Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

A França romana e medieval...

Pâmelli, 16.10.08

Mas , deixando as mazelas cariocas pra trás ,  voltemos aos dias que passamos na França...

 

Após Sête,  seguimos para Carcassonne  ,  que eu sempre tive  vontade de conhecer.

Descobrimos um hotelzinho ao pé do morro ,  bem próximo à entrada da cidadela.

 

Carcassonne é uma cidade para se passar ao menos um dia inteiro e noite. 

Um verdadeiro cenário de conto de fadas,  no seu auge,  ( lá pelo Século 12) ,  foi governada pela família Trencavel, que construiu o castelo e a catedral da cidade.

Tudo foi  divinamente restaurado pelo arquiteto francês Violet -le- Duc no Século 19.

 

Uma vez dentro da cidadela,  visitamos o castelo  ( foto)  ( Chateau Comtal),  a basílica de St. Nazaire ( em estilo românico e gótico) e passeamos por entre as várias lojinhas de suvenirs,   cafés e restaurantes turísticos da cidade. 

 Fizemos um pit-stop em uma crêperie ( restaurante de crêpes) na hora do almoço   e à noite comemos  em uma brasserie  chamada "Le Donjon"   (o lugar parece um 'donjon' moderno e estilizado...:-)) ,  próxima à entrada do castelo.   

( Nome muito  apropriado aliás ,  já que  donjon  se refere à torre central dos castelos medievais  -que frequentemente tinha uma prisão!  - daí o nome dungeon em inglês...)

 

Em seguida ( já a caminho de Avignon, onde deixaríamos o carro no dia seguinte, antes de seguirmos de trem para Paris...)  partimos para Narbonne  ,  outra cidade fundada pelos romanos no sul da França.

Ao contrário de Arles ,  Narbonne hoje tem muito pouco do que restou daquela  época . 

 Ainda assim,  no centro antigo e medieval da cidade,  pudemos visitar o Museu Arqueológico e da Pré-História (  que mostra  boa parte da herança romana de Narbonne ) ,  descobrimos a  'ruína'  de uma antiga rua  ( via) romana   ( na foto)

 

 

e visitamos o Horreum - um conjunto subterrâneo do Século 1 a.c. ,  que era usado  como armazém ,   já que Narbonne era naquela época  um importante porto e a capital da província romana na Gália. 

 

Resolvemos então seguir para Nîmes ( afinal eu queria fazer o 'triângulo romano'  :-)) - Arles, Nîmes e Narbonne) ,  já que a cidade fica bem próxima de Avignon, onde deveríamos chegar no dia seguinte.  

(Eu havia estado em Nîmes  igualmente no ano anterior e tido  a oportunidade de conhecer o enorme anfiteatro , assim como o templo da Maison Carrée - ambos da época romana .)

 

Já passava das 8 da noite quando chegamos lá.  Deixamos o carro no hotel e seguimos à pé até a área nos arredores do anfiteatro a procura de um restaurante. 

No dia seguinte começariam as ferias   ( os festivais e touradas) de Nîmes e a cidade  já estava cheia de turistas . 

Conseguimos  o último quarto do hotel -  o único que  tinha sobrado e  que era  sem chuveiro no apartamento  , apenas no corredor!!.  Ainda assim demos sorte de encontrar um lugar pra ficar  no centro turístico da cidade,   já que não tínhamos feito qualquer reserva .

 

O passeio à noite pelo centro de Nîmes em direção ao restaurante que nossa recepcionista recomendou foi muito agradável  e àquela hora da noite o anfiteatro romano  me pareceu ainda mais impressionante.  ( O de Nîmes é ainda maior e  está mais bem preservado do que o de Arles...)

 Nosso jantar  aquela noite  foi um dos melhores que tivemos  na França : 

 O lugar se chamava  "Le Cheval Blanc"    ( Cavalo Branco) - afinal a Camargue não estava muito longe dalí. :-)) ... E tanto o gazpacho quanto o foie-gras estavam de tirar o chapéu! 

Adorei especialmente os quadros nas paredes ( bem modernos, lembrando um pouco Picasso) .  O ambiente é no  estilo 'casual-elegant' ( chique sem frescura)  e o lugar, apesar de  bem animado ,  não deixa de ser romântico.  O preço, contudo,  é um pouquinho salgado - principalmente para quem ganha em dólar hoje em dia...  :-(  ( MANY THANKS  George W. Bush for f*cking*&%up the economy!! )

 Anyway,   assim encerramos nosso tour pelo sul da França .

 

 

No dia seguinte pegaríamos o TGV ( o trem bala francês)  rumo à Paris, onde ficaríamos apenas 3 dias , antes de retornarmos aos E.U... 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.