Quinta-feira, 30 de Outubro de 2008

Bumper Stickers

 

 

 

Uma coisa que me chamou a atenção logo que cheguei na América foram  os bumper stickers ( aqueles adesivos que as pessoas gostam de colocar na traseira dos carros...).

Muitos americanos adoram os bumper stickers e alguns são realmente muito divertidos e inteligentes.  Muitos tem mensagens políticas.  Outros são mais pessoais e  refletem as idéias e a  personalidade do motorista.

 

Até hoje,  quando vejo um bumper sticker  ,  que eu concorde com ele,  que o ache completamente idiota ou que simplesmente discorde da idéia, um sentimento que é um misto de surpresa e admiração sempre  toma conta de mim e eu penso:   

 

"  Bacana.    Isto é que é democracia de verdade!

  Você põe o sticker que quiser na traseira do seu carro ( contra ou a favor do Bush;  liberal ou conservador,  espirituoso ou carola...) e ninguem se importa.  

Sobretudo,  ninguem se atreve a pichar ou vandalizar  o seu veículo ,  a xingá-lo  através da janela ou ridicularizá-lo  simplesmene porque não concorda com sua posição política, sua  filosofia de vida ,  sua  religião ( ou a falta dela)  ou sua preferência  sexual .  

O vidro traseiro ou para-choque de seu carro é o seu outdoor pessoal :  ninguem é obrigado a comprar o que está anunciado, mas existe o respeito pela  ideia e propriedade alheia.

 

Já  no Brasil não é tão  comum vermos  carros com bumper stickers.  A maioria simplesmente traz  o anúncio de uma academia de ginástica,  uma  escola de Tae Kwon Do  ou instituto de beleza.  Poucos....Pouquíssimos mesmo,  deixam clara a posição política , sexual ou filosófica do motorista.  O melhor e mais seguro é mesmo se calar.

 

De vez em quando vemos um  bumperzinho com o nome de um candidato à prefeito ou vereador.

Para Presidente já é mais raro - com a exceção dos petistas é claro...  Afinal estes não temem nenhum tipo de 'retaliação' por  parte das 'elites' !

Já esta última,   não sei se por medo de algum ato de vandalismo,   por discrição ou simplesmente por um sentimento de 'culpa' ( o brasileiro,  ao contrário do americano,  quando é bem de vida frequentemente se sente 'culpado'...), geralmente 'fica na sua' ,  ou seja,  não coloca nada no traseiro do seu carro que possa lhe 'comprometer' ...

 

Hoje eu vi um  aqui que me divertiu bastante.  Dizia o seguinte:

"Sarah Palin:  Dick Cheney in lipstick "    ( Sarah Palin:  o Dick Cheney de baton...)

Adorei ! :-)

 

Me lembro  quando os E.U. invadiram o Iraque ( o ano que cheguei à América)  e a França foi praticamente o único país a se declarar ABERTAMENTE contra  a invasão, criticando duramente o ataque  americano.  

Na época a maioria dos americanos  ( enganados pelo governo e todas as mentiras de Bush, Cheney e sua corja...) ficaram indignados pois muitos realmente acreditavam que o governo estava fazendo a coisa certa.  Aqui no Texas, que é ' terra de republicanos' , muitos passaram a usar bumper stickers antagonizando a França.   

Um dia ,  contudo, li o seguinte no traseiro de um carro pequeno e ecologicamente correto , ou seja,  evidentemente pertencente à um democrata : 

" France was right and the RIGHT was wrong..."    :-) 

( O trocadilho não funciona em português mas a idéia é a seguinte:  A França estava certa e a Direita ( o governo de Bush) estava errada...)  

  Achei o máximo e quase cheguei a pôr um igual no meu carro -  mas depois meu 'lado brasileiro' falou mais alto e decidi 'ficar na minha' , com receio que algum caipira bitolado resolvesse dar uma martelada no meu Mercedes velhinho...:-)) 

(  A verdade é que os  'traumas' dos brasileiros com a violência  não se perdem assim, tão facilmente.  Mesmo depois de anos morando fora...) 

 Me lembro de ter ficado surpresa com o que eu imaginei na época ser  'a coragem e audácia  do motorista' ao colocar algo assim no seu carro .

Era como se hoje no Brasil , com o Lula tendo mais de 70% de aprovação , alguem pusesse um bumper sticker na sua traseira  dizendo :  "  Presidente idiota e  analfabeto"   ! 

Dá pra imaginar o que aconteceria com o seu belíssimo carro?

 

Hoje, contudo , sei que não foi coragem daquele  motorista americano   .  Foi apenas conhecimento e  confiança total  no próprio país e sociedade onde vive. 

O carinha,  apesar de ser a minoria,   sabia que ninguem iria fazer nada contra o seu carro ou ele próprio. 

 Assim como todos os americanos,  ele estudou a Constituição e conhece os seus direitos.  Ele se lembrou da Primeira Emenda  !  ( Aquela  que fala sobre o direito do cidadão a expressar livremente sua opinião, religião etc...)

 

Isto me fez pensar que  no Brasil ninguem conhece direito nem a Constituição

(  Qual é  mesmo a que estamos no momento??) nem a língua portuguesa.

Como  se pode conhecer algo que muda todo dia??

Ah,  como seria bom se  os brasileiros imitassem algumas coisas dos americanos que não fossem simplesmente os tênis Nike,  os I-pods,  os hambúrgues com batatas fritas,  os peitos siliconizados  e cabelos oxigenados,  os jeans  surrados com a cintura no meio da bunda e  a bainha rasgada...

 

Quanto aos bumpers stickers,   entre os que eu acho bastante 'Duuuuuuuuuuuuuh'  estão o famoso ' Baby on Board' (  Who cares??  Se o motorista de tras fôr  uma pessoa de bem ,  vai respeitar o carro da frente de qualquer maneira - não importa se  este esteja transportando  um adulto,  uma criança ou um papagaio!  Ele simplesmente respeita a vida -  TODA ela. 

Já se fôr um maníaco,  pouco se importará se o carro estiver com um 'baby on board' ou não...) ;  e o ' My son is an honor student '  -  o tal que anuncia que o filho do motorista é um aluno exemplar -  em outras palavras :  um CDF. 

Dá pra imaginar  um sticker no Brasil dizendo  "Meu filho é um CDF" ??!

Que mico. 

 

  Mas para contrabalançar  tanta patetice,  tem um ótimo que diz:

"My dog is smarter than your Honor Student ! "   LOL  ( Meu cachorro é mais esperto que o seu filho CDF! " 

 

E finalmente vem o meu preferido de todos.  Este,  se eu encontrar pra vender em algum lugar , porei no meu traseiro (  digo,  o do meu carro...) . 

Ele diz o seguinte:

 

" God,  help me be the person my dog believes me to be ..." :-))

( Deus,  ajude-me a me tornar a pessoa que o meu cachorro pensa que eu sou...)

 

Faz sentido não acham? 

Afinal,  nossos cachorros realmente acreditam que somos  A MELHOR PESSOA DO MUNDO ,  absolutamente sem defeitos e simplesmente o MÁXIMO! 

 

Pra mim , pelo menos , este bumper sticker é imbatível.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

sinto-me: Apenas observando em volta...
publicado por Pâmelli às 17:15
link do post | Comentários | ver comentários (4) | favorito
Quarta-feira, 29 de Outubro de 2008

Cidania americana

 

 

O estrangeiro que se naturaliza americano passa a ter todos os direitos ( e obrigações) de um cidadão americano por nascença.  Não há distinção alguma -  apenas o fato de que não poderá ser canditato à Presidência da República.  ( Ainda assim,  há algumas correntes na América que defendem esta mudança na Constituição -  de preferência ,eleitores de Arnold Schwarzenegger ( austríaco de nascimento e naturalizado americano) que é atualmente o Governador da Califórnia e, segundo dizem,  bem que gostaria de ser Presidente algum dia!  lol 

 

Durante a Cerimônia do 'Oath' , uma coisa que ganhamos de 'brinde' e que eu apreciei bastante foi um livreto com uma cópia da Declaração da Independência dos E.U.  e a Constituição Americana.

Então,  enquanto estávamos  sentados no auditório aguardando os outros 'colegas' chegarem para a Ceremony,  tive tempo de reler aquelas páginas que havia estudado  muitos anos atrás , ainda no colégio.

 

  A Declaração  dos americanos é belíssima , além de super bem escrita.

( Tambem pudera, ninguém menos que Thomas Jefferson e Benjamim Franklin  estiveram entre  seus autores...)

Que coragem,  que audácia e originalidade daquele povo!

 4 de Julho de 1776 -

Até aquele momento da história,  ninguem havia pensado em se rebelar contra seu soberano.  E neste caso tratava-se simplesmente do Rei da Inglaterra!  

Os americanos foram realmente os pioneiros  das grandes revoluções dos oprimidos contra os opressores.  Inspiraram os franceses a se rebelarem em 1789.  Inspiraram Tiradentes e seus companheiros a fazerem a Conjuração  ( Inconfidência) Mineira no Brasil no mesmo ano . 

 

Outra coisa interessante é a Constituição Americana  -  a mais antiga do mundo.

Sim,  os E.U. só tiveram uma única Constituição até hoje ,  que data de 1787 e tem  27 emendas.

As minhas 'preferidas' são :  a Primeira ,  que garante a liberdade  de  religião, expressão e de imprensa;    a Segunda,  que permite ao cidadão comprar e portar armas para se defender   ( sim ,  eu gosto especialmente desta emenda e acho uma grande hipocrisia ( além de um absurdo)   que justamente  no Brasil,   onde  diariamente milhares de  pessoas de bem , trabalhadoras e honestas são  agredidas e atacadas  pelos marginais,  isto não seja um direito do cidadão garantido pela Constituição...);  e a Quinta -  aquela que diz que ninguem pode ser obrigado  a se auto-incriminar  durante um processo  ou ter sua propriedade  privada tirada à força , para fins 'públicos' , sem a devida compensação.

 

É claro que  tudo isto parece bem óbvio hoje em dia - até porque muitos países por aí a fora acabaram fazendo uma Constituição bem parecida  e altamente influenciada pela dos E.U.A.  Mas é bom lembrar que foi aqui onde tudo começou. 

Toda esta idéia do povo tendo direitos ,  além do  poder  e  controle sobre sua própria vida!  

 

Eis a introdução à bela Declaration of Independence dos E.U.A. :

 

" When in the Course of human Events, it becomes necessary for one People to dissolve the Political Bands which have connected them with another,  and to assume among the Powers of the Earth,  the separate and equal Station to which the Laws of Nature and of Nature's God entitle them,  a decent Respect to the Opinions of Mankind requires that they should declare the causes which impel them to the Separation...

We hold these Truths to be self-evident, that all Men are created equal, that they are endowed by their Creator with certain unalienable  Rights,  that among these are Life, Liberty and the pursuit of Happiness - that to secure  these Rights, Governments are instituted among Men, deriving their just Powers from the Consent of the Governed,  that whenever any Form of Government becomes destructive of these Ends,  it is the Right of the People to alter or abolish it,  and to institute new Government,  laying its Foundation on such Principles, and organizing its Powers in such Form,  as to them shall seem most likely to effect their Safety and Happiness...'

( Adoro esta parte! :-)

 

Em seguida  ela vai apresentando toda a série de abusos e injustiças  até então cometidas ,em nome do Rei da Inglaterra , contra o povo americano . Até terminar da seguinte forma :

 

"We therefore,  the Representatives of the united States of America ( interessante ver que até então a palavra 'united'  era escrita em letra minúscula...)  ,  in General Congress, Assembled,  appealing to the Supreme Judge of the World for the Rectitude of our Intentions,  do, in the Name , and by the Authority of the good People of these Colonies,  solemnly Publish and Declare,  That these United Colonies are,  and of Right ought to be Free and Independent States;  that shey are absolved from all Allegiance to the British Crown, and that all political Connection between them and the State of Great Britain, is and ought to be totally dissolved; and that as Free and Independent States,  they have full Power to levy War,  conclude Peace,  contract Alliances, establish Commerce, and do all other Acts and Things which Independent States may of right do. -And for the support of this Declaration, with a firm Reliance on the Protection of divine Providence,  we mutually pledge to each other our Lives, our Fortunes, and our Sacred Honor."

 

 

E então veio a guerra da Revolução Americana  (1776-1783)  contra a Inglaterra. 

Houve muito sangue.  Muitas mortes.  Mas o resultado foi um país que REALMENTE lutou pela sua independência e , talvez por isso mesmo,  tenha tanto orgulho do que veio a se tornar e realizar no futuro.

Já no Brasil ,  quando se fala em independência  ,  costumamos  inflar o peito e encher a boca de orgulho ao dizer que 'não houve derramamento de sangue' ( não , o derramamento acontece hoje em dia , nas ruas das grandes cidades brasileiras...) e que Dom Pedro I  'amava tanto o Brasil que nos deu a Independência de mão beijada...'

Mas o fato é que Portugal ,  para reconhecer a independência do Brasil , exigiu uma bela  indenização de 2 milhões de libras!!  ( Será que é desta época que data o  começo do endividamento brasileiro com os bancos internacionais??) 

  Aliás, é interessante notar que os E.U. foram o primeiro país a oficialmente considerar o Brasil independente.

 

 

E agora,   só para terminar,  fecho este   post com algo bem 'americano' e especial.

Na verdade,  algo que muita gente,  das mais diversas nacionalidades e  nos mais diferentes países do mundo,  reconhece,  aprecia, se emociona e , de uma certa forma , ( assim como um Mozart,  um Jobim,  um Beethoven ou um Vivaldi...) não deixa de considerar um  'patrimônio da humanidade' ...:-)

 

Sinatra and NYC  - could it get any better than that??

 

 

 

 

 

 

 

 

sinto-me: In love with N.Y. and Sinatra!
publicado por Pâmelli às 21:01
link do post | Comentários | favorito
Segunda-feira, 27 de Outubro de 2008

De volta a 'casa' ...

 

 

Faz tempo que não passo por aqui.

É que tenho estado um pouco mais ocupada do que de hábito -  no momento estou dando 3 cursos diferentes em três estabelecimentos diferentes da cidade:  "Português do Brasil " na Universidade ( curso informal e aberto ao público em geral) ,  'Francês' para uma única aluna particular na Berlitz  ( esta estória vale a pena de ser contada em algum post ...) e um curso sobre a estória e os principais compositores da Bossa Nova para um instituto que oferece cursos variados para 'idosos' .  ( Este tipo de atividade é muito popular na América e muitos 'velhinhos' adoram continuar estudando, participando de aulas e interagindo com novas pessoas depois de  se aposentarem. Então se inscrevem em cursos como 'Pintura à óleo' ,  'Caligrafia',  'Sonetos de Shakespeare',  árabe, italiano ou português..., 'Religião'  ou 'A História da Bossa Nova " ! )  lol 

Esses,  aliás,  são os meus alunos mais divertidos,  animados e interessados !!

 

 

Agora a NOVIDADE :-) 

 

Desde quinta-feira passada ,  tornei-me oficialmente cidadã americana! 

THANK GOD!!!

O 'verdinho'  não vai completamente para o lixo -  afinal voltamos ao Brasil pelo menos uma vez por ano... ( Só o que me faltava agora era ter de PAGAR 140.00 dólares para tirar um visto para voltar ao Brasil  ( Que piada de mal gosto ) e ainda por cima ter de ficar na fila dos gringos no aeroporto para passar pela imigração ! )

But that 's as far as my patriotic feelings  for my old country go... Désolée.

 

A cerimonia do 'oath' ( juramento )   foi muito bonita e aconteceu em um imponente prédio na cidade de San Antonio.  Fomos mais de 200  'novos cidadãos americanos'  a recebermos o "Certificate of Citizenship" -  pessoas vindas dos mais diferentes lugares, incluindo IRAQUE, PAQUISTÃO,  AFEGANISTÃO, VENEZUELA  e é claro,  Bahamas,  Espanha, Itália, Alemanha,  India, Turquia, Polonia, México e muitos outros.

Isto é que é true democracy

 

Durante a cerimônia,  é claro que tinha que ter um brasileiro retardado pagando algum mico -  Quando diziam o nome do país de origem do 'novo cidadão' ,  a pessoa em questão  ( EU ! ) , tinha de se levantar.  Aliás,  havia apenas uns 3 ou 4 brasileiros se naturalizando  -  e não,  não creio que seja por ' amor incondicional à velha pátria...' ,  mas  simplesmente  porque a maioria dos brasileiros na América é mesmo ilegal e portanto não tem direito a se manifestar e muito menos a se naturalizar.

 

Mas voltando ao 'mico'...

Pois não é que quando disseram 'Brasil' ,  e eu tive de me levantar,  assim como os outros  3 ou 4 brasileiros,  algum idiota  no fundo ( onde se encontravam os familiares dos novos cidadãos, incluindo meu marido...)  resolveu dar um gritinho bem alto  de 'YEHEIII' ,  assim como se estivesse na arquibancada do  Maracanã e o Brasil tivesse acabado de fazer  um gol??!  

&*%$#@&* !    Mas será possível que nem quando se está mudando de nacionalidade ( aliás,  a ANTÍTESE do comportamento patriótico !)  o ufanismo patético do brasileiro não consegue simplesmente ficar na sua , quieto, discreto  e calado!! Tem que queimar o filme de todos os outros?!

Arre égua!!

 Enfim,  o fato é que todos nós  estávamos mais do que contentes e orgulhosos da escolha  e oportunidade que tivemos na vida  - inclusive eu. 

So, hang me!

 

Após a cerimônia ,  meu marido me fez uma surpresa:

Fomos almoçar no 'Charter House'  -  um elegante restaurante rotativo e marco turístico da cidade de  San Antonio. 

Fica a cerca de 200 metros de altura e tem uma bela vista de toda a cidade.

 

( A torre com o restaurante no topo e o elevador panorâmico -  bom para os claustrofóbicos, como eu :-))

 

Ganhei tambem um broche especial  ( que muitos com certeza acharão brega e ridículo...) mas que eu adorei - especialmente naquela ocasião:  uma mini bandeira do USA , mais parecido com um pin do que um broche ,   em ouro 18K,  com safiras, brilhantes e rubis. 

Cute,  so cute!! 

É perfeito para se usar  sobre a gola de um blazer em um dia especial na América , como o   4th of July,  Thanksgiving ,  Flag Day,  Memorial etc...

 

 

 

Agora ,   mudando de assunto...

Vejo que meu blog tem cerca de entre 30 a 40 visitas por dia -  mesmo quando não escrevo nada-  e  quase ninguem comenta.

Não pode ser 'por engano' que esses voyeurs acabam entrando por aqui!

O que isto significa??

Quem são estas pessoas?

Portugueses??  

Penso que devam ser poucos os portugueses a querer entrar em um blog brasileiro,  mas considerando o tanto que eu costumo MALHAR o Brasil e certos comportamentos 'típicos brasileiros'  que me incomodam ...  É bem capaz de alguns gostarem de ler alguns de meus posts . :-))

( Detalhe:  a escolha do SAPO foi mero acaso:  eu nem sabia que era um site português e já havia tentado me cadastrar em uns dois outros antes , que não funcionaram ...)

 

Brasileiros?? 

A maoiria dos que entram aqui devem sair  fulos da vida com o que lêem  e com vontade , no mínimo , de me torcer o pescoço ! 

Se bem que alguns podem até  concordar com o que escrevo -  apesar de não terem coragem de dizê-lo abertamente...

 

Ainda podem haver aquelas pessoas que gostam de ler meus posts sobre viagens e aproveitar alguma dica ou outra  que dou.  Não deixa de ser uma 'viagem' -  mesmo que virtual -  e nem todo o mundo pode,  gosta,  ou tem a coragem de simplesmente pack and go somewhere... ( Sim,  eu conheço mais de uma pessoa que tem dinheiro, saúde , fala línguas etc.. , mas nunca teve a coragem de sair do buraco onde nasceu , cresceu e onde muito provavelmente  vai se enterrar tambem!!)

 

Enfim,  este fim-de-semana estivemos fora - no Colorado.

Pretendo , talvez no próximo post,  mostrar algumas fotos que tirei da cidadezinha nos Rocky Mountains onde ficamos.

Salut!

 

 

sinto-me: Pronta para começar a semana!
tags: , ,
publicado por Pâmelli às 16:48
link do post | Comentários | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 21 de Outubro de 2008

A capital

  

 

Paris, Paris, Paris...

 

Houve uma época em que eu fui tão,  mas tãooooooo , apaixonada pela 'Ville des Lumières' !

Não mais.

 

É claro que Paris continua sendo a capital da França e uma das cidades mais bonitas e charmosas do mundo. 

Mas muita coisa mudou desde que estive lá pela primeira vez em 88.  ( Ou  será que fui eu que mudei??)

Naquela época era estudante na Alliance Française no Boulevard Raspail .  Passei 6 meses na capital francesa .  Era tão novinha ( tinha 22 anos),  tão ingenua...Achava aquilo o máximo!!

Mas foi minha primeira viagem à Europa.  Meu primeiro contato com a 'civilização' -  saída direto do Rio de Janeiro ...

Adorei tudo.  Os prédios,  a comida, a língua,  a maneira como os parisienses se vestiam, ( ninguem, simplesmente NINGUEM  sabe amarrar uma écharpe em volta do pescoço com o charme de uma parisiense! )   o que pensavam, o que liam e discutiam.

Além de tudo estava apaixonada -  ou pelo menos achava que sim.  :-)

 

Voltei muitas vezes.  Oito ao todo. 

Mudei.  ( Ou foi Paris que mudou??)

 Um ano passado em Lisboa.  Dois em Berlim.   Mais de cinco na América.  Muitas e muitas viagens...

Com certeza fui eu que mudei. 

 

Hoje acho Paris simplesmente  uma bela cidade -  mas tambem bastante suja,  poluída, estressante...

 Com gente demais por todos os lados,  já não tem mais a mesma elegância e glamour de antes .  O French touch  há muito diluído no meio de tanta globalização ( americanização?)

Reparo  nos cabelos oleosos e sujos das pessoas...Em suas roupas surradas e mal lavadas. Todo o mundo sempre  com um cigarro na mão.  Papéis jogados  nas ruas.   Os lindos prédios da cidade  'negros' e com o aspecto enferrujado  de tanta sujeira e poluição!  

 O ar  é pesado...

Paris,  ( I'm so sorry to say it ) simply  doesn't agree with me anymore!  :-(

 

 

 

Ainda assim , o Louvre  não deixou de ser fascinante...

 

As pontes sobre o Sena  continuam lindas,  especialmente a minha favorita :  a Alexandre III

 

O céu (  Ah,  sempre dou sorte em Paris!!) azul e sem uma única nuvem...

Em um café no alto do  Centre-Pompidou ,  comi um sanduíche maravilhoso servido por um garçom  de terno preto de corte  impecável...:-)

A exposição temporária de  Rouault ,  no Centre,  assim como toda a coleção permanente  dos fauves e pintores da École de Paris foi um verdadeiro treat !

O bairro do Ópera continua sendo o meu favorito e sempre animado.    

 

 

A Ópera Garnier sempre linda...  ( Como não lembrar do Fantasma??)

 

Notre-Dame...

Sempre que vou à Paris , nunca posso deixar de visitar Notre -Dame..  Olho para as torres lá em cima e parece que estou vendo o padre libidinoso,  a sensual Esmeralda e o pobre Corcunda jogando chumbo derretido em cima das pessoas lá embaixo... Ah, o genial romance de Victor Hugo! 

 

 

Os bouquinistes  ,  com seus quiosques ao longo do rio Sena , continuam  vendendo seus livros usados ,  as gravuras, as brochuras...

 

                A vontade que se tem é de comprar um monte daquelas bugigangas e encher uma mala inteira!

 

Trouxe dois Zola da livraria Gilbert Jeune,  a minha preferida no Quartier Latin. 

Adoro Zola. Adoro comprar aqueles romances  classiques  que eles vendem no útimo  andar da livraria ...  

 

E os cachorrinhos franceses , heim? :-)

 

 

Sempre que vou à Paris simplesmente tenho que tirar foto de algum cachorrinho parisiense!

Anos atrás tirei uma de um poodle sentado à mesa de um café  ( na cadeira)  , ao lado de sua dona e , como ela e os outros clientes do restaurante ,  simplesmente   observando  os passantes  do outro lado do vidro...

 

 

Sim, Paris continua sendo Paris,  mas muito  tambem mudou.

Eu mudei. 

A maior diferença hoje,  quando viajo para lá ...É que ao término da viagem ,  enquanto sigo de táxi para o aeroporto de volta para casa,   não sinto mais como se meu coração fosse  se partir  ao meio  e eu morrer de tristeza e desgosto.  Em outros tempos eis o que eu  pensava :   

  "  Se o avião explodir e eu morrer , tudo bem.  Como sinto-me  infeliz de estar indo embora!"

 

Hoje eu penso assim  : 

" Foi bom.  Viremos  de novo ,  mas que bom que agora estamos voltando pra casa ! 

 E por falar em casa,  será que a Lilinha e o Senninha ficaram bem durante a nossa ausência ?? "

 

 

sinto-me: Como um arco-íris sobre Paris
publicado por Pâmelli às 05:59
link do post | Comentários | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 20 de Outubro de 2008

Quantidade e não qualidade de vida!

 

 

Um parênteses entre o meu último post sobre nossa viagem à França e o próximo ( Paris)  -  que  será o último da viagem ...

 

Na edição de 17 de setembro da Veja ( eu estava com minha leitura da revista atrasada por causa do MONTE de hóspedes que tivemos nestas últimas semanas , um atrás do outro! ) havia um artigo muito interessante sobre o Chile.  

Dizia que ,  se continuar com seu atual ritmo de crescimento,  em apenas 12 anos  ( ou seja: em 2020) o Chile se tornará um país de 'Primeiro Mundo' .  Isto porque atingirá a renda per capita de 21 mil dólares ( o triplo do brasileiro) -  o mínimo exigido para que um país seja considerado de 'Primeiro Time' .

O interessante é que esta é a renda per capita de PORTUGAL !! 

Ou seja,  se tudo correr bem nos próximos 12 anos,  o Chile se tornará um Portugal...

 

E o Brasil??

Segundo o gráfico na mesma reportagem,  ( e suponho que seja confiável já que as fontes são a Universidade Edwards na Califórnia,  a Harvard e a UFRJ  no Brasil...)  se tudo continuar indo 'maravilhosamente bem'  na economia brasileira ,   o Brasil levará  apenas 35 anos para atingir a renda per capita de Portugal!

( A Argentina 16 anos...O Méximo 25 anos...A Venezuela 30 anos...A Bolívia 100 anos...)

 

Uhm.  Agora a minha pergunta é a seguinte:

Se o Brasil vai levar - na melhor das hipóteses - 35 anos  para atingir a renda per capita de Portugal (21 mil dólares) ,  ou seja,  então passar oficialmente a ser classificado como país de 'Primeiro Mundo' ,  como é que se explica o fato de a língua portuguesa  no mundo inteiro  ( incluindo em  Portugal) agora ter se 'adaptado'  ( rebaixado?)  ao português do Brasil?? 

Como é que de repente o Brasil ficou como toda essa BOLA??

 

Eu não sou economista.  Tenho dificuldade em entender dessas coisas.

Mas só pode ter a ver com o número de pessoas em cada país  -  ( Portugal inteiro cabe dentro da cidade de São Paulo ! )

200.000.000 de brasileiros no mundo.   Só pode ser  isto. 

 Pelo visto,  no capitalismo  o que importa  mesmo  é  a QUANTIDADE de gente que vive  em um país , e não a QUALIDADE de vida das pessoas ! 

 

Será que eu entendi bem???

 

 

sinto-me: Sem entender nada !
publicado por Pâmelli às 16:46
link do post | Comentários | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 16 de Outubro de 2008

A França romana e medieval...

Mas , deixando as mazelas cariocas pra trás ,  voltemos aos dias que passamos na França...

 

Após Sête,  seguimos para Carcassonne  ,  que eu sempre tive  vontade de conhecer.

Descobrimos um hotelzinho ao pé do morro ,  bem próximo à entrada da cidadela.

 

Carcassonne é uma cidade para se passar ao menos um dia inteiro e noite. 

Um verdadeiro cenário de conto de fadas,  no seu auge,  ( lá pelo Século 12) ,  foi governada pela família Trencavel, que construiu o castelo e a catedral da cidade.

Tudo foi  divinamente restaurado pelo arquiteto francês Violet -le- Duc no Século 19.

 

Uma vez dentro da cidadela,  visitamos o castelo  ( foto)  ( Chateau Comtal),  a basílica de St. Nazaire ( em estilo românico e gótico) e passeamos por entre as várias lojinhas de suvenirs,   cafés e restaurantes turísticos da cidade. 

 Fizemos um pit-stop em uma crêperie ( restaurante de crêpes) na hora do almoço   e à noite comemos  em uma brasserie  chamada "Le Donjon"   (o lugar parece um 'donjon' moderno e estilizado...:-)) ,  próxima à entrada do castelo.   

( Nome muito  apropriado aliás ,  já que  donjon  se refere à torre central dos castelos medievais  -que frequentemente tinha uma prisão!  - daí o nome dungeon em inglês...)

 

Em seguida ( já a caminho de Avignon, onde deixaríamos o carro no dia seguinte, antes de seguirmos de trem para Paris...)  partimos para Narbonne  ,  outra cidade fundada pelos romanos no sul da França.

Ao contrário de Arles ,  Narbonne hoje tem muito pouco do que restou daquela  época . 

 Ainda assim,  no centro antigo e medieval da cidade,  pudemos visitar o Museu Arqueológico e da Pré-História (  que mostra  boa parte da herança romana de Narbonne ) ,  descobrimos a  'ruína'  de uma antiga rua  ( via) romana   ( na foto)

 

 

e visitamos o Horreum - um conjunto subterrâneo do Século 1 a.c. ,  que era usado  como armazém ,   já que Narbonne era naquela época  um importante porto e a capital da província romana na Gália. 

 

Resolvemos então seguir para Nîmes ( afinal eu queria fazer o 'triângulo romano'  :-)) - Arles, Nîmes e Narbonne) ,  já que a cidade fica bem próxima de Avignon, onde deveríamos chegar no dia seguinte.  

(Eu havia estado em Nîmes  igualmente no ano anterior e tido  a oportunidade de conhecer o enorme anfiteatro , assim como o templo da Maison Carrée - ambos da época romana .)

 

Já passava das 8 da noite quando chegamos lá.  Deixamos o carro no hotel e seguimos à pé até a área nos arredores do anfiteatro a procura de um restaurante. 

No dia seguinte começariam as ferias   ( os festivais e touradas) de Nîmes e a cidade  já estava cheia de turistas . 

Conseguimos  o último quarto do hotel -  o único que  tinha sobrado e  que era  sem chuveiro no apartamento  , apenas no corredor!!.  Ainda assim demos sorte de encontrar um lugar pra ficar  no centro turístico da cidade,   já que não tínhamos feito qualquer reserva .

 

O passeio à noite pelo centro de Nîmes em direção ao restaurante que nossa recepcionista recomendou foi muito agradável  e àquela hora da noite o anfiteatro romano  me pareceu ainda mais impressionante.  ( O de Nîmes é ainda maior e  está mais bem preservado do que o de Arles...)

 Nosso jantar  aquela noite  foi um dos melhores que tivemos  na França : 

 O lugar se chamava  "Le Cheval Blanc"    ( Cavalo Branco) - afinal a Camargue não estava muito longe dalí. :-)) ... E tanto o gazpacho quanto o foie-gras estavam de tirar o chapéu! 

Adorei especialmente os quadros nas paredes ( bem modernos, lembrando um pouco Picasso) .  O ambiente é no  estilo 'casual-elegant' ( chique sem frescura)  e o lugar, apesar de  bem animado ,  não deixa de ser romântico.  O preço, contudo,  é um pouquinho salgado - principalmente para quem ganha em dólar hoje em dia...  :-(  ( MANY THANKS  George W. Bush for f*cking*&%up the economy!! )

 Anyway,   assim encerramos nosso tour pelo sul da França .

 

 

No dia seguinte pegaríamos o TGV ( o trem bala francês)  rumo à Paris, onde ficaríamos apenas 3 dias , antes de retornarmos aos E.U... 

sinto-me: Adoro ser turista!
publicado por Pâmelli às 05:29
link do post | Comentários | favorito
Quinta-feira, 9 de Outubro de 2008

Languedoc Roussillon

E então seguimos em nosso carrinho mínimo (  o Fiat 500)  , partindo de Avignon,  em direção ao Languedoc Roussillon -  aquela região da França combinando quilômetros de orla marítima ( e , ao contrário da maioria das praias da Côte d'Azur,  com AREIAS - ao invés de pedras...-  brancas e limpas!) e uma variedade de balneários , desde pequenas aldeias de pescadores até alguns resorts feitos sob encomenda.  Eu não via a hora de avistar o Mediterrâneo! 

 

Decidimos seguir para Sête -  uma destas cidadezinhas com tradição pesqueira e a cidade natal do poeta,  compositor  e cantor Georges Brassens  ( com suas músicas  meio picantes e  divertidas) , assim como  do poeta  moderno Paul Valéry .

No caminho para lá ,  passamos pela Camargue ( a região pantanosa da França , famosa pelos seus  flamingos,  os touros e principalmente os pequenos  cavalos  árabes brancos...) e alguns balneários mais simples como Les Saintes Maries de la Mer e  Le Grau du Roi.  

A surpresa foi  quando chegamos  em La Grande Motte   -  um resort evidentemente moderno e , imagino, feito sob encomenda para turistas com o espírito mais 'badalado'  e sofisticado -  mas ainda assim,  bem mais low profile do que os balnerários  da Côte d'Azur , famosos por seus festivais de cinema ,  milionários, cassinos e celebridades...  

As modernas  construções em La Grande Motte  são muito bonitas ,  com seus  prédios  lembrando a forma de  um navio e a  marina,  cheia de belas embarcações privativas e rodeada de   cafés e restaurantes  animados.

Por um momento pensamos em passar a noite por lá mas depois decidimos seguir  mesmo para Sête ,  conforme o plano original.

 

Afinal chegamos na  ' pequena pérola do Mediterrâneo' ...  Que  eu já tinha conhecido o ano anterior e havia gostado bastante. 

O hotel mais 'clássico'  da cidadezinha é o Grand Hotel , bem no centro , mas decidimos ficar em um mais simples e na parte mais moderna da cidade -  La Corniche. 

 Na parte antiga (  o Centro )  os prédios são em  estilo clássico ( Séculos 17? 18? ) , a avenida principal se chama 'Victor Hugo' :-)  e o teatro municipal é o 'Molière'  :-) . (Adoro essa mania que francês tem de dar nome de escritores famosos às ruas das cidades ! )

 

Sête é  cortada por vários canais      ( lembrando uma pequena Veneza)  e no bairro mais rústico dos pescadores há o  Vieux Port  ( o porto antigo),  de onde saem os barcos pesqueiros todas as manhãs. 

  La Corniche, onde ficamos,  fica à uns dez minutos do centro e é a primeira praia ao longo da orla.  São   quilômetros e quilômetros de praia de areia limpa, com o mar calmo e pouca gente .  (É verdade que já estávamos no final do verão ,  portanto já fora da  temporada.  Imagino que o lugar fique bem cheio no auge do verão e durante as  férias escolares na França...)

Ao longo da costa,  seguindo em direção ao centro da cidade ,  há uma bela estrada  e , ao lado,    um calçadão perfeito  para se caminhar ou andar de bicicleta.  Me lembrou a Avenida Niemeyer no Rio  - somente  com 'algumas diferenças' :  

Primeiro,     em Sête,  o morro  que acompanha a estrada é decorado por charmosas  villas , hoteizinhos  ou condomínios de apartamentos  (Na Avenida Niemeyer temos a  gigantesca favela do Vidigal ! ) . Segundo, na cidade de Brassens , do lado da costa , o mar é  o Mediterrâneo  :-)  -  e alí ,  ao contrário do que dizem das praias na Côte D'Azur,  a água é visivelmente limpa e sem poluição !   ( Já no Rio ,  as praias de Copacabana, Ipanema, Leblon,  São Conrado etc..., banhadas pelo Atlântico, há  muito que estão poluídas com o monte de esgoto (não tratado!)  que é  jogado  ao mar diariamente ! )

Por fim,   o melhor da história:  Na avenida a beira mar de Sête,  pode-se andar a pé,  de carro ou de bicicleta CALMAMENTE ,  aproveitando a vista , parando para conversar,  sentando-se  em um dos banquinhos para namorar  , tirar fotos ou filmar os arredores . 

 Sim,  conterrâneos brasileiros,   eu seguia  a pé , tranquilamente   com minha câmera digital e filmadora à tira-colo,  sem a menor preocupação ou sentimento de ansiedade!   O ar era leve , seco e limpo.

Já no Rio,  quem se atreveria a sair do carro e caminhar pela  Av. Niemeyer??  Aliás,  nem tem calçada (  muito menos calçadão!!)  para se andar ao longo da avenida  !

  Câmeras e filmadoras por lá ??  Boa idéia  -  para quem estiver pensando em um  suicídio bem rápido! 

A verdade é que na antiga Cidade Maravilhosa  ( Hoje , Cidade Calamitosa...) ,  atualmente não é preciso sequer sair do carro para se levar um tiro de bala perdida partindo de alguma favela , ou  uma bala muito bem direcionada e com o intuito bem específico  , saída  da pistola de algum assaltante de sinal...

(  Cariocas, se eu estiver mentindo, por favor,  escrevam e comentem no blog dizendo que  estou  inventando coisas e difamando o povo e a cidade do Rio de Janeiro! )

 

  Por fim, à noite jantamos em um dos restaurantes no centrinho turístico da cidade.

Sopa de peixe e camarões na chapa -  tudo com cara  e gosto mais de cozinha espanhola  :-((  seca e sem molho) do que francesa.  Afinal ,  Barcelona  estava apenas há poucas horas de distância...


Meu marido não ficou muito impressionado com Sête.  Talvez tivesse gostado mais de Nice , St. Tropez ou Cannes.  Mas eu sim.  

Adorei aquela cidadezinha à beira do Mediterrâneo , sem pretensão,  com hotéis baratos, turistas  principalmente  franceses e restaurantes simples mas charmosos.   Uma França com o espírito e o sotaque bem do Midi  ( Sul) ;   como as músicas de Georges Brassens....

 

 Talvez  tivesse me sentido assim porque  o lugar , em sua parte mais moderna como La Corniche , tenha me lembrado muito o Rio de ANTES .   Uma  espécie de 'mini -Barra da Tijuca', de  trinta anos atrás ,  quando  eu era pequena e as  praias ainda  eram limpas e quase desertas, as construções eram poucas e espalhadas,  o trânsito suportável e  os cariocas ainda tinham orgulho de sua cidade e eram  felizes... 

 

 

 

sinto-me: Aplaudindo o Sul da França
publicado por Pâmelli às 22:12
link do post | Comentários | favorito
Terça-feira, 7 de Outubro de 2008

Cansada

-Queria hoje só ficar em casa .  Sozinha o dia todo.  Com meu computador, meus livros, minhas revistas VEJA  ( as três últimas edições estão ainda lacradas ) minha parabólica pegando a Globo Intenacional,  meu cão e meu gato...E SÓ !

 

-Arrumar meu armário , que está um PESADELO , assistir um pouco de  Ana Maria Braga  ( 'Mais Você') , com sua voz calma e suas receitas bastante caseiras e até meio bregas...

 

-Depois do almoço poder  tirar um cochilo e , quem sabe,  sair para o Hills pra nadar um pouco mais tarde...

 

 *  Ao invés disso,  daqui a pouco  tenho de levar minhas hóspedes para dar uma volta no centro...

( Amanhã será dia de compras.  Brasileiro na América só pensa em fazer compras!!)

  * Dar  aulas de francês esta tarde na BERLITZ... ( a aluna gosta muito de mim e de minhas aulas , mas é extremamente difícil !  )

  * Receber meu grupo de tradução hoje à noite -  nos encontramos toda terça pois estamos traduzindo  para  o inglês um romance que escrevi em português (  nunca foi publicado ) e que pretendo publicar o  ano que vem , aqui , nos E.U...

 * Após a sessão de tradução (  às 9:00 pm)  ,   ainda tenho que preparar alguma coisa para o jantar. 

Será pizza , que é mais fácil e rápido.  ( Ou estou tentada a dizer às pessoas da casa -  VIREM-SE .  A geladeira está cheia.  É cada um por si! ) 

 

Felizmente ,  domingo todos voltam para suas casas - e eu,  hopefully ,  para o meu sossego.

 

Hóspede é bom -  mas o ideal ,  são só uns 3 dias!!!

 

sinto-me: Louca pra ficar sozinha !
publicado por Pâmelli às 14:34
link do post | Comentários | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 6 de Outubro de 2008

Chateauneuf

 Durante o pequeno intervalo como  anfitriã para minha tia e sua amiga, volto ao blog para relembrar os golden moments de nossa viagem à França :-) 

 

 

   E então,  enquanto ainda estávamos em Avignon,  seguimos de ônibus  com o pessoal  do Viking em uma excursão de meio -dia até o vilarejo de Chateauneuf-du-Pape.

 

Parece que um dos Papas de Avignon ( não sei  qual deles) ,  a um certo momento decidiu que ter apenas o Palácio dos Papas  na cidade não era suficiente.  ( Até que eles não tinham mania de grandeza...) Resolveu então construir um palácio 'menor',   de verão,  há cerca de meia hora da cidade.

A região é  rodeada de vinhedos produzindo , é claro,  os maravilhosos vinhos de Chateauneuf-du-Pape !  ( literalmente: O Palácio Novo do Papa...)  

Hoje infelizmente só restam as ruínas   da construção , que foi destruída durante as Guerras de Religião ( CatólicosVSProtestantes) do Século 16.  ( e parece que durante a Segunda Guerra o que restou das ruínas ainda foi mais bombardeado...) mas o melhor  da história são mesmo os VINHOS!!  lol

Aqueles Papas de Avignon podiam não ser lá muito famosos por sua 'santidade' , mas os vinhos que inventaram  são de tirar o chapeu!

 

Primeiro visitamos o vilarejo que leva o nome dos famosos vinhos :  Chateauneuf-du-Pape

Gracinha :  ruelas estreitas, uma igreja medieval em estilo românico , caves e mais caves para degustação e compra do vinho local, um predinho de prefeitura mais parecendo uma casinha de boneca...

Fizemos uma degustação na Maison Bouachon    onde comprei um avental com  a griffe da casa  :-)) , além de algumas garrafas de Chateauneuf 2001 e 2005 -  aparentemente duas excelentes safras...- que corajosamente resolvemos trazer para casa dentro das malas!  ( Felizmente todas chegaram intactas ...)

 

Em seguida  fomos ver o que restou das ruínas do palácio de verão  do Papa. 

Pouco sobrou da construção ,  mas do alto da colina , podemos distinguir  quilômetros e quilômetros de vinhedos , assim como  os vilarejos em volta com suas  construções  rosadas  tão típicas da Provence.  A única pena foi o dia estar nublado :-(

 

A surpresa mais tarde  foi encontrarmos no camarote , um convite   para nos juntarmos ao Capitão e Gerente do hotel /navio  para o jantar.  

  À mesa,  além de nós dois,  havia igualmente uma senhora australiana que aparentemente já havia feito vários cruzeiros com a  Viking. 

Penso que fomos as duas  escolhidas por sermos umas das poucas pessoas a bordo que falavam francês -  a maioria dos viajantes eram americanos...- e o capitão falava apenas francês!

( 'Estranho,  muito estranho... ' - pensamos .  Como pode o capitão de um navio de luxo , com a maioria dos clientes sendo americanos , não falar inglês?? 

Mas tanto melhor !  lol   Não fosse por isso,  talvez não tivessemos sido convidados para  nos juntarmos à  eles e o jantar ,  cá entre nós,  foi muito bom!  :-)) :  A  conversa foi agradável ,  fomos mais paparicados  do que nunca  pela tripulação   :-))) e o vinho servido aquela noite foi simplesmente um Chateauneuf 2002 ( Aparentemente não uma das melhores safras,  mas ainda assim,  DI-VI- NO!!)

 

Enfim,  no dia seguinte desembarcamos do Viking ,  alugamos um carrinho ( um Fiat 500) e resolvemos seguir pela costa , rumo à Espanha , em direção à região do Languedoc Roussillon.   ( Se seguíssemos  na direção oposta iríamos bater na Côte d'Azur   - Cannes, Nice, Cap Ferrat ...-  , mas não estávamos com espírito para  tanta badalação e glamour.  

A idéia , ao contrário,  era visitar  alguns  vilarejos  de pescadores,  mais algumas cidades das antigas 'províncias romanas'  e dar uma passada pela  famosa  cidade medieval  de Carcassonne, que eu sempre tive vontade de conhecer.  

Não tínhamos reservas em qualquer hotel e nem sabíamos onde iríamos dormir aquela noite  mas eu queria simplesmente ver o mar.  

 

Seguimos então em direção ao balneário e cidade de pescadores de Sête,  que eu já conhecia e onde já tinha estado no ano anterior...

 

 

 

sinto-me: Relembrando tudo com prazer
publicado por Pâmelli às 05:44
link do post | Comentários | favorito
Sexta-feira, 3 de Outubro de 2008

Pausa

Antes de seguir para nossa curta estadia em Paris,  queria falar sobre a excursão que fizemos (ainda com o grupo do Viking) ao vilarejo e vinhedos do Chateauneuf-du-Pape.

Mas nos próximos dias será difícil!

 

Agora que minha mãe voltou para o Brasil , estou novamente com visitas -  minha Tia e sua amiga.

As duas ficarão conosco por uns dez dias e , ao contrário de minha mãe,  precisam de atenção constante.  É que uma já é idosa ( já passou dos 70)  e a outra não fala sequer uma palavra de inglês!

Apesar disto,  todo ano, nesta época ,  seguem religiosamente para Nova Iorque ( que adoram!) , onde celebram o aniversário de minha Tia , e depois dão uma passadinha por aqui.

 

Minha Tia  D. é uma figura.

Viúva , duas vezes.  AMA de paixão os Estados Unidos.  ( Seu sonho,  ( nesta idade) é se casar , pela terceira vez,  com um americano...lol

Ela PENSA que aguentaria viver aqui nos E.U.

Imagine... No Brasil ela não pega nem uma vassoura -  quem diria um aspirador!

Tem uma empregada que vai com ela até ao super-mercado!

 

Enfim,  hoje tenho aula o dia todo -  digo,  DAREi aula o dia todo.

As duas ficarão de molho aqui em casa , mas como andaram feito loucas e saíram todas as noites que estiveram em N.Y....Estão dando graças aos Céus de poderem agora finalmente 'se recuperar'.

E o  Texas é um bom lugar para se fazer isso.  (  Não tem mesmo muito o que se fazer por aqui- ainda mais em comparação com N.Y.C.!!) 

 

À noite levaremos as duas para tomarem uns drinques no Driskill -  este é o hotel mais antigo e elegante  (  O Copacabana Palace...:-)) de Austin.

Muito bonito.  Muito 'classical Texan...' :-).  

Cabeças de gado nas paredes...Lustres de chiffres de boi... Enormes estátuas em bronze de cowboys...

Parece que você  está no meio de uma cena de 'Dallas' e que , a qualquer hora , o JR vai aparecer na sala saindo de algum lugar...

 

So long....

 

 

sinto-me: Cansada com tantos hóspedes!
publicado por Pâmelli às 13:53
link do post | Comentários | favorito

.Mais sobre mim

. Meu Livro

COPADRAMA

- A Brazilian Tragicomedy

(um romance em inglês de I. Pamelli M.)

. Comprar na AMAZON.com

.Julho 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Um memoir e romance de vi...

. Um romance de memórias e ...

. Romance para este inverno...

. Visita ao maior Santuário...

. Dica de leitura para este...

. Leitura de verão: Três ro...

. Copadrama -Uma tragicoméd...

. De volta , mas nem tanto....

. Loucura, desgraça e um sh...

. Sorria, você está na Flór...

.arquivos

. Julho 2019

. Julho 2018

. Janeiro 2018

. Novembro 2017

. Junho 2017

. Abril 2016

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.flag counter

free counters

.subscrever feeds