Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Cada macaco no seu galho

Pâmelli, 30.01.09

 

Eis um ditado muito brasileiro,  muito popular e muito verdadeiro!

E esta semana eu tive mais uma prova disto.

 

Outro que eu tambem gosto é o que fala em ' atirar pérolas aos porcos...'

As duas imagens extremas - a das 'pérolas'  e a dos 'porcos' ( com todo o respeito pelo suíno, que quando novinho é até muito bonitinho ...:-)  são perfeitas.

 

Mas afinal , do que é que estou falando? 

 

Estou falando de quando uma pessoa , de repente,  se vê em um ambiente totalmente ERRADO ( nota:  errado para ELA, mas não necessariamente ruim em si...),  rodeada de elementos que não apenas não a enriquecem intelectualmente  e complementam espiritualmente ,  mas pior , que lhe desgastam,  lhe desagradam,  lhe empobrecem o espírito,  lhe irritam e deprimem!

 

Imaginemos  por exemplo umas folhas de manjericão -  bem verdinhas e fresquinhas, com aquele cheiro gostoso e tão  característico da planta.

É o complemento perfeito para uma salada de tomates e muzzarela ( a famosa 'salada caprese' ); ou quem sabe simplesmente cortadas em tiras fininhas  e salpicadas sobre um belo prato de ravioli ao sugo?   Definitivamente o casamento perfeito!

Mas se pusermos aquele mesmo manjericão sobre um prato de feijão com arroz...Ou quem sabe,   sobre uma bola de sorvete de creme...EEEECA!  

 Que combinação mais desgraçada.  E o pior:  a infeliz associação vai acabar por estragar o gosto do arroz e feijão , assim como o do sorvete  !

 

Pois então.   Para continuar com a metáfora culinária...

Esta semana o manjericão ( Eu! lol) de repente me vi em dois lugares diferentes e no primeiro ( que chamaremos do 'Feijão com arroz' )  minha visita foi um fiasco total.  Já no segundo ( que chamaremos de ' Ravioli ao sugo'  :-))  o encontro foi extremamente agradável , além de proveitoso.

 

No primeiro caso eu tinha um encontro marcado com a dona da única loja brasileira que existe em nossa cidade. ( Trata-se de uma espécie de ' mercearia chique' , já que o lugar vende um pouco de tudo o que os brasileiros gostam,  usam  e costumam sentir falta quando estão no exterior.  Coisas como pão de queijo,  farinha, arroz e feijão de marcas brasileiras,  requeijão, guaraná,  bombom 'Sonho de Valsa' e é claro, café brasileiro!  ( Na América 90% é colombiano...:-(  

 Além de alguns artigos de bijuterias,  C.D.s de cantores brasileiros, produtos do Boticário e Natura,   biquínis e havaianas...)

O propósito do encontro era para discutirmos sobre a venda de meu livro na loja ( afinal se trata de um 'romance brasileiro' :-)) e um possível  coquetel  que ofereceríamos para a divulgação do 'produto'...

 

Bom,  pra começar a dona ( que me conhece)  se esqueceu do compromisso que tinha marcado  comigo e não apareceu na loja!   Então, após  se desculpar pela gafe por telefone ( e eu já na loja!) a figura me pede para  falar com uma de suas vendedoras - Mais precisamente a  'mocinha do caixa' ,  sua sobrinha e segundo ela:   'a pessoa encarregada de toda a parte de marketing da loja. '

Ah , eu adorei esta parte do ' marketing da loja' ...

 

Dá para imaginar o diálogo que se seguiu?

 

Por um momento cheguei a me sentir a própria  feirante ,  tentando  vender mais um saco de 'Arroz Tio João'  ou ' farofa Yoki' para sua loja! 

A moça,   que na melhor das hipóteses deve ler as fofocas da revista 'Contigo'  ou folhear as fotos dos ricos e famosos na 'Caras' ,  ao me ouvir falar sobre o projeto do lançamento do  livro, só  me olhava com uma expressão de total tédio e desinteresse. 

Afinal, após uma 'entrevista' de uns dez minutos, ( em pé ao lado do caixa)  ,   deixei a 'mercearia chique  '  convencida de  que havia perdido meu tempo e gasto minha gasolina e latim a toa!  Que pobreza.

Bem,  este foi o encontro do  'Manjericão com o Feijão com Arroz' ... :-(

 

Então hoje lá fui eu ,  agora para um outro  encontro -  desta vez  com um dos coordenadores do Brazil-Center de Austin. 

Há alguns dias atrás eu havia lhe enviado um e-mail lhe falando sobre meu projeto -  ao que ele não apenas respondeu prontamente, mas me convidou para um café da manhã hoje com alguns membros do Center.

O Brazil-Center costuma promover vários eventos culturais na cidade -  desde palestras,  filmes, exposições ...inclusive a maldita festa do Carnaval , que eu tanto odeio.

Pois bem.  Depois do fiasco de ontem,  foi com o pé atrás  que segui para o café  no campus da Universdade do Texas, onde o grupo se reuniria para o breakfast hoje de manhã.

 

Mas alí a coisa se passou de maneira MUITO diferente!

O coordenador, ao se inteirar melhor do assunto do livro ,  logo se entusiasmou e já se prontificou a marcar um evento para o lançamento , assim que o livro estiver publicado.

O rapaz  , que faz mestrado em arte e educação na Universidade do Texas,  me contou sobre seu trabalho no Museu da Chácara do Céu quando ainda estava no Rio .  Discutimos sobre Picasso e Portinari ,  assim como o roubo que ocorreu no museu há algum tempo atrás.

De meu lado direito uma estudante de arquitetura , original de Porto Alegre ,  acabava de chegar de sua aula de tênis no campus.  Do outro, um professor  americano de Statistics , simpático e falando português muitíssimo bem,    me contou sobre a enorme comunidade de pescadores portugueses que existe em sua cidade natal -  San Diego.  O Professor mostrou-se  igualmente interessado no projeto do livro e no final convidou a todos  os presentes para  um almoço em sua casa no sábado.  Havia ainda uma  socióloga ,  recém chegada   de São Paulo (  uma de suas alunas na universidade)  ,  um psicólogo de Belo Horizonte , atualmente fazendo  o seu mestrado   e uma moça de São Francisco,  formada em Latin American Studies e fluentíssima em português.  Todos simpáticos, todos animados e  muito preparados!

 

Em suma:  o café da manhã foi muito agradável,  meu encontro com o coordenador do B.C. muito proveitoso e eu saí dalí com a alma e o espírito leve e enriquecido.

Ou seja:  O encontro do manjericão com o ravioli al sugo foi uma ótima combinação e  aqueles  dois velhos ditados nunca  me pareceram tão verdadeiros.

 Enquanto caminhava pelo campus de volta ao meu carro no estacionamento eu pensava:

"Ontem eu atirei pérolas aos porcos.  Hoje a estória foi outra."

Cada macaco no seu galho...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.