Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Leis absurdas - com muito blábláblá e pouca objetividade

Pâmelli, 22.03.09

 

Hoje meu marido recebeu um telefonema de um rapaz mexicano que pintou parte de nossa casa há coisa de uns três  anos atrás.  O rapaz queria avisar que 'estava de volta'  e saber se precisávamos de seu trabalho novamente. ( Nós até ficamos satisfeitos em saber que podemos voltar a contar com seus serviços  no futuro...)

O intrigante nesse caso,  contudo,  é que o tipo havia  sido deportado e mandado de volta ao México  pouco mais de um ano atrás!  (   Eu soube do caso através  de minha ex-faxineira , que era brasileira , igualmente ilegal - aliás foi deportada no final do ano passado...-  e que tinha tido um romance com o tal pintor...)

O fato é que agora ele já está de volta aos E.U. ( certamente deve ter cruzado a fronteira através do Rio Grande com a ajuda de algum 'coiote'...)  - ou seja: esse controle que é feito nas fronteiras entre o México e os E.U. é realmente uma piada!!

Agora eu me pergunto:  por que o governo americano não legaliza de uma  vez essas pessoas que já estão morando aqui há anos,  têm trabalho , clientes fixos etc...??

Dizem que são mais de 12 milhões!

E não,  eles não estão tirando o trabalho de nenhum americano.  Ninguem aqui ( a não ser os imigrantes ilegais) quer ser pintor de paredes!  No máximo,  vemos pessoas pintando a PRÓPRIA  casa para não ter de pagar alguem para fazê-lo ,  mas eles mesmos não querem ter isso como trabalho.

Eu até entendo a idéia de construírem o MURO entre os dois países para impedirem que mais imigrantes ilegais entrem no país.  Mas quem já está aqui trabalhando , há anos,  deveria poder se legalizar. Afinal eles JÁ ESTÃO AQUI !  Já têm trabalho,  pagam aluguel, fazem compras diariamente  e  indiretamente até pagam impostos sobre os produtos que compram.   Aliás, se fossem legalizados , passariam  a pagar impostos como todo o mundo - o que seria ótimo para o  país , que anda inclusive,  MUITO  precisado de novas fontes de renda...

 

 

Por outro lado ,  outro dia quando fui fazer compras no supermercado ,  veja só o que vi:

(Fiz questão de tirar uma foto pois acho isso o cúmulo ; o verdadeiro  fim da picada!)

O desgraçado simplesmente se apossou de DUAS vagas no estacionamento ,  assim,  sem mais nem menos. Pronto.

Um cara desses deveria ser multado em pelo menos mil dólares e ter o carro guinchado!

Aliás eu vejo isso frequentemente em estacionamentos públicos  por aqui e quase sempre são estes os tipos de carros que fazem este tipo de sacanagem com os outros  : pick ups,  SUV's e outras monstruosidades do gênero .

Não sei por que , mas até o dia de hoje  nunca  vi um carro  de tamanho 'normal' ,  ou mesmo um  Mercedes,  um Porsche ou um BMW  'clássico' fazendo uma coisa destas...

Tambem são estes mesmos os motoristas que costumam ficar com o nariz grudado em nosso traseiro,   buzinando  histéricos  ,  mesmo quando o sinal  em frente  diz  'Yield on green'  ( o que quer dizer que você TEM a opção de seguir , mas não é obrigado já que não tem a preferência  - , e eu , pessoalmente,  prefiro seguir quando tenho a flecha verde me dando  a preferência...)

Esses biltres realmente se acham os DONOS DO MUNDO  e estão se lixando para os outros!

 

Sinceramente,   me parece que a Lei anda severa demais com alguns e de menos com outros. 

Quem sabe não chegou a hora de considerarmos o vigésimo oitavo ( para tratar do problema da imigração)  e vigésimo nono  ( para lidar com motoristas DESTE tipo !) amendments  na Constituição Americana...??

 

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.