Terça-feira, 31 de Maio de 2011

Explorando a Costa Leste (Segunda parte)

 O dia que passei em Washington D.C. foi bem diferente do que passei em Baltimore.

Tudo começou às 7:30 da manhã  quando peguei o commuter bus, de Columbia para a capital americana. ( Para quem não sabe ,  os commuter buses geralmente levam passageiros da cidade onde moram, para a que trabalham. Daí que só funcionam de segunda à sexta e saem bem cedo pela manhã,  retornando no final do dia…).

 

Cerca de uns cinco anos atrás, quando passei dois dias em Washington, conheci os principais pontos turísticos da cidade. Portanto desta vez,  resolvi aproveitar para descobrir pelo menos UM de seus magníficos  museus :  o de História Natural.

 

O ‘Mall’ ( nada a ver com a expressão inglesa que designa um shopping center...) é um gigantesco ‘boulevard’ de um quilômetro e meio  de extensão , todo gramado e rodeado dos grandes museus da capital: a National Gallery, o Museu do Ar e do Espaço, o de Arte Africana , o de História Americana e naturalmente, o de História Natural.  Tudo faz parte do fantástico Smithsonian Institution.   

Foi naquele ponto da cidade onde desci do ônibus ( alias, diga-se de passagem, MUITO  confortável; do tipo ‘Frescão’, com banheiro e tudo…),  a poucos metros do museu.

 Uhm... {#emotions_dlg.bunny}  pensei; já que falta ainda uma hora até abrirem as portas,  por que não dou uma caminhada ao longo do ‘Mall’ e exploro algum monumento não muito longe dalí?? Afinal , Washington é, por excelência, a cidade dos museus e monumentos. São tantos, e cada um mais bonito e imponente do que o outro!

 

O Museu de História Natural  fica,  na verdade,  bem no MEIO do Mall.  Então, olhando para um extremo, lá no fundo,  pude avistar o Capitólio – o belíssimo prédio em estilo neoclássico e o maior símbolo da democracia no mundo .  Já do outro lado, avistei  o enorme obeliscoque faz parte do Monumento dedicado à George Washington – o primeiro Presidente dos E.U. 

 

Que dúvida cruel!  Em que direção devo caminhar?? - pensei.

Afinal só tenho uma hora até abrirem o museu...

 

Então, ao dar uma olhada melhor no meu mapa,  percebi que depois do Washington Monument , ficava o Memorial do Lincoln!

 

Ah, eu me lembrava dele, com sua arquitetura neoclássica, como se fosse um templo grego da era moderna;  em frente , o seu  espelho-de-água refletindo a bela construção.

Sim, o  L. M. tinha sido o meu monumento preferido durante minha curta visita à capital.  Estava portanto decidido:  Eu caminharia  através do 'Mall' em direção ao  Washington Monument,  cruzaria o  Memorial dedicado à Segunda  Guerra    e seguiria até o Memorial do Lincoln, lá no fundo.    No caminho,  eu tiraria ESTAS  fotos, lol,  e depois faria o percurso de volta ao museu. 

A caminhada seria meio  longa, mas certamente prazerosa e inspiradora.  {#emotions_dlg.smile}

 

Infelizmente,  ao chegar ao 'templo-grego-de Lincoln' , tive uma decepção:  o enorme espelho de água estava seco e cheio  de homens e tratores trabalhando no local !  {#emotions_dlg.mad} ( Suponho que este seja o preço a se pagar  cada vez que visitamos monumentos históricos no Primeiro Mundo:  eles frequentemente estão sendo limpos ou restaurados!! lol )

Bem, pelo menos depois de me  informar com um guarda nos arredores ,  fiquei sabendo que os trabalhos durarão dois anos e depois disso eles colocarão o 'lago' de volta, em frente ao memorial.

  Ufa.  Respirei aliviada.

 

Resolvi então subir os degraus do templo e entrar para rever a enorme estátua de Lincoln,  , toda em mármore e com  6 metros de altura.     

Naturalmente o local estava cheio de turistas e como lá fora , debaixo do sol,  o calor já estava bastante  intenso, aproveitei pra me refrescar um pouco me encostando contra uma daquelas enormes colunas (de mármore gelado! lol),  enquanto relia alguns trechos do  famoso discurso do Presidente americano  sobre a trágica batalha de Gettysburg durante a Guerra Civil.

 Ah, Grande Lincoln!

Não fosse por ele , os E.U. hoje  seriam dois países separados: o do norte,  rico e desenvolvido, que provavelmente olharia para o seu 'primo pobre do sul'  com um certo  desprezo. Este, por outro lado, seria  uma versão '' melhorada' do México - só que  meio complexado e invejoso do 'primo rico' dá de cima!

 Sim, é bem provável que nós nos tivéssemos tornado uma espécie de Corea do Norte Vs Corea do Sul aqui das Américas!! {#emotions_dlg.sad}

 Mas graças à Lincoln,  a América se manteve unida ( mesmo quando tentou se separar...),  e menos de cem anos depois tornou-se a maior potência mundial. 

 

--

 Eram 10:30 quando afinal  me vi novamente diante  da porta principal  do Natural History Museum e entrei no 'túnel do tempo' da história de nosso planeta,  do reino animal e do Homo Sapiens.

Eu havia caminhado durante uma hora e meia e estava faminta -  já que não tinha tido tempo de tomar o café-da-manhã antes de pegar o commuter bus.  Resolvi então ir direto para o café do museu e repôr as energias, pois afinal,  meu plano era de ficar por lá  'somente' até às 5:30 , lol,  a fim de poder pegar ainda o último ônibus de volta à Columbia.

`

Àquela hora o café principal ainda não estava aberto, mas em compensação , o Fossil Café , ao lado do Fossil Hall ( o setor dos dinossauros)  estava,  e lá eu pude comer um pote de musli com iogurte e tomar um bom  mug de café para  ficar logo esperta. 

 Agora sim, eu estava pronta para  começar minha excursão através do tempo...

 

--

 Eu poderia ficar durante horas dissertando sobre as atrações do N.H.M. de Washington , mas penso que, tanto para aqueles que um dia terão a chance de conhecer o local , quanto para os outros que sempre  poderão fazer um tour virtual pela internet,  aqui  mais vale eu simplesmente deixar algumas fotos de meus 'momentos preferidos' por lá. {#emotions_dlg.smile} 

 

O museu naturalmente é ENORME e, apesar de  ter passado sete horas lá ( das 10:30 às 5:30) ,  foi  preciso  fazer um certo ' plano' do que eu REALMENTE queria ver.  No final,  me decidi por três setores específicos:  o  Fossil Hall   ( o dos dinossauros),   o Ocean Hall ( o que nos mostra toda a história do(s) oceano(s) e suas diversas formas de vida..e é claro, o Hall of Human Origins ( ou da Origem Humana).

 

Sete horas internada em um museu parece coisa de maluco, ou masoquista , certo?

Ah, mas  não fiquem com peninha de mim...

Durante todo esse tempo eu andei de uma exposição à outra, me sentei várias vezes, bebi água, assistí à mais de um curta-documentário, tomei notas, almocei e finalmente terminei minha visita na lojinha do museu.   Quando me dei conta,  o dia já tinha passado e lá estava eu, correndo de volta ao Mall para pegar o último ônibus de volta à Columbia! lol.

 

E agora, vejamos alguns dos highlights deste incrível 'Túnel do Tempo' que é o  National Museum of Natural History de Washington D.C.

(Detalhe:  a entrada é GRADUITA! ) 

 

 1) Os três de cima :  A ossada de um Triceratops ( o mais conhecido dos dinossauros 'cornudos', lol); um brachiossauro ( um dos maiores, com 26 metros de comprimento) e o terrível  T-Rex.

   

 

   

 Os três de baixo:  O crânio  de um T-Rex  e os já,  bem mais 'recentes',  mamute e mastodonte da Era do Gelo. 

Nota:  o único problema de se visitar o Museu de História Natural ( e especificamente o  hall dos dinossauros) é a concentração de  MILHARES  de crianças por metro quadrado!  Domingo é o pior dia pois vem a família toda junto (incluindo os bebés de colo...)  e você só falta ser atropelado pelas centenas de strollers  ( os carrinhos de bebês), cruzando em cima de você,  a torto e a direito, de todas as direções.   Durante a semana a coisa não é muito melhor pois os pequenos trogloditas  vêm com as excursões de colégio e os professores ( assim  como os pais) são totalmente incapazes de conter a gritaria .  O jeito, portanto,  é se armar de paciência e se concentrar no seu objetivo.  E a propósito:  engana-se quem pensa que ' no Primeiro Mundo é diferente  e que criança mal-educada é coisa de país subdesenvolvido...'  Hoje em dia o problema não é mais geográfico  e sim uma característica da nossa Era...  

(Agora, diante de tudo isso,  seria pedir demais que tivesse UM DIA na semana onde o museu ficaria aberto somente à população adulta e aos estudantes de paleontologia??) 

 

 

 2)  No Hall de Antropologia, vários painéis explicativos, videos ... Além de  crânios e esqueletos reconstruídos de nossos ancestrais - os hominídeos mais primitivos.  

   

 

  

 

3) Em minha rápida passagem pelo  setor dos mamíferos,  avistei este  bisão ( empalhado)  do meio-oeste americano. 

Tão comum antigamente... e ENORME!!! 

 Felizmente ainda existem alguns hoje em dia.

 

 

4) Estátua de pedra ( Moai) - esculpida  entre 1250 e 1500 de nossa era...-   da Ilha da Páscoa, tambem conhecida como Rapa Nui...

 

                                                                   

 

 E por fim,  no setor de mineralogia , um dos maiores diamantes ( se não for o maior!)  do mundo:  O Diamond Hope ( que é azul) ,  com cerca de 45 quilates!!

 

 

 

 

 

sinto-me: Enriquecida culturalmente
publicado por Pâmelli às 14:25
link do post | Comentários | favorito
Sábado, 21 de Maio de 2011

A Foto do Ano

    Este  mês o grande ídolo da Comunidade Childfree faz anos!

Nosso mascote.  Nosso querido ( e lindo) George.

                                                                                                                   

 50tinha...- e mais GATO  do que nunca!

 

Que continue sempre com muita saúde, dinheiro e inteligência para continuar aproveitando sua bela vida de homem childfree e defensor das  causas humanitárias.  ( Darfur que o diga!)

  WE LOVE YOU GEORGE!

 

 P.S.  E essa coisinha FOFÉEEEESIMA aí , nos braços dele?   Dá pra aguentar?? {#emotions_dlg.smile}

 

 

 

 

sinto-me: Sempre fã do Clooney!
publicado por Pâmelli às 19:58
link do post | Comentários | ver comentários (5) | favorito
Sexta-feira, 20 de Maio de 2011

Baltimore- exemplo ou inspiração para o Rio...

 Categoria de post:  diário/ turismo

 

 No último fim-de-semana voamos  até  o estado de Maryland , na costa leste dos E.U.  para assistirmos a formatura  do sobrinho de meu marido. 

A casa de meu sogro  (e sua segunda mulher), onde nos hospedamos,   fica na cidade  de  Columbia .

 Tudo muito bonitinho, com construções típicas ‘inglesas’ em tijolinhos. Tudo muito limpinho, calmo e  bem  planejado.   Em suma:   um ótimo lugar para aposentados  relativamente bem de vida se enterrar!! Lol  

 Ah,  mas há uma boa notícia:  Columbia  fica a apenas 50 minutos de carro de Baltimore e uma hora e meia de Washington D.C. !  {#emotions_dlg.smile}

 

 O vôo do Texas até Maryland  leva mais de 3 horas , (já que cruza metade dos E.U....)   e para alguem que já não é muito fã de voar, isso parece uma  ETERNIDADE. (  Principalmente quando não há qualquer comida ou filminho a bordo para nos divertir e ajudar a passar o tempo...). 

Então,  pensei:   já que tenho de envelhecer pelo menos 10 anos no vôo da ida e depois mais dez no da volta{#emotions_dlg.painatal} ,   por que não ficamos mais alguns dias em Columbia?? 

Afinal meu marido é o filho preferido de seu pai ( não é nada oficialmente  declarado,  mas para uma estudante de antropologia e estudiosa amadora da natureza humana como eu,  isto é bem óbvio!) ,  e  pode fazer a maioria de suas conference calls de casa.

E depois, quem  é que tem pressa de voltar pro Texas?? Lol   Eu é que não!

 

Enfim,  acabamos ficando por lá  quase uma semana, e enquanto meu hubby trabalhou,  eu ( que  agora estou  oficialmente de férias do Community College, pelo menos até semana que vem...)  aproveitei para explorar e conhecer melhor duas das mais  antigas e importantes cidades do período colonial americano :  Baltimore e Washington D.C.

 Sim, quem se lembra um pouco da história americana,  sabe que foi justamente alí, na Costa Leste dos E.U., que surgiram as  treze  primeiras  colônias americanas... 

 

Ah, como eu gosto do East Coast! {#emotions_dlg.smile}

 --

 Baltimore:

  Meu marido é original  de Baltimore, mas pelo que  pude perceber, na época em que morou lá ( há mais de 30 anos) a cidade não era lá grande coisa.  Havia , contudo, durante o período colonial,   sido um  importante porto comercial.

Além disso,  foi no porto de Baltimore, onde o hino americano , (o ‘Star-Spangled Banner’) ,  foi composto por Francis Scott Key, enquanto os ingleses tentavam bombardear e invadir o Forte Mc Henry  em 1812 -  e se deram mal!! {#emotions_dlg.happy}

 Mas no Século XX,  Baltimore entrou em decadência e virou uma cidade meio ‘barra pesada’ ; suja e  mal-frequentada ,  principalmente na área do centro e cais do porto .  ( Se tiver algum carioca lendo este post,  com certeza vai pensar:  'Epa,  acho que já vi esse filme...').  

 

 O fato é que ,  ao contrário de minhas boas e belas  recordações de infância no Rio dos anos 70 e 80  ( na época uma cidade linda, charmosa, sofisticada, boa de se viver, motivo de orgulho para os cariocas , que eram  então  bem humorados, confiantes e principalmente FELIZES!!  ),    meu marido nunca  me pareceu muito entusiasmado ou orgulhoso  ao falar de sua cidade natal.

 

Ah, mas  como  o mundo dá voltas  e como as coisas se inverteram desde então!!

Hoje,  quando volto ao Rio de ‘férias’ (na verdade,  apenas para visitar alguns parentes e amigos que continuam  por lá…),  minha vontade é só uma :  GRITAR de raiva  ou CHORAR de frustração; normalmente as duas coisas ao mesmo tempo.

 No entanto,   o dia que passei em Baltimore sozinha,  explorando o agora novo, limpo e  restaurado cais , (a área se chama Inner Harbor),  tive uma experiência completamente diferente:  eu me orgulhei daquele povo e daquela cidade e fiquei feliz por eles!

 

 Então,  quando  no final do dia  tomei o commuter bus de volta à Columbia e encontrei meu marido trabalhando online,  assim que ele desligou a ligação eu lhe disse o seguinte:  

  'Meu bem,  você pode e deve  sentir muito orgulho de sua cidade .  Baltimore seguiu exatamente o percurso inverso daquele percorrido  pelo Rio de Janeiro.  Se na sua época   não prestava,   hoje ela  é uma cidade bonita,  alegre, limpa  animada e cheia de turistas educados .  Aliás,  NADA   parecidos com  aquele  bando de  euro-trash  de quinta,  a procura de sex-turismo na orla carioca! ( É triste, mas a verdade é que turista de CLASSE mesmo , hoje em dia não vai mais para o Rio de Janeiro...)

  Da  próxima vez que viermos à Columbia visitar seu pai ,  você  deve tirar um dia de folga e redescobrir sua cidade.  Garanto que não vai  se arrepender! ’

 

Ele apenas me olhou meio surpreso , mas não duvidou de minhas palavras.  Afinal ele sabe que eu não sou de mentir e que meu defeito é justamente o de dizer algumas ' verdades inconvenientes'...lol 

 --

 Tudo começou  cerca de uns dez anos atrás, quando   Baltimore resolveu transformar o seu cais em um lugar turístico e bem frequentado.

 Sim,  aquilo mesmo que nós , cariocas,  há ANOS ,   ouvimos dizer que há 'um  projeto de revitalização do  cais do porto do Rio de Janeiro...’

Pois bem. Os  baltimorianos o fizeram!

 E eu que pensei que a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016 ainda iam servir pra alguma coisa !!  Até parece.  ( E , a propósito,  na 'VEJA' de 4 de maio tem um ensaio do excelente Roberto Pompeu de Toledo – que ao contrário de mim adora e entende muito de futebol...-  onde ele  resume TUDO o que eu penso a respeito do Brasil  sediar a Copa! )

 

Mas enfim,  voltemos à Baltimore...

 

 O Inner Harbor  , que era ( alias,  igualzinho ao cais do Rio hoje em dia…) cheio de prédios caindo aos pedaços,  imundo, perigoso, mal-frequentado e deprimente …Hoje  transformou-se em um point turístico SUPER  animado – principalmente nos fins-de-semana. 

 Um lugar charmoso e cultural,  cheio de turistas alegres e , o melhor,  gastando dinheiro! {#emotions_dlg.smile}

 O Harbor está  rodeado de hotéis de luxo com vista para a baía,   restaurantes, cafés,  um shopping center, um  belíssimo aquarium, além de  vários museus interessantes.  Sim,  tem de tudo alí, para todos os gostos.   E  para completar,  o local é  servido por um agradável e eficiente sistema de water taxis . ( Por apenas 10 dólares por dia  você sobe e desce quantas vezes quiser nos barquinhos e segue para os diversos pontos turísticos  ao redor  da imensa  baía.   Uma delícia! {#emotions_dlg.pimp} )

Isso, sem falar nos enormes barcos de passeio, no  estilo bateau mouche parisiense, com almoços a bordo.

 

Sim , definitivamente, Baltimore está de parabéns !

(Quem dera que eu pudesse dizer o mesmo sobre a minha cidade natal...)

 

Vejamos algumas fotos:

1) Vista do Porto , do café de onde tomei o meu breakfast ... {#emotions_dlg.smile}

 

 

 

2)O 'Constellation' , de 1854 ,  aberto a visitação pública...

 

 

3) A 'Little Italy' de Baltimore.  O bairro italiano dá de dez no de Nova York ( que já foi praticamente engolido por Chinatown...)  e fica a apenas algumas quadras do Harbor! Alí,  há mais de 26 restaurantes pertencentes à famílias ítalo-americanas.

3a) A praça com a estátua de Cristóvão Colombo , o descobridor da América.  Presente da comunidade ítalo-americana à cidade de Baltimore.

   

 

4) O belo Aquarium ( o prédio colorido)  da cidade.  Arraias,  tartarugas, jacarés e tubarões... , além de um submarino para se  visitar! 

4b)O café  do Aquarium é  todo envidraçado e tem uma vista maravilhosa do Inner Harbor.

  

 

5) O bairro histórico  de Fells Point - antigamente um lugar  'barra pesada' frequentado principalmente por marinheiros.

 Nos  séculos 18 e 19,  era alí que  se construíam a maioria dos navios nos E.U.

 Hoje o lugar parece uma mini Londres, com suas construções típicas em tijolinhos e vários pubs e restaurantes  virados para o cais.  

5a) O pub 'Slainte' irlandês onde almocei e o  hotel Waterfront , de 1771.

 

 

6) Vista do Aquarium  e um dos pontos de saída dos watertaxis.  O belo hotel  Inter-Continental , no estilo  típico da Costa Leste ( em tijolos) ,  assim como a famosa mega livraria Barnes&Noble

     

 

 

7) O Forte Mc Henry - uma das paradas mais interessantes  e a mais afastada do Inner Harbor. ( Pode-se chegar lá de carro ou water taxi).   Alí, em 1812 os americanos mais uma vez conseguiram expulsar os ingleses da América .  A batalha naval inspirou Francis Scott Key a compor o hino americano , que fala dos 'bravos e livres' e de sua bandeira ( a Star-Spangled Banner)  , ainda de pé,  no meio das bombas que explodiam em volta.  

"Oh say does that Star-Spangled banner yet wave?  

Over the land of the the free and the home of the brave..."   

 

    

 

 

Agora,  vai dizer que o Rio de Janeiro  não podia se inspirar e dar um jeito naquele cais do porto de lá, heim!?

 

 

 P.S.  O dia em que passei na capital ( Washington D.C.) ,  foi dedicado inteiramente ao Museu de História Natural do Smithsonian Institute. 

Um verdadeiro 'banquete' para uma estudante de antropologia! lol

Aguardem o próximo post.   

 

 

sinto-me: Tirando o chapéu pra Baltimore
publicado por Pâmelli às 19:05
link do post | Comentários | favorito
Sexta-feira, 6 de Maio de 2011

Relembrando Chabrol e Jean Poiret...

 

As aparências enganam.

Ok, talvez nem sempre – mas muitas vezes...

 

Vejam por exemplo a minha video locadora  -  Sim,  eu AINDA frequento uma, pois ao contrário da maioria dos americanos que opta por  pedir seus filmes pela internet através da Netflix, eu prefiro seguir até a loja e lá , escolher pessoalmente o filme que quero alugar.

 

Minha locadora se chama ‘Vulcan’ e mais se parece com um  pardieiro punk .  Uma lojinha vagabunda , em um canto de rua totalmente  insignificante.  Um  point  de ripongos naturebistas  e roqueiros.   

O pessoal que atende é do tipo ‘todo-tatuado’, com brinco nas narinas e camisetas pretas com desenhos de  caveiras ou algum grupo  heavy metal, lol.    Dá medo só de olhar.   

Pra completar o cenário de horror ( aliás, o setor de filmes de  horror na ‘Vulcan’ é considerável! )  ,  os televisores  acima do balcão de atendimento estão sempre mostrando algum filme de ação ou pancadaria AOS BERROS...

.

Bem,  quem  já conhece a autora do ‘Parada’ , deve estar pensando :  Que diabos você vai fazer num lugar desses, of all places??!’  lol

Pois eu respondo: 

A   ‘Vulcan’ é  a única locadora em Austin que , além dos filmes americanos típicos ( antigos e de lançamento), tem uma seção ENORME  de filmes estrangeiros ( franceses, italianos, iranianos, espanhóis, argentinos etc...  e até alguns ‘clássicos’ brasileiros ! ) , além de  uma seção  com os filmes dos ‘grandes diretores do cinema mundial’ , uma  dedicada aos filmes baseados em obras de Jane Austen,  outra de Shakespeare, documentários  e  todas as séries populares da T.V. americana.  Sem falar em uma das  minhas estantes  preferidas: aquela que tem todos os filmes já feitos baseados em estórias de Agatha Christie – incluindo toda a coleção do Poirot com  o Peter Ustinov e o David Suchet! {#emotions_dlg.smile}

Fora tudo isso,  ainda  há outra coisa na ‘Vulcan’ com a qual  que eu simpatizo imensamente:   

 As  duas ‘caixinhas’ que se encontram no balcão (  pedindo sua contribuição para uma ‘causa’... ) , são para entidades que resgatam e cuidam de animais . Uma delas, inclusive,  é o Animal Shelter ( o abrigo) aqui de Austin, de onde  adotei meu chiuaua  3 anos atrás.

Aliás,  falando em bichos...  na ‘Vulcan’ você pode entrar com o seu labrador ou vira-lata  de 40 quilos,  mesmo sem coleira!  O pessoal do atendimento ( apesar da aparência esquisita...) é super  boa praça.   Ninguem se incomoda, nem  muito menos reclama.  

   

Pois é. 

Quem entra em tal lugar  jamais imaginaria que ele é o que é...

 

---

 

Às vezes passamos por umas ‘fases’ .

A fase do ‘estou malhando direto...’ ,  a fase do ‘ estou  tentando evitar as frituras...’ lol,   a fase do ‘agora estou numa de só ler romances água-com-açúcar...’ , a fase ‘Agatha Christie’ ,  a do Facebook,   a das ‘experiências culinárias’ ,  a da ‘faxina e arrumação da casa’ , a do ‘estou numa de música clássica..’ ,  a do ‘CDFismo..’.

Você tambem é assim?

Bem,  eu sou.

Portanto  faz algumas semanas que estou na fase de ‘assistir aos  filmes de Claude Chabrol...’  -  o cineasta francês da época da Nouvelle Vague , que morreu o ano passado aos 80 anos.

 Naturalmente  eu  já conhecia alguns de seus filmes ( como ‘Madame Bovary’ ,  de 1991 , com a excelente  Isabelle Huppert ; ‘ l’Enfer’ (Ciúme- o Inferno do Amor Possessivo) , de 1994   e  ‘La Cérémonie’ ( ‘Mulheres Diabólicas’) de 1995.

 

Eu gosto do Chabrol porque pra mim ele tem um pouco  de Hitchcock , misturado à Nelson Rodrigues. Lol.  Quer dizer:  ‘Suspense  e perversão’, mas sem overdose!

 

O fato é que outro dia resolvi me aventurar e desencavar um novo ( velho) filme do Chabrol na seção dedicada aos filmes franceses da ‘Vulcan’.   Escolhi ‘Le Boucher’ ( ‘O Açougueiro’), de 1970 , cuja estória , coincidentemente,  se passava na região da França onde acabei de visitar .  Tinha até uma cena passada em umas das cavernas ! 

Até então eu não sabia que a atriz , Stéphane Audran, era sua mulher.

So, no wonder que  foram vários os filmes que ele fez com ela!  ( Aliás,  uma excelente atriz, bem ao estilo loira cool hitchcockiana...)

 

Enfim,  depois do ‘Açougueiro’  resolvi continuar minha excursão pelo mundo de Chabrol alugando  ‘Poulet au Vinaigre’( ‘Frango ao vinagre’), de 1985  e ‘Inspecteur Lavardin’  ( O delegado Lavardin) , de 1986 - ótimos , todos os dois.   E assim acabei  descobrindo  o trabalho ( além do charme , do talento e dos belos olhos!!)  de  Jean Poiret,  que eu conhecia apenas de nome.

 O resultado é que agora,   além dos filmes de Chabrol,  ando muito entusiasmada com  o próprio  Jean Poiret! Lol

 

No Google, descobri que o ator morreu em ’92,  aos 66 anos , de  um ataque cardíaco. Pena. {#emotions_dlg.nostalgic}  Eu teria preferido saber que ele  estava velhinho, mas ainda vivo...

 Mas a boa notícia é que durante sua carreira de mais de 40 anos,  ele  fez  um MONTE  de filmes -   vários dos quais , tenho certeza, poderão ser encontrados nas prateleiras da ‘Vulcan’. {#emotions_dlg.smile}

 Então daqui a pouco estou de saída , rumo ao pardieiro punk, a cata de minha próxima locação:   ‘Le Dernier métro’ ( O último metrô), de 1980.

Este não é do  Chabrol, e sim do  Truffaut ,  mas tem de quebra o Gérard Depardieu e a Catherine Deneuve – além , é claro,  do Jean Poiret.

 

Sim, eu definitivamente ando em uma  ‘fase de filmes franceses’ . 

Após o 'Ultimo metrô' ,  será a vez de ''Le Zèbre' ( Marido Louco)  - o último filme de Poiret , de 1992. 

 Infelizmente o ator morreu poucas semanas  antes da estréia do filme , onde ele não apenas trabalha como ator mas tambem como diretor.

C’est la vie...

 

 

 

 

sinto-me: Fã de Chabrol e Poiret!
publicado por Pâmelli às 19:31
link do post | Comentários | favorito
Segunda-feira, 2 de Maio de 2011

HURRAY!!

 

 

Hoje é um grande dia para a América e todo o mundo que é contra o terrorismo.

 

Uma notícia esperada há DEZ anos!

 

Obrigada à Administração Obama e aos SEALS , cuja ação militar foi perfeita!  Coisa mesmo de filme de James Bond...

 

A Al- Quaeda e o terrorismo podem não estar acabados, mas hoje , enfim,  o Presidente americano pode afinal dizer ‘Mission Accomplished’ sem que isso soe como uma piada ridícula.

 

Agora,  o que o Paquistão tem a dizer sobre tudo isso??

Afinal o terrorista mais procurado do mundo estava morando em PLENA cidade , no meio do  Paquistão  ( ao que parece até , um local  bastante conhecido, turístico  e cheio de militares paquistaneses !), a  poucos quilômetros de Islamabad, a capital . 

  Que caverna, que nada!  O que é isso, minha gente?? Dá pra acreditar?

 

Bom,  pelo menos  a  COISA RUIM  já foi jogada ao oceano. 

Só espero que não dê nenhuma indigestão aos pobres  peixes...

sinto-me: Radiante como a maioria aqui!
tags: ,
publicado por Pâmelli às 14:25
link do post | Comentários | favorito

.Mais sobre mim

. Meu Livro

COPADRAMA

- A Brazilian Tragicomedy

(um romance em inglês de I. Pamelli M.)

. Comprar na AMAZON.com

.Julho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

30
31


.posts recentes

. Um romance de memórias e ...

. Romance para este inverno...

. Visita ao maior Santuário...

. Dica de leitura para este...

. Leitura de verão: Três ro...

. Copadrama -Uma tragicoméd...

. De volta , mas nem tanto....

. Loucura, desgraça e um sh...

. Sorria, você está na Flór...

. De novo rumo à Flórida

.arquivos

. Julho 2018

. Janeiro 2018

. Novembro 2017

. Junho 2017

. Abril 2016

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.flag counter

free counters

.subscrever feeds