Quarta-feira, 23 de Fevereiro de 2011

Queria ter as mãos ( e a manicure) da Fátima Bernardes!

 Categoria de post:  Vida fútil  mas nem tanto...

 

Hoje estava eu ali na minha  penosa aula  de matemática ouvindo a  Professor  J. falar sobre ‘investimentos, C.Ds, mutual funds’ e sei lá mais o quê... quando de repente me peguei observando suas mãos.   Isso mesmo. ( Apesar de tudo, eu ainda continuo ‘brasileira’ , pelo menos em alguns aspectos...lol)

 

Desde que me mudei para os E.U. , oito anos atrás,  uma das coisas que me deixa extremamente frustrada aqui é o estado das mãos das mulheres – inclusive as minhas!

A verdade é que no ‘Primeiro Mundo’ ( Sorry, mas eu continuo usando os termos antigos  ‘Primeiro’ e ‘Terceiro’ Mundo , ao  invés dos bem mais politicamente corretos ‘ País Desenvolvido’,  ‘em desenvolvimento’  ou  ‘emergente’... ),  tirando algumas poucas  milionárias , celebridades ou dondocas de carteira assinada... ,  as mãos da maioria das mulheres são  um CACO!

   Secas, prematuramente envelhecidas , raramente pintadas ( ao contrário dos pés – o que aliás, eu nunca entendi...) e quando o são,   PESSIMAMENTE !

 ( E isto se aplica tanto aos países da Europa quanto aos E.U...)

 

Vida de Primeiro Mundo é assim.  

 Nada de empregadas, faxineiras, cozinheiras de forno e fogão...

Aqui, quem quiser comer direito e não virar uma ORCA já  no seu  segundo ano de E.U.  , tem mais é que ir para a cozinha fazer sua própria comida  fresca, saudável e não engordativa.

Pra começar, na maioria dos restaurantes a comida é ruim, excessivamente salgada e servida em quantidade para alimentar um T-Rex !    Por outro lado,  comprar na rua e trazer para comer em casa também não ajuda muito – nem no seu bolso , nem na balança.

Resultado:  Você tem duas opções:  ou fica magra  e com as mãos a-ca-ba-das ( por viver na cozinha dia sim e o outro tambem...) ;  ou fica gorda , mas com suas mãos com a pele ‘direita’  ( mesmo que não esteja com as unhas feitas e pintadas...) .

 

Mas voltando à Professor  J...

Trata-se de uma senhora nos seus sessenta e poucos anos  -  e magra. ( Coisa rara por aqui...)

Sim,  pode-se dizer que Professor  J. é uma ‘americana à moda antiga’.  E , apesar de saber muito sobre matemática ( ela é formada em West Point e tem um PhD...) , suas mãos mais se parecem as de uma faxineira !

  Minha conclusão:  ela deve cozinhar para a família regularmente -  assim como eu aqui em casa.  Comida descente,  saudável , feita com legumes frescos e molhos feitos em casa...  Eis a explicação para o seu corpo direito ( em um país onde a maioria  das pessoas é OBESA...) e  suas  mãos horríveis.

 

 

Ainda na minha aula de College Math , existem pelo menos mais duas mulheres ‘velhas’ ( assim como eu , lol) ,  na faixa dos 40.     E guess what:   As duas são gordas (  grande novidade...) ,  MAS   têm as mãos ‘direitas’!  (  Não digo que sejam pintadas e bem cuidadas, como seria o caso se elas morassem no Brasil... – mas têm a pele boa, sem estar  prematuramente ressecada , enrugada ou cheia de veias.)

Ou seja:  em minha aula de matemática, as duas mulheres magras ( eu e a professora) , têm as mãos acabadas.  Já as duas gordas,  têm as mãos direitas .  

Caramba, dá até pra fazer uma fórmula :  Mulher gorda = mãos normais ;  mulher magra = mãos acabadas !

( As mocinhas de vinte e poucos  não contam pois,  com certeza, ainda não cozinham para a família - além de  ainda estarem com o tempo totalmente à  seu favor ! )

 

Quanto à  mim,    procuro fazer o que posso com minhas mãos.  

Ando sempre com um creminho na bolsa – e outro permanentemente no porta-luvas do carro. Ao fazer serviço doméstico ,  sempre uso luvas.  Mas na hora de cozinhar....Fazer o quê?  São várias as vezes que lavamos as mãos enquanto cozinhamos, cortamos os legumes, lavamos uma fruta... ( É  ou não é?) .  E a prova que  é a COZINHA o que acaba com nossas mãos, eu tenho cada vez que saio de férias e fico vários dias sem cozinhar:  a aparência de minhas mãos melhora consideravelmente!

 *Suspiro*

 

Se você ainda é uma  daquelas mulheres que tem algum talento para pintar as próprias unhas, ainda conseguirá  disfarçar o dano imposto às suas mãos por suas excursões pela cozinha. 

Infelizmente para mim,  não sou uma delas.  Meu talento como manicure é ZERO.    Portanto só o que faço é lixar e passar uma base.  ( De uns tempos pra cá comecei a pintar com uma cor clarinha, tipo cintilante,  para pelo menos fingir que passei perto de uma manicure...)

 

Aliás, as manicures por aqui são dignas de um post por si só.

A maioria é vietnamita e cada uma é pior do que a outra.  Não sabem lixar,  não sabem tirar  a cutícula e muito menos pintar.  E cobram no mínimo $20 dólares a manicure!

 

Se você é brasileira , ( mesmo que não seja rica) saiba que é muito mal acostumada em termos de manicures, cabeleireiros e empregados.  E no dia em que se mudar para o ‘Primeiro Mundo’ ( seja para trabalhar, estudar ou casar...), pode apostar que  vai se lembrar deste post.

 

Já as outras mulheres nascidas e criadas a vida toda no ‘Primeiro Mundo’ ( e portanto sem jamais terem conhecido estes serviços ótimos e baratos que gozamos no Brasil...)  vão concluir  que não passo de uma  fútil dondoca.  Que seja.

(A  verdade é que  quem viveu a vida toda comendo filé mignon , no dia que tem que comer um hamburger torce o nariz.  Já quem  foi vegetariano a vida toda,  não percebe a diferença e acha que tudo não passa de coisa de carnívoro metido a besta.)

 

Então é isso colegas.

Se algum dia  uma de vocês se mudar para  o lado de cá,  lembre-se que ,  a  menos que passe a servir sopas enlatadas Campbell's  e  coxinhas  fritas  do KFC  ( esquentadas no microondas ) ,como ‘jantar’ para sua família ( o que fatalmente  deixará você, seus filhos e seu marido com o corpo parecido com o  de uma ORCA ... )  , é bom se preparar:

Na  melhor das hipóteses ( isto é, se você viver  eternamente com um creminho dentro da bolsa e se der ao trabalho de  passar um esmalte de vez em quando...) ,  suas mãos ficarão ASSIM !     

Ou seja:  NADA,  NADA parecidas com as da Fátima Bernardes  ( só queria saber que manicure é a dela! Lol) , ou mesmo a de qualquer colega  ou conhecida sua no Brasil.

 

P.S.

Looking at the bright side... Não importa o quão horrível estejam , aqui  ninguem  repara. 

  Sem falar que  você pode  sair às ruas com seu solitário,  sem medo nem culpa...

 

 

 

 

 

sinto-me: Frustrada com minhas mãos
publicado por Pâmelli às 23:05
link do post | Comentários | favorito
Terça-feira, 15 de Fevereiro de 2011

Valentine's ao som de Ellington e Gershwin

 

Aos leitores do Parada,  HAPPY VALENTINE’S DAY com um dia de atraso!!

 

Já faz alguns anos que decidimos não sair pra jantar fora no Dia dos Namorados ( Valentine’s Day) – que no mundo todo ( exceto no Brasil) é o dia 14 de fevereiro.

Acontece que,  como no dia seguinte é o meu aniversário,   optamos por  jantar fora no dia 15 (  quando não tem nenhum tumulto nos restaurantes e tudo volta aos seus preços normais!) lol

 Já no dia 14, o que costumamos fazer é uma espécie de ‘piquenique sofisticado’ ( em casa) ,    seguido de alguma programação cultural.

  

No ano passado , fomos ao Long Center ( que é o belo teatro da cidade para espetáculos de ópera e balé)  assistir à um espetáculo de dança ao som de Bach.   (Vai dizer que não é romântico?? Lol)   

Já este ano,  descolei para nós um concerto de jazz  em uma igreja ( A St. James Episcopal Church) com músicas de Duke Ellington e Gershwin.   ( Só mesmo uma programação musical MUITO  especial  ou uma experiência histórica – por exemplo, visitar uma catedral de no mínimo uma  centena de anos,lol-  pra me levar à uma igreja…)

 

O conjunto  ( um quarteto) era excelente e lá pudemos ouvir todos aqueles clássicos imortalizados por gente como Billie Holiday e Ella Fitzgerald. 

Como não estamos em New Orleans ou Nova York ( onde REALMENTE   existe  uma cultura de jazz  nos Estados Unidos…) , a plateia era toda de gente mais velha . BEM mais velha!  Lol   ( Uma pena , pois já se vê que quando esse povo bater as botas,  o jazz vai sumir de vez dos palcos das  cidades americanas…)   Pra se ter uma ideia,  meu marido e eu éramos os bebés alí !!  E ele já passou dos cinquenta e hoje completo  45! ( E não,  não sou do tipo que fica deprimida ou ‘destruída’  no dia do seu próprio aniversário. Ao contrário,  eu aproveito o jantar, os presentes e sempre penso que , fazer anos é sempre MUITO melhor do que a alternativa – que no caso seria estar debaixo da terra se decompondo!! )

 

Mas enfim e voltando ao dia de St. Valentine’s…

Que romântico e bonitinho ver tanto velhinho celebrando  este dia , de mãos dadas ,  ao som de Ellington e Gershwin – alguns até mesmo se levantando e dançando dentro da igreja!  lol 

 

Aliás, fiz questão de tirar uma foto  do casal sentado à nossa frente ( apenas um no meio de tantos outros iguais à eles ).    Ambos já grisalhos , abraçados,   provavelmente juntos a muitos e muitos anos.   ( Fosse no Brasil,  o coroa  já tinha tingido os cabelos e trocado a mulher por outra uns 20 anos mais jovem!)  

  

Anyway,   taí uma sugestão pra quem , no futuro,  quiser celebrar sua noite de Valentine’s ao estilo ‘ Maria NÃO vai com as outras’. 

Eis a ideia:  Ao invés de seguir com a manada para os restaurantes da cidade, se acotovelando e  competindo por uma mesa e a atenção do garçom no meio de mais 300 pessoas ( ou então pagar os olhos da cara caso decida ir à um local mais upscale…),  no seu próximo dia 14 de fevereiro ,  pense em aproveitar um jantar  ou ‘piquenique’ ( O nosso teve direito a foie-gras , queijo de cabra, azeitonas gregas , morangos ao Amaretto e Prosecco..., mas cada um escolhe aquilo que mais gosta ) romântico em sua própria casa , e depois seguir com o seu valentine para algum evento cultural de sua preferência.

 O estômago, o bolso e a alma agradecem!

 

O grupo de jazz na St. James Church

 

O casal à nossa frente:

Namorados ontem, hoje e sempre...

sinto-me: Celebrando o amor e a vida !
publicado por Pâmelli às 16:39
link do post | Comentários | favorito
Sexta-feira, 11 de Fevereiro de 2011

É a inguinorança que astravanca o pogresso...

Categoria de post:  opinião/desabafo

 

 Hoje,  pela primeira vez em quase três  anos de blog, resolvi testar o corretor ortográfico do Sapo.

É que no passado,  sabendo se tratar de uma plataforma portuguesa , sempre pensei:  De que adianta eu usar o corretor aqui? Com certeza ele apontará milhões de 'erros ortográficos' quando encontrar palavras escritas a maneira brasileira.  Além do mais, em se tratando do meu próprio   blog ,  quem é que vai ousar  me despedir?  Lol  

 

O resultado  foi bastante confuso ( o que aliás, está em PERFEITO  acordo com a língua portuguesa, principalmente depois deste ultimo ‘acordo’...).

Ok,  algumas palavras continuam sendo aceitas das duas formas ( ‘exato’ ou ‘exacto’ ;  ‘fato’ ou ‘facto’…).  Já outras , parecem que já foram ‘atualizadas’ ( por exemplo,  ‘vôo’  agora dá errado e o corretor nos mostra ‘voo’, ou ‘idéia’ virou ‘ideia’ ,  ‘platéia’,  ‘plateia’ …) . Mas algumas palavras ainda não adotaram a nova escrita ( Por exemplo,  ‘antessala’ continua sendo escrito ‘ante-sala’ e ‘suprarrenal’  continua sendo aceito somente como ‘supra-renal’…). 

Bottom line:  A coisa tá uma bagunça terrível e a culpa,  obviamente,  não é do Sapo e sim de mais esse acordo ridículo que inventaram!!

 

A verdade é que  brasileiro nunca soube escrever

Agora então, e depois deste ultimo  ‘acordo’ ( adoro o eufemismo, já que a maioria das pessoas dos dois lados do Atlântico está &^5$%$* da vida!!),   os poucos que ainda sabiam escrever razoavelmente, acabaram se perdendo na língua de vez!  E pior:  Os portugueses  (que, ao contrário dos brasileiros, sempre mantiveram um certo  respeito e tradição pela própria língua…) ,  agora foram obrigados a entrar no Samba.  Haja pobreza de espírito. 

Mas como se diz em inglês: Money Speaks!  E  a verdade é que , na hora de impor as regras e dar as cartas, é a economia do país de 200 milhões de habitantes , (e não o de  menos de 15 milhões)   que vai falar mais alto . That's life.

 

 

De minha parte,  confesso que nunca  fui uma grande patriota.  Não tenho, nem nunca tive ‘orgulho de ser brasileira’ , e quem tiver algum problema com isso , só o que posso dizer é: Get over it! 

Aliás, tenho  minhas sérias dúvidas quanto ao  grau de honestidade daquelas pessoas que dizem o contrário.  Pra mim,  a grande maioria que diz isso,  só diz da boca pra fora, para  convencer a si mesmo. Assim  como somente um GORDO  seria capaz de dizer  ‘Sou gordo mas sou feliz’  ou uma pessoa que nunca realmente passou necessidade  na vida me sai  com o velho cliché  ‘ Dinheiro não traz felicidade’.   Queria mesmo é ouvir a Giselle Bundchen  dizer  ‘Eu bem que podia ser feliz se fosse gorda…’ ou o Bill Gates confessar :  ‘ É,  dinheiro é ruim mesmo.   Eu,  com certeza,  seria bem mais feliz  se fosse pobre…’

 

 

Mas voltando à língua portuguesa…

Confesso que até gosto dela – principalmente aquela falada no Brasil. ( Os portugueses que me perdoem….) – apesar de saber que sempre castigamos a gramática.

Aliás,  gosto de todas as línguas ‘românticas’ ( em inglês, dizemos as ‘romance languages’…) , mas admito  que nunca tive muito respeito por ela, justamente por saber que  o português ( pelo menos no Brasil)   esta sempre mudando,  sendo ‘modernizado’ ,  ‘simplificado’,  se tornando mais fashion…  Em suma: sendo sistematicamente  esculhambado!

E agora,  com este ultimo  ‘acordo’   , veio  a gota d'água.

 

Quem é que já aprendeu,  ou mesmo vai se dar ao trabalho de aprender as novas regras?

Eu é que não vou.    ( Até porque  já sei que daqui a alguns  anos eles vão mudar  tudo de novo!)

Aliás, para  alguém que estudou a vida toda  em uma escola internacional ( onde o inglês , ao invés do português,  era a língua oficial) , penso até que minha escrita seja bem  razoável. ( Em todo o caso,  tá bom demais, especialmente para um país que elege o Lula, duas vezes , para  Presidente!)  

 

 No final das contas e looking at the bright side...,  pelo menos sobra o seguinte consolo:  De agora em diante (tirando talvez alguns professores de português , VERDADEIRAMENTE PATRIÓTICOS e dedicados,  que vão se dar ao trabalho de decorar as novas regras..) , todo o mundo vai ser analfa.

Ou seja:  Em terra de cego, quem tiver um olho ( mesmo que seja míope e caolho…) ,  já vai estar na vantagem!

 

 

P.S.  Este post passou pelo corretor ortográfico do Sapo.  Quem não concordar com a escrita, que vá lá reclamar  no Ministério da Educação,  com o Aurélio ou na casa da Mãe Joana.

  

 

 

sinto-me: Analfa mas bem resolvida...
publicado por Pâmelli às 20:59
link do post | Comentários | favorito
Quarta-feira, 2 de Fevereiro de 2011

Meus 15 minutos de fama...

 

Categoria de post:  diário /fofoca

 

Aconteceu esta semana no Hills, que é  minha  academia de ginástica.

Estava eu alí no meu canto , suando um pouquinho na sala da musculação, quando de repente uma das personal trainers ( que eu apenas conheço de vista mas com quem nunca conversei…) corre até  mim e exclama:

 

-   Adorei o seu livro! Que personagens mais coloridos os seus!!

 

Pega de surpresa,  quase derrubei meus pesinhos de 3 pounds . ( É que como vêem, não sou exatamente marombeira, lol)

 

  Então respondi:

 

-  Ora… obrigada.  Mas como é que você soube do meu livro?

 ( Eu nunca fiz nenhuma promoção do 'Copadrama' no Hills e apenas vendi dois exemplares para dois colegas com quem costumo conversar mais. Além disso,   o livro  só está a venda pela Amazon ou na loja brasileira aqui da cidade...)

 

-A L.  me emprestou o seu… - foi sua resposta.

 

Uhm.   L.  é justamente uma das duas pessoas na academia que comprou o meu livro. 

 Recentemente ela hospedou , por seis meses,  um jovem brasileiro de São Paulo que participou de um programa de intercâmbio.

 Algum tempo atrás,   ( e sabendo que sou brasileira)    me contou  algumas estórias sobre seu hóspede  e o que ele andava ‘aprontando' em sua casa.  Não era nada de terrríiível e, pra dizer a  verdade,  achei suas queixas bastante ridículas. Coisas do tipo ' o rapaz  usava perfume demais,   não levava os estudos a sério e jogava o papel no lixo do banheiro' ( ao invés de dentro do vaso sanitário...).

Ora ,give me a break!  Você resolve hospedar um aborrecente de 16 anos, de outra nacionalidade, filhinho de papai  ( pobre brasileiro  não faz intercâmbio cultural nos E.U.!) e depois fica reclamando DISSO?? 

Pior seria se ao invés de usar perfume o rapaz fosse francês e não tomasse banho por uma semana! 

 Não gostar de estudar?  Desde quando isso é problema dela,sua mera anfitriã no programa de intercâmbio?  E quanto ao papel no lixo... Era só explicar  que aqui nos E.U.  as descargas costumam funcionar!! lol    ( Ao saber da estória do vaso, meu marido deduziu que o rapaz provavelmente achou a casa de L.  simples DEMAIS . Assim como alguns banheiros públicos de quinta no Brasil,  onde os donos pedem aos clientes para 'não jogar papel no vaso'...)

 

Anyway... Diante de tantas queixas idiotas , resolvi sugerir à L. que lesse o meu romance brasileiro , lol  e quem sabe assim,  ela  poderia entender um  pouco mais  o povo e a cultura local. ( Sugestão que ela prontamente adotou ao comprar um exemplar do 'Copadrama')

 

 As semanas se passaram e tudo o que eu ouvi de L. foi ' Adorei o seu livro' - o que me deixou claro que ela não leu coisa nenhuma!

  Ora, quando alguem realmente LÊ o seu livro , ele não lhe diz simplesmente que gostou.  Ele comenta sobre a estória, os personagens, o que achou do final etc.

De fato,  não creio que L.  seja o tipo de pessoa que lê nada além de e-mails e notícias condensadas na internet.  A verdade é que ela é uma americana bem típica:  interiorana, desprovida de  qualquer vaidade e com ZERO experiência cultural fora do próprio país. Ou seja:   a última pessoa que deveria  hospedar jovens estudantes estrangeiros fazendo intercambio cultural !

 

 

Mas voltando à  personal trainer do Hills , que é o assunto deste post…

Embora eu tivesse preferido que a moça  tivesse COMPRADO meu  livro , lol, ( ao invés de tomá-lo emprestado de L...) , seu feedback positivo me foi , naturalmente, muito bem vindo. 

 

Como ela estava com uma aluna particular naquele momento, não pudemos falar muito.   Mas,  quando lhe perguntei qual dos personagens ela tinha gostado mais, ela me respondeu sem hesitar:

 

- Os dois amigos !

 ( Um é um gigolô argentino e o outro é um personal trainer bem ‘tipicamente carioca’….)

 

E completou:

 

- Namorei um brasileiro que era igualzinho ao seu personagem. Eu até fiz algumas anotações de suas descrições de tão perfeitas que eram…

 

Wow.  Por essa eu não esperava.

Meu personagem ( que ,alias,  na estória  é um personal trainer…) é um daqueles playboys cabeça de vento, inconsequente e incorrigível – embora no fundo, boa gente e até  bastante divertido.

 

-É mesmo?  Nossa…  -  respondi em voz alta, enquando pensava : ’Coitada’!

Mas  felizmente ela não parecia nada ‘destruída’ com o fim do namoro com o Don Juan.

 

Foi aí que me lembrei do novo massage therapist que chegou no Hills  há alguns meses. 

O rapaz é brasileiro, carioca e um verdadeiro DEUS DO OLIMPO! ( um tipo 'Antonio Banderas' nos seus belos tempos...lol)

Ou seja:  é bem possível que seja ELE  o tal ‘brasileiro’ que teve um romance ( acho que não chegou a ser namoro sério…) com minha leitora-admiradora.

 Ai,  como às vezes  a vida  imita a arte!! 

 

Enfim, depois dessa,  confesso que  fiquei curiosa e na próxima vez que fôr ao Hills e encontrar a moça,  vou lhe perguntar ( como quem não quer nada)   se o seu ex-namorado brasileiro era tambem um personal trainer-  assim  como o personagem do meu livro.  Se ela disser que não e que ele era um massage therapist..., aí vou ter certeza que se trata mesmo  do  Deus Grego da academia! lol

 

Bom, depois deste episódio, resolvi  deixar um exemplar do ‘Copadrama’ na mini-biblioteca do Hills.

Nunca se sabe que tipo de feedback  posso  vir a receber no futuro...

 

 

P.S.  Sobre o post anterior:

A boa notícia é que o Manhattan Connection voltou a ser exibido pela Globo Internacional.

Eu já estava considerando cancelar minha assinatura...

 

 

 

 

sinto-me: Divertida com a vida
publicado por Pâmelli às 23:31
link do post | Comentários | favorito

.Mais sobre mim

. Meu Livro

COPADRAMA

- A Brazilian Tragicomedy

(um romance em inglês de I. Pamelli M.)

. Comprar na AMAZON.com

.Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Romance para este inverno...

. Visita ao maior Santuário...

. Dica de leitura para este...

. Leitura de verão: Três ro...

. Copadrama -Uma tragicoméd...

. De volta , mas nem tanto....

. Loucura, desgraça e um sh...

. Sorria, você está na Flór...

. De novo rumo à Flórida

. Safari Africano, Texas st...

.arquivos

. Janeiro 2018

. Novembro 2017

. Junho 2017

. Abril 2016

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.flag counter

free counters

.subscrever feeds