA para que mais gente adote animais ( principalmente os que estão jogados nos abrigos e ruas…)   e , de preferência, que   tenham menos filhos.  Mas cá entre nós… QUATRO  gatos em um apartamento ( e ainda por cima querendo adicionar um cão à equação...)  ,  não pode ser um bom indício da sanidade  mental  de uma pessoa. 

 

No final das contas, acho que o enigma de Professor S. , de alguma forma , se explicou.

A mulher só pode  ser mesmo maluca.  Mais uma pra minha coleção.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.