Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Americanos que estudam português

Pâmelli, 15.05.08

 

Desde que vim para os E.U. , há cinco anos,  dou aulas de português ( do Brasil) para americanos em mais de um local da cidade.  Tenho alunos no curso informal da universidade ( aberto à população em geral e não apenas aos alunos da universidade...) ,  em um programa para idosos aposentados e , em casa,  para alunos particulares. 

A maioria de meus alunos são americanos - geralmente do tipo 'democrata' ,  quer dizer :  mais liberais ,  menos 'capitalistas' ... Aqueles que não dirigem SUV's ( carros MONSTROS , que engolem litros e mais litros de gasolina por minuto...),  assistem aos filmes de Michael Moore  e , apesar de amarem seu país,  NÃO acham que os E.U. são o único, o maior e o melhor lugar do mundo para se viver.  Seriam , o que poderíamos chamar da ''versão americana do socialista '  - se tal coisa existisse na América...:-))  

 Resumindo:  não são americanos 'típicos' .  Daí o seu interesse em aprender e descobrir ,  entre outras coisas,  uma língua tão sem importância no mundo quanto o português! :-)) ( Pois convenhamos...  Para quem já fala inglês,  seja como sua língua materna ou estrangeira,  o aprendizado de qualquer outra língua no mundo torna-se supérfluo e totalmente desnecessário. A decisão do aprendizado deve-se simplesmente  à  uma curiosidade,  um amor pessoal pelo país, povo ou cultura daquela língua ou ...para  'fazer charme' e ser diferente da maioria das pessoas ... :-)

Todos os meus alunos aqui têm alguma razão específica para quererem aprender português:  uns são casados ou namoram brasileiros e algum dia pretendem visitar o Brasil e conhecer a família de seu/sua companheiro/a ;  alguns têm motivos profissionais para aprender a língua (  a Dell, a maior empresa na cidade ,  tem uma de suas fábricas principais fora dos E.U., em  Porto Alegre , no Brasil...) ;  uns ainda têm um interesse especial pelo Brasil ,  seja porque são missionários,  desejam conhecer o 'Carnival in Rio' ou simplesmente pretendem visitar o país como turistas .

 

Em minhas turmas  há pessoas desde os vinte e poucos anos até idosos de mais de 80.  No curso do "Lifetime Learning" ,  por exemplo,  a mais nova tem 67 e o mais velho 82  !

Há três anos nos divertimos lendo artigos da VEJA,  assistindo à algumas cenas das novelas brasileiras,  aprendendo  letras de alguns  clássicos de Bossa Nova ou simplesmente  discutindo política brasileira e falando mal do Lula!  ( Ah,  minhas aulas preferidas...:-))

Como diz minha aluna Virgínia ( esta , por acaso é  do Panama....),  uma das mais interessadas e divertidas no grupo dos 'meus velhinhos' ( como eu costumo chamá-los...) : 

 

" You give them LIFE!   "  ( Você lhes dá VIDA! ) 

 

E quanto às 'festinhas'  que fazemos no final de cada semestre, heim?  Tudo regado à  muita caipirinha, música e dança!!  Como diz meu marido:  'Se alguem estiver passando na rua naquele momento e ouvir toda aquela algazarra dentro de casa,  JAMAIS  acreditaria que o membro mais novo da turma -  tirando a professora e o marido-  tem  quase 70 anos!  

 

Enfim,  já  no campo dos alunos particulares,  esta semana eu dei a última aula à uma senhora que está de partida para o Rio , já neste final de semana. 

Normalmente ,  apesar da inevitável 'camaradagem' que se estabelece entre o aluno e o professor após algum tempo  tendo aulas juntos,   não costumo me envolver pessoalmente nos assuntos e vida de meus alunos.  Neste caso,  contudo,  abri uma pequena exceção.

É que a situação é a seguinte: 

Minha aluna particular ( vou chamá-la de IG) é americana ( nascida e crescida aqui nos E.U. ). Contudo , pelo seu tipo físico,  certamente  deve ter ascendência mexicana.  Ela tem a pele bem escura,  os cabelos bem lisos e um rosto de feições delicadas, mas bem  hispânico.  Imagino que deva estar beirando os cinquenta anos ( 47? 48?). Ela  tem dois filhos já crescidos , na universidade,   e é bastante matrona de corpo ( não obesa,  apenas gordinha e fora de forma...).  Seu marido acabou de completar cinquenta anos,  é alemão ( bonitão , segundo a foto que ela me mostrou..) e está morando e trabalhando no Rio de Janeiro desde julho do ano passado - sozinho.

O casal morou muitos anos na Alemanha e  no ano passado ele foi transferido para o Rio e apenas agora , nove  meses depois,  ela resolveu se juntar à ele no Brasil...

 

Desde que começamos o programa de aulas , há três meses,  minha aluna , IG,  progrediu bastante  pois além de dedicada aos estudos,  ela já fala alemão e espanhol ,  além do inglês que é sua língua nativa.  Tem portanto jeito para línguas -  bom ouvido, boa retenção , além de ser  inteligente e interessada.

 

Creio que foram vários os fatos que me influenciaram a me 'apegar' um pouco mais ao seu caso.  Primeiro o fato de que ela está indo morar  no Rio e não apenas viajar a passeio.  Segundo o fato de que o marido já está lá há quase um ano. ( Além do mais,  é alemão , assim como meu ex-marido. )  Terceiro,  por alguma razão, ao invés de acompanhá-lo logo que ele foi transferido para o Rio , há quase um ano,   ela preferiu ficar aqui nos E.U. , perto de sua família.

Com o passar das aulas e a medida em que fui descobrindo mais sobre sua 'situação',  cheguei a conclusão de que de início ela não estava muito animada para ir  para o Brasil-  e creio que tambem não teve muito incentivo do marido para se juntar à ele na 'Cidade Maravilhosa'   ( 'Calamitosa',  hoje em dia??)

 

A verdade é que até agora minha intuição não me diz muito boa coisa do tal alemão e meu sexto sentido raramente se engana.  Pequenos 'indícios' aqui e alí;  um comentário inocente de minha aluna sobre o marido ou algo que ele fez ou disse...Uhm......Não sei não.

Minha primeira impressão é de que o homem é um pão duro de marca maior.  ( Aliás,  sendo europeu,  isto é quase uma garantia...) A segunda é que é do tipo de homem que gosta de rebaixar a mulher e fazê-la sentir-se inferior e desprestigiada. (uma coisa que me irrita profundamente e com a qual convivo muito mal , mesmo que não tenha relação direta comigo...)

Digo isto porque logo na primeira aula que lhe dei,  IG me perguntou se eu lhe indicava algum material extra que pudesse usar para complementar as aulas em casa e, quando lhe sugeri dar uma olhada no programa de computador "Rosetta Stone" , que  sempre ouvi dizer ser muito bom...,   sua resposta foi:  " Mas será que não é muito caro...?"

Ora,  seu marido,  pelo que me conste, é um dos diretores de uma companhia de petróleo no Rio de Janeiro!   É certo que deve ter um excelente salário.  Portanto a primeira coisa que pensei foi:  o espertinho deve deixar a pobre coitada à mingua aqui , enquanto que no Rio,  como todo bom gringo ,  deve estar gastando os tubos com a piranhada local...

( Minha aluna é 'dona de casa'  e portanto totalmente financeiramente dependente do marido...)

 

Mas isso não foi NADA  comparado ao que  ela me disse,  outro dia:  

"Meu marido me disse que lá (  no Rio...) ,  quando olharem pra mim  as pessoas vão pensar que sou empregada doméstica..."

O que??!   Que tipo de homem diz  uma coisa destas à própria mulher?  A mãe de seus dois filhos?!   Quase pulei da cadeira de tão indignada!  

 E eu aqui,  há semanas lhe dando aulas, lhe incentivando,  lhe dando  dicas do que fazer e como aproveitar melhor sua estadia  no Brasil  ,   animando-a ( já que sua ida agora é certa e decidida),  ajudando-a a se livrar das inseguranças e preocupações com a aparência ( o peso,  as cicatrizes na barriga por causa de duas cesarianas..etc..).  E o homem me sai com uma dessas!!

 

- De jeito nenhum !  -   disse-lhe .  -  Pra começar,  você nem tem cara de brasileira.  Mais parece mexicana.  Logo vão ver que é estrangeira.  Além do mais,  no Brasil o que importa  não é a aparência  física  mas principalmene  como você se apresenta.  Deve se vestir bem, principalmente à noite, quando fôr ao cinema em um shopping mais badalado ou jantar fora em um restaurante melhor...

 

E deitei a lhe recomendar algumas das melhores ( e mais caras !) lojas da cidade -  assim como salões de beleza, academias de ginástica,  esteticistas , dermatologistas etc..etc...

Até  o nome de duas lojas de trajes de banho mais tradicionais e para mulheres não tão jovens,  mas de griffes  locais famosíssimas eu lhe dei !   :-))

 

-Afinal,  se não quiser usar biquini  na praia  tudo bem.  Mas  então compre um maiô inteiro bem chique e moderno , em uma destas duas lojas. Mas prepare a carteira , porque baratas não são... - completei.

 

Ela concordou com tudo  e disse que vai seguir minhas sugestões à risca.  Disse-lhe tambem que fizesse  logo a assinatura da VEJA ,  ' para saber tudo de bom que acontece na cidade durante a semana.'   Lhe falei sobre o elegante bairro onde ela vai morar,  de frente para o mar.  Do shopping mais chique  e  badalado da cidade,  que fica a poucos metros dalí...  Dos melhores restaurantes, os teatros, os shows e programas culturais que a cidade tem a oferecer.  

 O resultado é que agora ela está bem animada com a viagem iminente.  ( Naturalmente eu não lhe falei sobre a  epidemia de dengue e  a concorrência desleal feminina local pois afinal , acho que ela já recebeu bastante desincentivo do marido !!  Contudo,  não pude deixar de lhe dar  algumas dicas importantes para sua própria segurança...)

 

O alemão ,  por outro lado ,  lhe disse que quer 'me conhecer'  antes de partirem de vez para o Brasil.  ( ele está aqui esta semana...) .  Com certeza deve estar imaginando que RAIO  de professora é essa que,  de repente,  conseguiu animar  sua  mulher a se juntar à ele no Rio  e , ainda por cima , lhe dar um MONTE  de dicas de  ' como ela deve  gastar o  dinheiro DELE  por lá !! :-))

( Ora bolas,   se ele não gastar com a própria mulher,  é certo que vai  acabar gastando com a mulherada local - se é que já não está fazendo isso ...)

 

Enfim,  na sexta  vamos sair para  jantar fora -  eu , meu marido, ela e o alemão. 

Confesso que já estou  mais do que implicada com o tipo, antes mesmo de conhecê-lo.  ( A ultima  do chucrute foi  dizer à ela que ela estava dizendo  a palavra 'EU' errado.  ( E ela tem ótima  pronúncia  e  muito pouco sotaque! )   Pode? ! 

 Disse -lhe que se pronunciava assim:   'Eeuuuuuuuuuuu' ... 

 Pensei comigo:  "  É ,  só se fôr lá com as  nega dele ..."

 

Ok ,  prometo tentar me conter.  Mas é bom ele não tentar ficar botando a mulher pra baixo na minha frente. 

No que depender de mim,  a estadia de IG no Rio vai ser inesquecível.  Afinal ela vai estar morando em um super apartamento  com vista para a  Praia de São Conrado :-)   e já teve todas as dicas culturais,  gastronômicas, de costumes,  lazer e segurança que precisa.

Esse alemão , se está pensando que a mulher  vai ficar trancafiada em casa , dando uma de doméstica enquanto ele cai na gandaia por lá, está  redondamente  enganado...

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.