Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Parada Essencial

Benvindos ao "Diário politicamente incorreto da Pâmelli" - uma brasileira/americana childfree, residente nos E.U.A. desde 2003 Viagens, cultura, desabafos e muito mais!

Beaune & Lyon

Pâmelli, 26.09.08

E então a primeira cidadezinha que visitamos na região da Borgonha, enquanto ainda estávamos ancorados em Chalon-sur-Saône , foi Beaune.

Seguimos para lá de ônibus com o grupo do Viking e lá fizemos uma degustação em uma das muitas maisons dos comerciantes locais.

No centro da cidade visitamos o famoso Hôtel Dieu,     o antigo hospital da cidade. Trata-se de   uma jóia medieval , com seus telhados borgonheses coloridos,  fundado  por volta de 1443 durante o período da Guerra dos Cem Anos.

 

A chegada de navio à Lyon foi especialmente charmosa .

A segunda ( ou terceira, depois de Marselha??)  maior cidade da França é famosa pela gastronomia e a seda. 

Adorei o fato da cidade ser cortada por dois rios :  o Rhône e o Saône  -  e claro,  decorada por  lindas pontes   ,   assim como Paris.

Fizemos um city tour de ônibus e depois tivemos um tempinho livre para fazer umas compras.  Foi então que corri até a parte comercial  da cidade e, sob a recomendação de nossa recepcionista no navio,  descobri uma loja que só vende echarpes em seda de Lyon.

Comprei duas - lindas!   :-)  ( Uma delas aproveitei para usar no jantar do Capitão...:-)

Ainda na correria ,  consegui comprar alguns blocs de foie-gras em uma deli em volta da famosa praça Bellecour -  -  supostamente a maior da Europa??

 

Na verdade, penso que Lyon é uma cidade para se ficar pelo menos uns 3 dias.

Tem muito o que se ver -  entre ruínas da época dos romanos na Gália  (antigo nome da França) , igrejas e alguns dos mais famosos restaurantes na França! 

 

Foi então que tivemos uma pequena 'aventura'...

Nossa guia,  chamava-se Elizabeth e imagino que era francesa.  Ela falava inglês muito bem,  com pouco sotaque - apenas o suficiente para deixar a língua  inglesa mais sensual...:-)) - e  tinha uma voz calma e agradável. 

O dia estava meio nublado e chegou mesmo a chuviscar uma certa hora.

Então subimos até o topo do morro ( de ônibus) onde fica a basílica de Notre -Dame de Fourvière ,  que é um dos símbolos de Lyon.  É muito bonita esta falsa criação bizantina ( já que foi construída no final do século 19...)  , cheia de torres e fendas, mármore e mosaicos.

 

A vista da cidade lá de cima é belíssima e só isso já vale a subida.

 Então entramos com o grupo de velhinhos :-)  - nossos companheiros de viagem no navio-    e como estava chovendo lá fora , a igreja estava mais cheia  do que de costume. 

 

Nossa guia mandou nosso grupo se sentar mais ou menos no meio , já que todos os assentos no fundo da igreja já estavam ocupados por outros guias e seus respectivos grupos.

Ela tinha acabado de nos contar que a igreja havia sido construída 'com o dinheiro do povo...' e estava agora nos falando sobre os mosaicos.

De repente o padre entra e , apesar de não estar tendo qualquer missa naquele momento,  se invoca com o nosso grupo e começa a se dirigir à nossa guia de maneira ríspida , dizendo -lhe que nós não podíamos nos sentar naquele setor da igreja.  Simplesmente interrompeu-a no meio da explicação, assim,  sem a menor cerimônia ou respeito pelo seu trabalho .

Elizabeth primeiro tentou ignorá-lo e continuou narrando a história da igreja,  mas o padre  insistia em interrompê-la, ríspida e grosseiramente.

Mesmo quem não entendesse francês, poderia  notar que estava  lhe 'passando o pito' , tal era o tom agressivo de sua voz.

 

-Vous sortez, madame !    Vous ne pouvez pas rester ici

 

Elizabeth, contudo, continuava tentando  ignorá-lo  e nos falando como se nada tivesse acontecido , mas  já podíamos perceber que começava a ficar perturbada e com dificuldade em se concentrar no que estava nos contando.  

  Por fim ela disse-lhe que não iríamos sair dalí.  ( Afinal estava chovendo lá fora, não havia missa e todos os lugares no fundo da igreja já estavam ocupados  pelos outros turistas ..).

 

Por estas alturas o padre  estava subindo pelos tamancos.    Histérico , ele falava alto e gesticulava freneticamente.  Se fosse mulher , com certeza já teria rasgado o sutiã!

Umas duas pessoas do nosso grupo fez menção de se levantar mas logo recebeu a 'ordem' da guia de ficarem  exatamente onde estavam.  Para completar ela falou bem alto para o grupo todo:

 

-Esta igreja não é dele.  É minha.  Eu paguei por sua construção!   lol

 

 Por fim,  quando o padre viu que não conseguiria intimidá-la  nem nos expulsar dalí,  ao avistar um senhor no meio de nosso grupo de boné (  tenho certeza que  não foi por falta de respeito mas muito provavelmente por ignorância ou distração...) , virou-se para ele e gritou:

 

- E o senhor aí,  tire este chapeu!   Isto aqui é uma igreja e não um museu!!

 

O velhinho americano não entendeu o pito  em francês  .  Então alguem  lhe deu a dica e ele tirou o boné , assim como um cachorrinho que leva uma bronca inesperada e depois fica encolhido , com o rabo entre as pernas.

Inacreditável aquele padre!

 

Eu,  naturalmente gravei a cena em video e tirei foto. 

(Meus 'coleguinhas' de viagem e a figura no fundo...)

 

    Estava me divertindo com tanta baixaria no meio de um lugar supostamente de 'moral e espírito tão elevado...' :-))

 Por sorte  estava meio camuflada, sentada em uma das fileiras mais para trás...

 

Agora,  graças aquele 'fiel servidor de Deus'   , toda vez que nos lembramos de Lyon , a primeira coisa que nos vem a mente é o barraco do padre com nossa guia dentro da famosa basílica de Notre Dame de Fourvière. 

Tanta coisa especial relacionada à Lyon -  as fábricas de seda, a gastronomia, os anfiteatros romanos, a própria basílica com  sua enorme estátua  dourada de Notre Dame , a padroeira da cidade... 

Mas pra nós,  Lyon agora é inevitavelmente 'a cidade da  igreja do barraco '  !  lol

 

Que coisa. 

Realmente , como diria minha velhíssima ex -professora de francês no Rio ,  Mlle . Vasconcelos :  Épouvantable !  ( Era sua expressão preferida...)

 

Enfim,  este foi o resumo do que aconteceu conosco em Beaune e Lyon.

Depois disso continuamos a bordo do Viking ,  seguindo pelo Rhône , em direção ao Mediterrâneo...