Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Ainda ao longo do Rhône...

Pâmelli, 27.09.08

 

 

 

 Vienne foi uma gracinha.  E não -  não estávamos na capital da Áustria , e sim em uma pequena cidade histórica na região do Vale do Rhône na França.

 

O pequeno povoado foi invadido pelos romanos no Século 1 antes de Cristo e ainda daquela  época podemos visitar hoje,  entre outras coisas ,  o templo de Augusto e Lívia  ( em ótimo estado!) , assim como o teatro romano ao pé do monte Pipet, onde subimos com o grupo em um trenzinho...:-)  Este foi um dos maiores anfiteatros romanos da França, podendo acomodar mais de 13 mil espectadores!  Hoje é usado para  uma variedade de eventos , incluindo um festival de  jazz em julho.

De cima do morro há uma vista excelente da cidade, incluindo as ruínas de um castelo...

 

 

Ainda outra construção belíssima em Vienne é a Catedral de St. Maurice - um monumento medieval , construído entre os séculos 12 e 16.  O estilo é uma mistura do românico e gótico.

 

Já a cidadezinha de Tournon-sur-Rhône eu achei bem sem graça.

Não sei quem foi que programou nosso dia alí mas , pessoalmente,  achei ridículo ao invés de  nos levarem para conhecer o castelo da cidade ( uma construção do  Século XV  e que hoje abriga o museu de história local...) ,  fazerem com que visitássemos uma loja ( bem sem graça , diga-se de passagem...) de chocolates às 10 HORAS DA MANHà e depois um museu com pinturas de um artista local ,  completamente sem interesse e totalmente desconhecido do público em geral .

 É verdade que o tempo tambem não ajudou , já que estava nublado e chuviscando...

O que 'salvou' o dia,  foi quando fomos para o outro lado do rio ( ponte)   visitar o povoado de Tain l'Hermitage, famoso por seus vinhedos,  onde pudemos fazer uma degustação de alguns dos melhores Côtes du Rhône.

 

Algumas horas mais tarde chegamos à Viviers, onde teríamos  uma 'excursão à pé noturna'  ... ( Isto  lá  é coisa que se invente de fazer com um grupo de velhinhos ??!   Realmente ,  o Viking deveria escolher melhor a pessoa encarregada de planejar os passeios e excursões  do cruzeiro...)

Enfim,  aquilo  deveria ter sido meio pitoresco , mas a programação teve de ser mudada de última hora já que a chuva tinha aumentado e agora incluía relâmpagos e trovoadas espetaculares!  ( Pra mim tudo bem,  desde que eu não esteja em um avião...lol)

 

A nossa 'animadora de bordo' , Claudia ,   era austríaca (  Os europeus do norte que me desculpem,  mas acho que 'animadores de bordo' deveriam sempre ter sangue latino...Quer dizer,  QUENTE :-)) ; Quer  dizer  ANIMADO !!  -  Quem sabe um  italiano,  um argentino ou até um  brasileiro!  lol ) .

A moça   tinha uma vozinha de dar sono e um risinho sem graça insuportável . ( Tanto meu marido , quanto  um senhor da Carolina do Norte , que gostava muito de sentar-se conosco,  reviravam os olhos cada vez que a moça pegava no microfone...:-))

Enfim,  Cláudia ,  que era ainda nova na tripulação do Viking , ao anunciar o cancelamento da programação noturna em Viviers , resolveu informar  igualmente aos viajantes de que ' as usinas nucleares da região estavam em alerta por causa do temporal...' 

 Aquela noite acho que teve muito velhinho a bordo que não dormiu direito.  lol

É que , conforme nos disse o gerente do hotel/navio na noite do jantar do Capitão:

 

" Nossa animadora de bordo deu mais  informação do que os turistas precisavam  saber.    Mas a moça é  nova no trabalho e ainda inexperiente... "

 

O pior , pensei,  era a vozinha e a risada.

ISTO,  com certeza,  não vai melhorar com a idade nem a experiência...

 

 

Lá fora , durante o dia , a paisagem era sempre serena . De vez em quando avistávamos um castelo ou mansão à beira do rio.  

 

 

 Volta e meia passávamos por uma usina nuclear   e frequentemente por um dos 'locks'  ( comportas ??). 

Interessante aquilo.    Abre porteira,  fecha porteira.  Sobe  o nível do rio  ,  desce  o nível...

Mas pra dizer a verdade , nunca consegui entender direito o mecanismo do negócio.  Coisa de engenheiro, construtor ... - ou pra quem gosta de números , cálculos etc..  Yuk !

 Como de hábito,  eu preferi me concentrar na comida,  nos passeios, na história ,  nos castelos e ruínas locais.

E , é claro,  nos vinhos...

 

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.