Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Sex and the City

Pâmelli, 14.06.08

 

Hoje resolvi dar uma de crítica de cinema. 

 Afinal um crítico nada mais é do que uma pessoa que viu um filme e depois lhe dá sua opinião a respeito.  É uma coisa totalmente pessoal e subjetiva;  não uma opinião de especialista e portanto está aberta a opiniões contrárias. 

  Aliás, por isso mesmo eu não costumo levar em conta as  'críticas'  de filmes (  nada mais do que  opiniões pessoais ! ) que leio nos jornais e revistas por aí, até porque muitos dos críticos  são visivelmente parciais em suas idéias (  A  maioria  deles são homens,  pseudo-intelectuais de esquerda , que adoram ridicularizar  as comédias românticas  - que costumam tachar  com desprezo de chick flick ou 'filmes para mulheres' -  ,  'malhar' os filmes  de Hollywood' ,  simplesmente porque são de Hollywood...  e , por outro lado,  tendem a  glorificar e encontrar os maiores méritos na  miséria , na pobreza , na paranóia e na violência ...

Tendo dito isto,  aí vai o que eu achei do filme 'Sex and the City' que fui ver nesta sexta-feira:

 

Primeiro, devo dizer que nunca assistí a tal série na T.V. , que aparentemente faz muito sucesso nos E.U. e,  acredito,  em vários países.  ( Como meu marido não gosta de televisão e eu assisto muito pouco,  preferi optar por NÃO termos T.V. a cabo  e simplesmente tive a Globo Internacional  instalada  em nossa  casa...;  é minha maneira de 'matar um pouco a saudade ' e poder ficar informada sobre o que se passa  no Brasil...)

Mas enfim,  voltando à 'Sex and the City' , como eu já havia imaginado que seria o caso ,  não gostei muito;   mas como não tenho nada contra 'uma tarde passada assistindo  à uma comédia boba e leve...'  - desde que  não seja  completamente idiota !! -   tudo bem.

 

Vou ser mais especifica:  o  filme é bem 'americano', rico, capitalista,  republicano e racista ! 

As 'piadinhas'  são patéticas e preconceituosas:  A cena no 'resort de luxo' no México , onde uma das inseparáveis  amigas  só fica  comendo iogurte , com medo de ficar doente...  -( "Mas estamos em um resort 5 estrelas..." diz uma delas .  Ao que a outra responde:   " É , mas  estamos no  MÉXICO !" ) -  me irritou profundamente.

Toda a platéia -  que era  99% constituída  de mulheres, americanas, brancas , patricinhas e/ou  peruas (   muitas delas  visivelmente  usando  acessórios com  as  mesmas griffes que apareciam no filme e igualmente  com o mesmo mal gosto ...) -  riu.    Menos eu.

É que aquilo me lembrou  daqueles típicos gringos arrogantes , que volta e meia , sabe-se lá por que,  resolvem sair de seus países 'civilizados' de Primeiro Mundo e passar umas férias no Terceiro,  só para  depois poder ficar fazendo este tipo de comentário ridículo  e críticas ao local que estão visitando ,  assim como ao estilo de vida das pessoas nativas. Pois que fiquem lá na sua Manhattan,  no 16ème de Paris ou em Knightsbridge em Londres!   Afinal quem põe o pé  na água,  é porque está querendo se molhar...

 

 

Outra cena:  uma das amigas , depois de se separar ,  vai morar em um bairro de Nova Iorque  menos 'chique' e 'branco' do que o que morava antes , com o marido.  Ao seguir pela rua  à procura do novo endereço e vendo que seu  pequeno filho  está andando na frente,   a mulher me sai com esta:      ' Olhe lá,  meu filho!  Um homem branco segurando uma criança.  Vamos segui-lo.  Deve ser naquela direção...' 

Mais uma vez,  risinhos divertidos da plateia.  E eu, nada.

 

As roupas do filme são outro detalhe. 

Cada uma das principais atrizes -  e em especial Sarah Jessica Parker-  deve trocar de roupas umas 125 vezes .  As griffes famosas pipocam na tela a cada 5 minutos -  Gucci,  Dior, Lanvin, Chanel, Roberto Cavalli...No entanto,  a maioria das roupas e accesórios são de um mal gosto e breguice extremos!  O tal vestido de noiva,  de Vivienne Westwood ,  que Sarah Jessica Parker escolhe para o 'grande dia' é um terror!      ( Noivinha de bolo e ainda por cima com penacho na cabeça! )  

 

Os famosos sapatos Manolo Blahnik , de $ 525 dólares ,  são de um mal gosto  horripilante!  

Realmente,  é incrível como as americanas,  mesmo quando têm dinheiro, moram em Nova Iorque e usam griffes dos maiores couturiers do mundo , ainda assim , conseguem escolher as peças de roupas e os sapatos mais escabrosos! 

  (Que tal esse cinto  estilo 'punk, heavy metal...' - TUDO  a ver com o vestido... E a bolsinha da ' Torre Eiffel' , heim  ?? Arggggggggggh!) 

 

E o meu preferido...( ÉEECCA!!)

 

Santo Cristo ,  pois até a bolsa Louis Vuitton que a Jennifer Hudson ganha de presente no filme consegue ser um HORROR -  com cara de camelô da rua da Alfândega , de quinta! 

Ok,  enough ,  sobre o lado 'fashion'   de Sex & the City...

 

Minha conclusão final:   Não leve,  em hipótese alguma seu marido , namorado ou amigo  ( a menos que ele seja gay...) para assistir esse filme . Ele vai ODIAR e vai deixar o cinema num mal-humor do cão!   (  Felizmente eu tive a idéia de ir  sozinha , enquanto meu marido fazia uns trabalhos em casa...:-)) 

 

O que 'salvou' o filme?  

  1)  algumas ceninhas de 'sexo'  (  coisa praticamente inexistente em qualquer filme americano...) serviram ao menos para sair um pouco da rotina  do típico 'enlatado  yankee' .   Aliás,  penso que para os  3 ou 4 únicos homens no cinema ( que estava lotado!!)  ,  estas talvez tenham sido as únicas cenas que  não foram  uma tortura total...:-));  2)  o personagem de Mr. Big , interpretado por Chris Noth.  Aliás o único personagem realmente  charmoso e BEM VESTIDO no filme inteiro! 

  Com seu tipo físico meio ítalo-americano  ( deve ter ascendência européia , com certeza...) ,  o bonitão nos faz lembrar de Richard Gere,  Al Pacino,  e Robert de Niro nos seus melhores tempos ...:-)

 

Por fim,   pra mim ,  a única cena que realmente gostei e me identifiquei foi  a  do casamento final   -não o primeiro,  cheio de  falso glamour, milhares de convidados , vestido ( fantasia de mal gosto ? ) de griffe famosa  e o escambau !

Aquela união  simples e discreta,   no City Hall,  com APENAS  os dois noivos ,  o vestido de Sarah Jessica Parker ( um mero conjunto cor de pérola e  de griffe desconhecida...)  -   apesar de que,  poderiam ter escolhido algo que lhe caísse melhor...- nada de convidados, amigos, damas de honra, fotógrafos etc.. Mas  apenas  contando com a ( indispensável)  presença do juiz  e dos outros casais.   Isto sim,   eu achei muito mais romântico ,  pessoal e original!   Talvez porque tenha me casado assim... E foi muito legal. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.