Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

A implicância com os cariocas

Pâmelli, 29.04.08

 

É duro ser carioca.

Como se não bastassem todos os infortúnios que o povo do Rio de Janeiro  já passa diariamente -  a violência ,  o trânsito horroroso,  a  epidemia de dengue...-  ainda por cima temos de conviver com a implicância e o preconceito dentro de nosso próprio país!

 

Antigamente a pinimba era só com os paulistas , que gostavam de dizer que os cariocas eram 'vagabundos' e que não gostavam de trabalhar...  Uma grande injustiça,  diga-se de passagem ,  pois depois dos próprios paulistas,  ninguem  no Brasil trabalha mais do que os cariocas.   Aliás,  não é porque o povo do Rio  ' vive na praia e coçando o saco o dia inteiro...',  que  sua  cidade  é a  SEGUNDA  principal  economia do país -   em indústria, PIB , comércio etc...etc...  Sem  falar no maior centro turístico do Brasil ! ( Sim,  apesar dos pesares,  o Rio AINDA é a cidade mais visitada  pelos turistas...) 

Mas o fato é que a implicância generalizada com o carioca é real e muito tangível.

 

Existem ,  ao meu ver,  basicamente  duas razões para isso. 

A primeira é um certo complexo e inveja por parte dos brasileiros  das outras cidades e regiões  ;  a segunda  é um  verdadeiro  'desprezo'   pelo povo carioca e seu estilo de vida.

 

O complexo e a inveja vêm do fato de que ,  ao contrário das outras cidades no país, o Rio  É a mais conhecida e a única que realmente é famosa fora do Brasil.  ( É bem verdade que nestas útimas 3 décadas a maior parte da publicidade que a cidade recebe na mídia é negativa , mas ainda assim...Como diria  o velho Oscar Wilde:  "  Só tem uma coisa na vida pior do que falarem mal de você.  É simplesmente NÃO falarem de você! "  :-))  ( There is only one thing in the world worse than being talked about, and that is NOT being talked about.) 

Mesmo a pessoa menos viajada  e mais ignorante do mundo já ouviu falar do Rio de Janeiro e sabe que a cidade fica no Brasil.  ( ou pelo menos acha que é na Argentina...:-)))   O mesmo já não se pode dizer de nenhuma outra cidade  do Brasil  -  seja ela turística,  histórica,   chique e 'européia' , rica ou ' cidade modelo'  ...  Quem na Indosésia,  na Irlanda , no Texas, ou na Espanha  alguma vez já ouviu falar em Ouro Preto?  Em Salvador?  Em  Blumenau, Curitiba ou Porto Alegre? Já o Rio  todo o mundo 'conhece'  ou pelo menos já  viu alguma foto do Cristo Redentor,  reconhece a melodia de  'Garota de Ipanema' ou  ,na pior das hipóteses,  assistiu  à algum noticiário escabroso sobre turistas sendo assaltados em Copacabana ou balas perdidas em alguma favela da cidade !  ' Seja como fôr,  o Rio,  de uma maneira ou de outra ,  volta e meia aparece nas manchetes dos principais jornais do mundo e isso é algo que  deixa muita  gente  no país ( pasmem! ) invejosa e complexada!

 

Existe ainda um outro detalhe,  que atualmente poucas pessoas se lembram , mas que é fato histórico e inegável :    o Rio é a ÚNICA cidade no Brasil inteiro que , um dia ,  há muitos anos atrás,  teve um passado glorioso! 

Sim,  estou falando da década de 50 e do começo dos anos 60...  - tambem conhecida como os 'Anos Dourados'  da história do Brasil e , especificamente da capital carioca -  que aliás, na época,  era tambem a capital do Brasil. 

 Viver no tempo de JK no Rio de Janeiro foi um privilégio. 

A capital  era linda,  despoluída,  glamorosa e praticamente sem violência.  ( Talvez existissem  apenas duas ou três pequenas favelas na cidade então , e assim mesmo,  eram longe dos bairros bons da Zona Sul;  além do mais,  naquela época não existiam as gangues de tráfico de drogas atualmente com os seus 'quartéis generais'  sediados nos morros cariocas...)

Foi no Rio que surgiu a Bossa Nova. Aliás,  não  foi a toa que , naquela época , Tom Jobim conseguiu fazer algumas das músicas mais lindas cantando as belezas e o charme daquela cidade à beira mar, pois mesmo com todo o seu inegável talento,  fosse hoje em dia ,  o compositor dificilmente  teria tido a mesma inspiração...

O célebre Copacabana Palace então recebia hóspedes com os seguintes nomes:  Marlene Dietrich, Ava Gardner, Sammy Davis Jr,  Gina Lollobrigida,  Alain Delon,  Brigitte Bardot,  Kim Novak,  Gene Kelly,  Romy Schneider ,  Rudolph Nureyev e por aí afora... Afinal,  quem era ALGUEM  no mundo,  nas décadas  de 50 e 60 ,  viajava para Paris, Roma , Nova Iorque ...E  tambem para o  Rio de Janeiro!

 É claro que tudo isso mudou e agora faz parte do passado.  Mas é um passado de glamour , de história,   de charme  e fascinação -  uma coisa que nos 500 anos de história de Brasil ,  até os dias de hoje,  APENAS  a cidade do Rio de Janeiro conseguiu gozar .    Isto é outra  coisa que  tambem incomoda muita gente. ...

 

Por fim,  existe o desprezo genuíno por parte de muita gente .

Muitos brasileiros  desaprovam a maneira de ser do carioca e gostam de generalizar dizendo que as pessoas do Rio são TODAS  fúteis, superficiais, narcisistas, desonestas e vulgares.   Que os homens são 'vagabundos'  e que as mulheres são todas umas 'galinhas' ... Até nas novelas da televisão brasileira o retrato  pintado da sociedade carioca   não é muito diferente.

 

Alguns anos atrás,  quando dava aulas de inglês em plataformas de petróleo,  costumava ir à Vitória , no estado do Espírito Santo , de quinze am quinze dias.  Certa vez tivemos de ficar alguns dias on-shore ( ou seja:  em terra  ) pois estávamos participando de um curso sobre 'Meio Ambiente'.    Então uma tarde resolvi dar um pulo até o shopping local . 

 Quando voltei,  comentei com minha colega ( a operadora de rádio da plataforma, que tambem era carioca...) ,  que  'não tinha achado o povo capixaba muito simpático...'  

 

-É verdade.   -  respondeu ela.   -   E quando eles vêem que somos cariocas ,  aí é que fecham a cara ainda mais !   

 

Claro que o meu sotaque havia me denunciado.  Afinal o  modo de falar  carioca é bem característico :  somos praticamente o único povo no Brasil que tem o 'chiado' dos portugueses,  além do RR forte dos franceses...  ( E  verdade seja dita, - e não digo isso por parcialidade mas como professora e estudiosa de línguas....- ,  quando não é excessivamente carregado ,  o jeito de falar do Rio  é , sem dúvida , o mais charmoso de todo o país .  Não sou apenas eu que acho,  mas várias pessoas com quem já conversei ,  inclusive vários estrangeiros que estudam português  ( do Brasil) aqui na América.

 

 

Mas , voltando ao assunto da implicância e só para citar mais um exemplo:

Outro dia meu marido estava em um outlet mall aqui da cidade  e ouviu alguns rapazes falando português na loja.  Estavam vestidos de policiais em treinamento pela SWAT e fazendo várias compras antes de voltarem ao Brasil.

Depois de conversar um pouco com um deles na fila do caixa e comentar que era casado com uma brasileira,  o rapaz resolveu  lhe apresentar   alguns de seus colegas.

 

-Aquele alí é do Rio Grande do Sul... O outro é  de Minas Gerais.   -  E completou:  -  Esse aqui é o Fulano ,  que  é carioca.  Mas ele é gente boa... 

 

Que tal?  É como se,  depois de afirmar que alguem é carioca,  ( um amigo, parente ou colega...)   seja preciso justificar e  completar dizendo   :    "Mas ,  tudo bem.  Esse aqui,  por acaso ,  não é pilantra...) !

 Quando chegou em casa aquele dia,  meu marido me disse entre  meio divertido e surpreso:

 

"Bem que você me disse que os brasileiros não gostam dos cariocas..."

 

***

 

Alguns dias atrás , estou eu na academia malhando ao lado de meu colega  de 'stair master' Jerry que,  ao se despedir de mim,   disse: 

 

"Boa viagem e divirta-se!"

 

Ao seguir  em direção à sala de alongamento para terminar minha série,  ouvi quando uma outra colega perguntou ao meu amigo:

 

-Para onde ela vai?

 

-Vai passar a semana da Páscoa em casa  ( at home),  com a família  no Rio...

 

Dois minutos depois ,  quando já estou me alongando na salinha ao lado, de repente entra uma moça de uns  trinta anos,  americana,  loira e muito atraente.   Imediatamente ela me pergunta:

 

-Você é do Rio? 

 

Meio surpresa eu respondo:

 

-Sou sim...

 

-Ah!  Meu marido e eu estivemos lá no ano passado para ver o espetáculo do Carnaval.

 

Pronto.    Lá vem bomba  !  -  pensei.  -  A mulher agora vai me dizer que os dois foram assaltados em plena Praia de  Ipanema...

 

Mas , para a minha surpresa ela continuou assim :

 

- Adoramos  o Rio e o povo lá.   Todos foram tão simpáticos  e gentis conosco.  ( Imagino que isto não deva acontecer todo dia na vida de turistas americanos viajando para o exterior ,  ainda mais nesta  era , da política externa Bush...)   Tivemos umas férias maravilhosas! 

 

Ufa.   Pelo menos isso. -  pensei,  respirando aliviada.   Então respondi: 

 

-Fico contente em saber que vocês tiveram umas férias tão boas por lá... 

 

Naquele momento eu senti que nem tudo no Rio  está  totalmente perdido.

Ainda restou alguma coisa de bom. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

7 comentários

Comentar post