Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Crise não sei...Efeito Estufa , com certeza!

Pâmelli, 04.03.09

Ok,  volta e meia eu ouço dizer que alguem perdeu o emprego,  que está correndo o risco de perder o emprego...Que VAI perder o emprego!

Muita gente agora prefere trabalhar de casa pra economizar gasolina.

Algumas pessoas  até andam vendendo seus SUV's ( aqueles carros MONSTROS) e estão comprando carros menores...

Mas no sábado passado lá fui eu ao shopping,  almoçar no meu café preferido ( o Nordstrom Café) and guess what??

Apesar de já passar das 3 da tarde (  sim,  meu almoço acabou saindo meio tarde ...:-))) o estacionamento estava LOTADO   e eu tive de parar o carro lá nos cafundós dos Judas.  (  Não se enganem: a duas vagas na foto são para os 'handicaps'  e meu carro ficou  estacionado lá no final desta avenida!)

 

Tudo bem,  andar faz bem - principalmente na América , onde raramente conseguimos fazer isso.  Mas o fato é que o estacionamento estava cheíssimo e todo o mundo lá dentro do shopping...Fazendo o que? 

Shopping é claro!

 

No café ,  apesar da hora,  ( que não era propriamente nem de almoço , nem de jantar...) havia várias mesas ocupadas. 

E naturalmente na loja -  que não é nada barata... -  gente só  comprando!

 

Há duas semanas atrás fomos jantar na churrascaria brasileira mais cara  de Austin  -  a 'Fogo de Chão' . 

Estávamos celebrando o final da tradução de meu livro e meu marido e eu resolvemos convidar nosso pequeno grupo de 'tradutores'  para um farewell dinner.  ( Afinal eles vieram a nossa  casa toda terça-feira à noite, durante um ano e dois meses  para trabalharmos durante 3 horas  !  lol)  

 O preço do buffet e rodízio no F. de Chão  é de $ 50 dólares por pessoa e não inclui bebidas nem sobremesa.  Now guess what?

Era sábado à noite,   tínhamos feito reserva  e ainda assim,  esperamos mais de meia hora até conseguirmos uma mesa pois o lugar estava lotado!

WTH??!

 

Ah eu sei.  A resposta é simples:  CARTÕES DE CRÉDITO!  ( mesmo quando não se tem mais crédito algum, eles continuam funcionando e ajudando a pessoa a  afundar mais e mais  na areia movediça no fundo do poço   ...) 

Afinal onde  vamos chegar heim??

 

Já quanto ao Efeito Estufa...

Este sim,  eu vejo e sinto  claramente no meu dia a dia!

Sim,  o Texas não é exatamente um 'lugar frio' ,  mas ainda assim,  nesta época do ano deveríamos estar no  inverno . Digo, ao menos usando um suéter,  um par de botas,  quem sabe até um cachecol ...- afinal isto aqui não é o Brasil!  Aqui muita gente tem lareira em casa e há  uns dois anos atrás me lembro que nosso jardim até  congelou...

Mas agora ,  em pleno mês de março e supostamente no auge do inverno,  estou eu  aqui  escrevendo de dentro de casa  com o aquecedor desligado,  as janelas abertas, vestida  de camiseta sem manga e bebendo um iced -tea!

Lá fora , no jardim,   o gato e o cachorro estão literalmente  'tomando banho de sol' -  e volta e meia tenho de checar sua cumbuca pra ver se ainda tem água.

 ( Lila em seu  'deque'...E

 

...Senninha se refrescando à sombra de uma árvore...)

 

 

Ainda bem que  recentemente adquirimos  um studio em uma estação de esqui a 3000 metros de altura! ( Afinal nós não tivemos filhos, portanto  sobra mais dinheiro pra fazer outras coisas que não seja comprar toneladas de fraldas descartáveis,  vídeo games, I-pods, aparelhos dentários,  tênis Nike de última geração,  pagar pela  mensalidade da faculdade e , ocasionalmente,    a fiança para tirá-los da cadeia !) 

 

Sei não.  Daqui há alguns anos ,  talvez tenhamos de nos mudar para o Colorado  permanentemente...

O almoço na relva ...

Pâmelli, 02.03.09

 

No domingo participei de um picnic nos jardins do museu do French Legation em Austin.

Foi um evento organizado pelo Meet-up group de 'Francês' -  ou seja:  as pessoas que falam francês ou que SÃO francesas e que residem  aqui na cidade de Austin.

Volta e meia eles organizam algo assim -  um jantar, um programa ao ar livre, uma festa em casa particular...

 

Logo que cheguei em Austin,  no começo de 2003 e antes de me casar...Como ainda não tinha o meu Greencard,  durante 4 meses  trabalhei como guia voluntária no museu do French Legation. 

O lugar é muito bucólico e tem uma história bastante interessante -  que eu tive de aprender para poder contar aos visitantes e turistas. :-)

 

 

Muita gente não sabe que o Texas,  antes de se tornar um estado dos Estados Unidos da América,  foi uma REPÚBLICA INDEPENDENTE.

Ao contrário de outros estados americanos que foram 'roubados' do México durante a guerra Mexicana-Americana ( Mexican American War) de 1846-1848,    já em 1836  os texanos resolveram se separar do México e criar sua própria república.   ( And who can blame them?? lol)

Sim,  na época  já havia um bom numero de 'americanos' vivendo na região  e há muito que as pessoas  estavam descontentes com a política e o controle mexicano sobre suas vidas.  Consequentemente resolveram se proclamar independentes e criaram a República do Texas que existiu durante 10 anos,  de 1836 até 1846 .

 

O problema foi quando em 1846,   resolveram ( inteligentemente ...:-)  se juntar aos Estados Unidos da América , para se  tornarem oficialmente mais um estado americano.

Os mexicanos, que até então vinham 'suportando' a independência da província,  simplesmente não aguentaram saber que agora,  ainda por cima , ela passava oficialmente para o lado americano!   Foi aí que a guerra Mexicana-Americana  estourou.

 

 A consequência  da guerra para o México, como se sabe ,  foi desastrosa. 

Além de nunca mais conseguirem recuperar o Texas,   ao perderem a guerra,  os mexicanos acabaram perdendo tambem  o que hoje é a  Califórnia e o estado do Novo México!

 

---

 

 Mas voltando à época quando o Texas foi  uma república independente ( 1836-1846)...

Austin , então,  não passava de uma cidadezinha,  bastante primitiva e  recém fundada.

 A França  tinha sido  o primeiro país a reconhecer sua independência do México e sendo assim,  a pequena república resolveu criar uma legação ( versão menor e mais simples de uma embaixada) em sua capital, Austin  -  O French Legation.

 

Estávamos no ano de 1841e a capital da nova república não passava de um povoado de casinhas ( cabanas) de madeira.  As duas únicas construções que tinham 2 andares eram a Casa do Presidente e um hotel no centro. - lol

 Foi então que o governo francês resolveu mandar seu 'diplomata' - Alphonse Dubois de Saligny -   para cá .

 

Naturalmente o pobre Saligny , vindo direto de Paris,  teve um choque cultural  e ficou de cabelo em pé quando chegou neste fim de mundo.  

Ele era bem 'metido'  é verdade , mas o pobre realmente deve ter sofrido maus bocados no meio daquele bando de caipiras e selvagens. (Até índio canibal tinha por aqui na época !! )

Foi aí que mandou construir a Legação ( que  tambem serviria como sua residência) ,  no alto de uma colina , um pouco afastado do centro da cidade.

Na época , sua casa -  com  seu estilo bayou ou sulista americano...-   foi considerada  'um verdadeiro palácio' !

Muitos dos seus móveis ele mandou vir da cidade de New Orleans (  aliás, para onde Saligny costumava 'fugir' , sempre que podia ,  a fim de respirar um pouco da cultura e civilização francesa...:-))).  O jovem diplomata tambem mandou  construir uma cave para abrigar seus vinhos franceses e os jantares ( de cinco pratos principais , em louça francesa...)   que costumava servir  aos  'ilustres' personagens  locais  , eram famosos e deixavam o povo literalmente de boca aberta e queixo  caído ! 

 

Mas a estadia de Saligny no Texas  , a serviço do rei francês Louis Philippe ,   foi um grande fiasco.

Sua sofisticação e esnobismo inerentes foram muito mal recebidos pelos habitantes locais e ele teve vários 'arranca rabos' com mais de um deles.  Em um episódio famoso,  os porcos de um dos seus vizinhos invadiram seus jardins,  entraram em sua casa,  comeram seus documentos diplomáticos e sua roupa de cama francesa !   lol  Dá pra imaginar?!

 

Saligny , furioso, mandou seu mordomo atirar nos porcos.  O vizinho ficou indignado com a matança :-)) e foi o maior rebuliço .  O caso foi parar no tribunal.   ( Ve-se que já naquela época os americanos gostavam dos tribunais...:-))

Mas cá entre nós,  eu bem posso simpatizar com o 'pobre'  Saligny , perdido no meio de tantos bárbaros  :-))  Realmente , em 1840 ele deve ter  comido o pão que o diabo amassou por aqui!  lol 

 

O fato é que pouco depois do 'barraco dos porcos', muito zangado   ele foi-se embora  e nunca mais voltou a pisar no Texas .  ( Imagino as estórias dos 'selvagens americanos ' que deve ter contado aos amigos quando retornou à França...:-))) 

Sempre ambicioso,   acabou casando-se com uma mulher muito rica  ( que dizem,  ele costumava maltratar muito...:-))  e viveu  os últimos anos de sua vida em um  belo castelo na Normandia.

 

Hoje,   quase duzentos anos depois,   a pequena construção que mandou fazer para abrigar  o French Legation em Austin ainda está de pé e é considerada a primeira casa 'decente' a ser construida na cidade...

Aberto ao público em 1956 como  museu,  o lugar  nos conta  um pouco da história  do Texas,  da fundação de Austin e do seu famoso e controvertido  chargé d'affaires,  Alphonse Dubois.

 

---

 

 

Ontem,  enquanto nós, ( os atuais residentes de Austin...) ,  sentados nos jardins do French Legation  comíamos mousse de foie d'oie  , tomávamos  vinho ( um legítimo Chateauneuf-du-Pape que eu levei e que fez o maior sucesso :-))  e conversávamos em francês... Eu  não pude deixar de pensar em Dubois de Saligny.

 

Ao redor  de nossa toalha,  sobre os gramados,  estavam uma charmosa  vietnamita que morou 10 anos em Paris,  uma  bela jovem de Dallas com seu noivo da cosmopolita  São Francisco, uma professora de Aix-en-Provence,  uma enfermeira da Alsácia,  uma brasileira formada em Literatura e Civilização francesa...

Estavamos todos lá celebrando a língua,  a  cultura e  a CASA de Alphonse Dubois de Saligny  !

 

 

Então pensei que  se visitasse Austin hoje,  Dubois teria uma impressão bem diferente da cidade e de seus habitantes. 

 Apesar de seu gênio difícil , é possível  até que tivesse  feito alguns amigos e que ao voltar para sua velha França,  levasse consigo algumas boas recordações de sua estadia no Texas... 

 

---

 

 

  P.S.   Todo ano a comunidade francesa de Austin celebra o 14 de julho ( a festa da Revolução Francesa) nos jardins do French Legation com um evento cheio de música, rifas, jogos,  bebidas e comidas francesas.

Dubois , com certeza,  teria aprovado...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pág. 2/2