Sexta-feira, 30 de Maio de 2008

O piano de Jobim e o violão de Toquinho...

Além de bonitos ,  talentosos! :-))

 

 Há dois shows que assistí na vida e que nunca me esqueci:   Um foi o de Piazolla no Rio há cerca de vinte anos atras.  O outro foi o de Jobim e sua Banda Nova em Lisboa ,  no Mosteiro dos Jerónimos,  em 1992 - ano em que trabalhei na BERLITZ de Portugal.  

 Os ingressos eram  muito caros , para nós professores de línguas ,  mas eu raspei o cofrinho e acabei indo sozinha , depois de tentar convencer , sem sucesso, os colegas de trabalho a me acompanhar. ( Mais de um disse que gostaria , mas que o preço era meio salgado...)

   Após o show,  o  lugar ficou completamente deserto em poucos minutos e lá estava eu ,  altas horas da noite  no meio da escuridão do ponto  de ônibus ,  que não vinha,   e  sem chances de voltar para a cidade!   Por fim surgiu um táxi ,  que acabei 'dividindo' com um 'colega de show'  que tambem se encontrava na mesma situação que eu.  Era um jovem português,  fã de Jobim e que ,  curiosamente,  falava como um carioca.  Me lembro que me disse que  nunca tinha estado no Brasil mas que  'tinha muitos amigos brasileiros...' :-)

Enfim,  minha aventura mais do que valeu a pena.   A experiência foi inesquecível e apenas dois anos depois nosso maestro soberano nos deixou... :-(

 

Bem,  ao menos o Toquinho ainda anda por aí , para nossa alegria !

 

Isso é música brasileira de PRIMEIRA . 

 WAVE - imbatível criação do 'Boy from Ipanema'   e a cara do Rio , nos seus melhores tempos...

 

ENJOY!!    

 

 

sinto-me: inspirada
publicado por Pâmelli às 16:21
link do post | Comentários | favorito
|
Quarta-feira, 28 de Maio de 2008

Expressões divertidas

 

 Algumas expressões no Brasil são bem divertidas.  São coisas tão típicas da cultura  e do povo brasileiro, com o seu jeito meio debochado e irreverente .  Eis algumas das minhas favoritas:

 

1) 'mala'  - o 'mala' ou a 'mala'...- aquela pessoa inútil, incompetente , o  peso morto de um grupo ou família.  Normalmente temos de conviver com ela de alguma maneira.  Não serve pra nada;  não acrescenta nada e frequentemente é um /uma chato/a.

  Ex.  " Olha lá o mala chegando.. "   " Pô,  esse cara é o maior mala!"

Pois é.  Uma mala já é uma coisa bem chata de se carregar.  Necessária ,  mas extremamente inconveniente. 

Há ainda o extremo do 'mala' .  É o ' mala sem alça' !!   ( Can it get any worse than that??  :-))

Ninguem merece um 'mala sem alça ' em sua vida...

 

2)  Um ou uma 'roubada' -   uma coisa, pessoa ou situação perigosa e que certamente mais cedo ou mais tarde vai lhe causar problemas - se é que já não está causando...

Um namorado  que vive constantemente desempregado, faz uso de drogas e é meio galinha ( ver definição logo abaixo) certamente é uma 'roubada' !   Um negócio meio escuso e mal explicado , que supostamente lhe trará 'grandes lucros' em um curto espaço de tempo,  provavelmente é outra  'roubada' ...

  Ex.  "Sai fora cara.  Isso aí é  a maior roubada ! "     " Que roubada!"

 

3) Um/uma pentelho/a  -  uma pessoa ( ou frequentemente uma criança)  insuportável.

A expressão completa e original é ' um pentelho encravado' , ou seja :  um pêlo pubiano  que ficou encravado ( e provavelmente  depois inflamou...)    (  Pode ter coisa pior que isso?? !!)  

  Ex.  " Deixa de ser pentelho, cara !"    " Que menina mais pentelha! "

 

4) Um galinha  ( usado pra mulher tambem , mas eu acho o uso da expressão na forma  masculina mais engraçada...:-)).  É a versão menos sofisticada e glamorosa do D. Juan...:-))

O cara ,  como as galinhas,  vive ciscando em todo lugar...Não pode ver um rabo de saia.

Dá em cima de todo o mundo. 

   Ex.   "Ouvi dizer que ele é o maior galinha..."   "Esse cara é galinha demais..."

 

5) Um traste ou um furada -  dois tipos de homens que nenhuma mulher,  por pior que seja,  merece ter na vida.  Ver post : " O traste e o furada"  com a explicação e descrição completa...:-))

 

6)  Jaburu -   acho meio injusta com o animal,  mas  a expressão é engraçada.  Usado para descrever uma mulher MUITO  feia.  ( Politicamente incorreto??  Bem,  os brasileiros são MUITO politicamente incorretos...)  Ex. " A irmã dele é o maior jaburu..."  " Sai fora , jaburu!"

Suponho que tenha a ver com o andar deselegante e vagaroso do pássaro brasileiro , tão comum na região do Pantanal.  A ave, contudo,  é bem bonita -  ( pelo menos eu acho...)  :  branca , com o pescoço vermelho e  bico preto.  Parece uma espécie de garça.  Tadinha...

 

7)  'Alugar' -  Acho essa ótima!  'Alugar alguem'  significa ficar fazendo o ouvido dela de lixo.  Contando uma estória longa  demais e sem interesse;  se queixando da vida com o outro durante HORAS.  É fazer o outro de psicólogo,  psiquiátra ou terapeuta -  só que sem pagar-lhe os devidos honorários !!

  Ex :  " Fulano me alugou a noite inteira..."    "Ela vive alugando os outros..."

(  Os 'malas' são especialmente bons em 'alugar' as pessoas ..)

 

Existem ainda algumas expressões em inglês que eu acho engraçadíssimas.  Essas são bem típicas da sociedade americana...

 

1)  Loser -  Em uma sociedade tão capitalista quanto a americana,  nada pior do que ser chamado de 'um perdedor' :-)). 

(Já na sociedade machista brasileira, o pior insulto que se pode fazer à um homem é chamá-lo de 'corno'...)

"Loser"  é  o oposto de  'winner' -  outra expressão tambem muito corrente na América e  que representa o sonho de muitos americanos.

 Aliás, Isto me lembra de um 'cartoon ' que vi muitos anos atras.  Achei perfeito como retrato da mentalidade americana. Eis a cena:

 

" Um cliente em um restaurante de classe olha para o seu prato e vê que sua lagosta está com uma das pinças faltando.  Ele se vira para o garçom e diz:

-Garçom.  Esta lagosta só tem um par de pinças.

O garçom responde:

- Pois é senhor.  Imagino que ela deva ter se metido em alguma briga antes de morrer...

Ao que o cliente responde:

-Pois então ,   traga -me  o vencedor!!   ( "Then,  bring me the winner!!)  :-))  "

 

2)  Get a life !  -  Adoro essa :-))  O brasileiro , que é bem mais grosso, vulgar e direto que o americano ,  diria :    "Vai se f..."! 

Já o americano, quando quer mandar alguem se mancar,  parar de perder tempo com uma coisa inútil ou idiota,  tratar de cuidar da vida,  enfim...   Diz   :  "  Get a life" !  ( Vai arrumar uma vida...).  Como se a vida que a pessoa já está levando não valesse nada e fosse uma total perda de tempo. O que normalmente é o caso...

 

 Ok,  por hora é só .  Se lembrar de mais alguma eu volto pra acrescentar...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

sinto-me: divertida
publicado por Pâmelli às 18:19
link do post | Comentários | ver comentários (8) | favorito
|
Terça-feira, 27 de Maio de 2008

Praia , no Texas???

Não sei se é com todo o mundo que viveu a maior parte de sua vida na beira do mar,  mas eu simplesmente TENHO que dar , nem que seja somente 'um pulo de alguns dias...'  na costa, algumas vezes por ano!  

Três meses.  Eis o máximo absoluto que eu posso passar longe do mar;  sem sentir o cheiro de maresia;  a água salgada e  o iodo na pele;  a areia sob meus pés... É isso ou começo  logo a ficar   mal -humorada e implicando com tudo e todos ao meu redor;  desanimada,  sentindo-me  com o aspecto doentio ...Enfim,  triste.

 

A cidade onde moramos na América é agradável,  bastante civilizada,  tem o ar limpo e sem poluição,  bons restaurantes, shoppings e até mesmo uma ópera e balé.  As pessoas são geralmente muito gentis pois não são nada estressadas.  Há trabalho para todos.  Espaço para todos.  Nada de  sentimentos nacionalistas exacerbados ou xenofobia.

  O povo  pode não ser  sofisticado ou  chique aqui ,  mas é feliz e bem resolvido.     Os estrangeiros sentem-se benvindos.   As crianças são respeitosas , não falam alto nem gritam com os pais.  Temos cerca de 300 dias de sol por ano.  Um inverno agradável.  Segurança e pouquíssima violência.  Só falta  realmente a  PRAIA  !!   :-) Mas pelo menos o nosso estado ( o Texas)  tem uma costa e , na pior das hipóteses , podemos dirijir até lá em pouco mais de 3 horas.Ufa!  Que alívio.

 Como voltar ao Brasil  para nós só é opção uma vez por ano e vôos domésticos não são exatamente  'a  minha praia...'  :-)),  - nas viagens  internacionais pelo menos há alguma distração ( filmes, refeições, duty free etc..)  ,  o jeito é dar uma escapulida de vez em quando até a praia mais próxima,  nem que seja para um curto final de semana.

 Ah, e como é bom!  Mesmo que não se trate da Flórida , com suas areias branquíssimas e água límpida,  cor de esmeralda...Mesmo que não seja Búzios,  na Costa do Sol  brasileira - com suas enseadas maravilhosas,  os quiosques servindo água de côco gelada ,  caipirinha e bolinhos de bacalhao; Os passeios de escuna ...

 

Tudo bem ,  o Texas não é famoso por suas praias.  A água do Golfo do México não é lá essas coisas ,  sendo  geralmente de um cinza amarronzado e com  a areia escura.

Mas depois de meses enfurnada no interior de um  estado gigante (  'maior do que a França...' , como o pessoal local adora afirmar...:-))  -   que maravilha poder novamente pôr os pés  na  areia e respirar o ar marinho!! 

 

A maioria dos texanos,  quando resolve dirigir até a costa e aproveitar a praia mais próxima costuma seguir para as cidades de  South Padre ou Port Aransas,  no sul do estado , já quase na fronteira com o México.  A praia lembra muito a de Galveston , mas as cidades são bem diferentes e , na minha opinião, bem menos interessantes.

Sim,  Galveston que até alguns anos atrás era considerada decadente, feia e com uma das piores praias no Golfo do México surpreende muita gente hoje em dia.

 

A verdade é que  a ilha  hoje conseguiu recuperar boa parte do seu antigo glamour.

A cidade teve todo o seu centro histórico ,  da época  'vitoriana'  ou século 19 ,   restaurado.  ( No mês de dezembro existe até mesmo o 'Dickens Festival' ,  em homenagem ao escritor inglês da mesma época  , que atrai milhares de turistas !!  ) 

 Seus prédios públicos são imponentes.  Suas casas,  (algumas delas verdadeiras mansões!)  , charmosas construções em estilo 'bayou' -  a arquitetura típica da vizinha Louisiana e mais comumente associada à cidade de Nova Orleans.  Existe o Museu Marítimo,  o Museu do Trem,  o Museu da Plataforma ( uma antiga  plataforma de exploração de petróleo que hoje abriga o Ocean Star Museum...).

A cozinha local tambem é muito boa  ,  em especial os frutos do mar.  O 'Gaidos' é o melhor   restaurante do gênero  e  data de 1911,  a mesma época do Hotel Galvez  ( o mais antigo e classudo da cidade, lembrando uma mistura de Velho Mundo e 'Belle Époque' , além de possuir  um restaurante impecável servindo o brunch de domingo mais famoso da cidade...).  Os peixes locais  ( salmon, grouper, red snapper...)  são especialmente bons preparados a maneira 'blackened' ,   grelhados em um  molho escuro e picante,  no estilo 'cajun' da Louisiana....  Afinal Nova Orleans fica a pouco mais de 5 horas de Galveston!

 

Em 1900 houve um dos piores desastres naturais dos E.U.  Um furacão monstro que praticamente destruiu  toda a cidade .  Desde então ela foi inteiramente reconstruída  e como prevenção contra futuras tempestades e inundações ,  construíram 'a grande murada' ( o Seawall) ,  de cerca de 4 metros de altura ,  todo ao longo da praia  principal.   Aliás,  hoje o Seawall Boulevard  é a avenida beira-mar de Galveston e é lá que ficam os principais restaurantes e hotéis na  ilha.   Seu  calçadão é largo e longuíssimo , seguindo  por 89 ruas!! 

 O lugar é ótimo  para se andar de bicicleta,  patins ou simplesmente caminhar.

 

No centro histórico da cidade , chamado de Strand,   há ainda vários antiquários e um cinema que mostra um documentário sobre o 'Great Storm'  ( o  mega furacão de 1900)  e o pirata mais famoso da região e um dos primeiros a se instalar na ilha de Galveston em 1817:  Jean Laffite.

Sua estória é tão fascinante quanto  sua personalidade era cativante.

 

Sei que um dia voltarei a morar na beira do mar. Inclusive  no futuro  pretendemos morar parte do ano no Brasil - provavelmente na Costa do Sol. 

Porém, enquanto este dia não chega,  sempre que pudermos  daremos uma escapadela  até Galveston. 

O corpo e a mente  agradecem.

 

 E agora,   algumas fotos -  não dos cowboys, das fazendas e dos cavalos do Texas,  mas  da ilha e cidade de Galveston!

   Praça no Centro Histórico de Galveston

 

   Belas casas em Galveston  , no estilo 'bayou' da vizinha  Louisiana...

 

 

 

  Centro Histórico ( Victorian Galveston) . Passeios à la Charles Dickens...

 

Longo calçadão para se caminhar , andar de bicicleta ou patins na avenida beira-mar

  Os barcos pesqueiros de Galveston.  Peixes frescos nos restaurantes locais ...

 

 Pelicanos descansando e tomando sol  sobre a pedra  (  próximos ao Museu da Plataforma Ocean Star)

  Museu da Plataforma em Galveston  ( situado em uma antiga plataforma ). Videos , maquetes, robôs de ROV, baleeiras e tudo o mais sobre a estória da exploração de petróleo no Texas e no mundo.

 

  O elegante Hotel Galvez, de 1911.  (  Classe e tradição no  melhor brunch de domingo na cidade...)

  A murada ( o Seawall)  de cerca de 4 metros de altura construída   cerca de  1904,  ao longo da avenida beira-mar ( Seawall Boulevard) .  Proteção para a cidade contra futuros furacões e enchentes , desde a tragédia do 'Great Storm' de   1900...

 

sinto-me: bastante relaxada
publicado por Pâmelli às 06:05
link do post | Comentários | favorito
|
Sexta-feira, 23 de Maio de 2008

O Rio que se perdeu

Este é para os amantes da Bossa Nova ,  de Vinícius ,  de  Toquinho e do nosso queridíssimo Tom.

 

"Carta ao Tom" , escrita por Vinícius e Toquinho em '74.

 (  Não foram os maiores 'cantores' do mundo...:-)) , mas que compositores!)

 

  E que saudade daquele Rio que se foi!!

 

 

 

 

" Rua Nascimento Silva 107    ( o prédio ainda existe no mesmo lugar em Ipanema...)

 

   Você ensinando pra Elizeth

 

   As canções de canção do amor demais

 

   Lembra que tempo feliz ,  ai que saudade!

 

   Ipanema era só felicidade

 

  Era como se amor doesse em paz

 

   Nossa famosa garota nem sabia (  a 'garota de Ipanema'! )

 

   A que ponto a cidade turvaria   (  e como!! :-(

 

   Esse rio (  Rio?)  de amor que se perdeu...

 

   Mesmo a tristeza da gente era mais bela

 

   E além disso se via da janela

 

   Um cantinho de céu,  e o Redentor   ( a estátua do Cristo no topo do Corcovado)

   É meu amigo, só resta uma certeza

 

   E preciso acabar com essa tristeza

 

   É preciso inventar de novo o amor

 

( A segunda parte,  muito mais irônica e gozadora ,  mas infelizmente verdadeira,  me parece que foi escrita por Chico Buarque alguns anos  depois ...)

 

   Rua Nascimento Silva 107

 

   Eu saio correndo do pivete

 

   Tentando alcançar o elevator...

 

   Minha janela não passa de um quadrado

 

   A gente só vê cimento armado , onde antes de via o Redentor

 

   É minha gente só resta uma certeza

 

   É preciso acabar com a natureza

 

   É melhor lotear o nosso amor

 

sinto-me: Com saudades do Rio que se foi
publicado por Pâmelli às 16:09
link do post | Comentários | favorito
|
Domingo, 18 de Maio de 2008

Smile - a marca de Chaplin

 

 

 

 

A música é  dele e  foi tema do filme "Modern Times" ,  o último filme mudo de Charlie Chaplin.

A letra foi escrita somente em 1954 por John Turner e Geoffrey Parsons.

O Rod Stewart fez uma versão mais recente,  bem bonita.

Voilà a letra  ,  que eu adoro , e que resolvi traduzir o mais próximo do original quanto possível...

 

" Smile,   though your heart is aching

(Sorria,  mesmo que seu coração esteja doendo)

 

Smile,  even though it's breaking

(Sorria,  mesmo que ele esteja se partindo)

 

 When there are clouds in the sky

(Quando há núvens no céu)

 

 You'll get by

 ( Você vai conseguir sobreviver)

 

 If you smile

( Se você sorrir)

 

Through your fear and sorrow

(Através de seu medo e tristeza)

 

 Smile,  and maybe tomorrow

(Sorria,  e quem sabe amanhã)

 

 You'll see the sun come shining through

( Você verá o sol brilhar atraves das nuvens)

 

 For you

( Apenas pra você)

 

 Light up your face with gladness

(Alegre o seu rosto com uma expressão de prazer)

 

 Hide every trace of sadness

( Esconda todo e qualquer traço de tristeza)

 

 Although a tear,  may be ever so near

( Mesmo que uma lágrima esteja sempre por perto)

 

That's the time

(Este é o momento)

 

You must keep on trying

( Que você deve continuar tentando)

 

Smile,  what's the use of crying?

(Sorria,  de que adianta chorar?)

 

You'll find that life is still worthwhile

(Você vai descobrir que a vida ainda vale a pena)

 

If you just smile"

(Se apenas você sorrir)

 

 

 

 

sinto-me:
tags: , ,
publicado por Pâmelli às 15:54
link do post | Comentários | favorito
|
Quinta-feira, 15 de Maio de 2008

Americanos que estudam português

 

Desde que vim para os E.U. , há cinco anos,  dou aulas de português ( do Brasil) para americanos em mais de um local da cidade.  Tenho alunos no curso informal da universidade ( aberto à população em geral e não apenas aos alunos da universidade...) ,  em um programa para idosos aposentados e , em casa,  para alunos particulares. 

A maioria de meus alunos são americanos - geralmente do tipo 'democrata' ,  quer dizer :  mais liberais ,  menos 'capitalistas' ... Aqueles que não dirigem SUV's ( carros MONSTROS , que engolem litros e mais litros de gasolina por minuto...),  assistem aos filmes de Michael Moore  e , apesar de amarem seu país,  NÃO acham que os E.U. são o único, o maior e o melhor lugar do mundo para se viver.  Seriam , o que poderíamos chamar da ''versão americana do socialista '  - se tal coisa existisse na América...:-))  

 Resumindo:  não são americanos 'típicos' .  Daí o seu interesse em aprender e descobrir ,  entre outras coisas,  uma língua tão sem importância no mundo quanto o português! :-)) ( Pois convenhamos...  Para quem já fala inglês,  seja como sua língua materna ou estrangeira,  o aprendizado de qualquer outra língua no mundo torna-se supérfluo e totalmente desnecessário. A decisão do aprendizado deve-se simplesmente  à  uma curiosidade,  um amor pessoal pelo país, povo ou cultura daquela língua ou ...para  'fazer charme' e ser diferente da maioria das pessoas ... :-)

Todos os meus alunos aqui têm alguma razão específica para quererem aprender português:  uns são casados ou namoram brasileiros e algum dia pretendem visitar o Brasil e conhecer a família de seu/sua companheiro/a ;  alguns têm motivos profissionais para aprender a língua (  a Dell, a maior empresa na cidade ,  tem uma de suas fábricas principais fora dos E.U., em  Porto Alegre , no Brasil...) ;  uns ainda têm um interesse especial pelo Brasil ,  seja porque são missionários,  desejam conhecer o 'Carnival in Rio' ou simplesmente pretendem visitar o país como turistas .

 

Em minhas turmas  há pessoas desde os vinte e poucos anos até idosos de mais de 80.  No curso do "Lifetime Learning" ,  por exemplo,  a mais nova tem 67 e o mais velho 82  !

Há três anos nos divertimos lendo artigos da VEJA,  assistindo à algumas cenas das novelas brasileiras,  aprendendo  letras de alguns  clássicos de Bossa Nova ou simplesmente  discutindo política brasileira e falando mal do Lula!  ( Ah,  minhas aulas preferidas...:-))

Como diz minha aluna Virgínia ( esta , por acaso é  do Panama....),  uma das mais interessadas e divertidas no grupo dos 'meus velhinhos' ( como eu costumo chamá-los...) : 

 

" You give them LIFE!   "  ( Você lhes dá VIDA! ) 

 

E quanto às 'festinhas'  que fazemos no final de cada semestre, heim?  Tudo regado à  muita caipirinha, música e dança!!  Como diz meu marido:  'Se alguem estiver passando na rua naquele momento e ouvir toda aquela algazarra dentro de casa,  JAMAIS  acreditaria que o membro mais novo da turma -  tirando a professora e o marido-  tem  quase 70 anos!  

 

Enfim,  já  no campo dos alunos particulares,  esta semana eu dei a última aula à uma senhora que está de partida para o Rio , já neste final de semana. 

Normalmente ,  apesar da inevitável 'camaradagem' que se estabelece entre o aluno e o professor após algum tempo  tendo aulas juntos,   não costumo me envolver pessoalmente nos assuntos e vida de meus alunos.  Neste caso,  contudo,  abri uma pequena exceção.

É que a situação é a seguinte: 

Minha aluna particular ( vou chamá-la de IG) é americana ( nascida e crescida aqui nos E.U. ). Contudo , pelo seu tipo físico,  certamente  deve ter ascendência mexicana.  Ela tem a pele bem escura,  os cabelos bem lisos e um rosto de feições delicadas, mas bem  hispânico.  Imagino que deva estar beirando os cinquenta anos ( 47? 48?). Ela  tem dois filhos já crescidos , na universidade,   e é bastante matrona de corpo ( não obesa,  apenas gordinha e fora de forma...).  Seu marido acabou de completar cinquenta anos,  é alemão ( bonitão , segundo a foto que ela me mostrou..) e está morando e trabalhando no Rio de Janeiro desde julho do ano passado - sozinho.

O casal morou muitos anos na Alemanha e  no ano passado ele foi transferido para o Rio e apenas agora , nove  meses depois,  ela resolveu se juntar à ele no Brasil...

 

Desde que começamos o programa de aulas , há três meses,  minha aluna , IG,  progrediu bastante  pois além de dedicada aos estudos,  ela já fala alemão e espanhol ,  além do inglês que é sua língua nativa.  Tem portanto jeito para línguas -  bom ouvido, boa retenção , além de ser  inteligente e interessada.

 

Creio que foram vários os fatos que me influenciaram a me 'apegar' um pouco mais ao seu caso.  Primeiro o fato de que ela está indo morar  no Rio e não apenas viajar a passeio.  Segundo o fato de que o marido já está lá há quase um ano. ( Além do mais,  é alemão , assim como meu ex-marido. )  Terceiro,  por alguma razão, ao invés de acompanhá-lo logo que ele foi transferido para o Rio , há quase um ano,   ela preferiu ficar aqui nos E.U. , perto de sua família.

Com o passar das aulas e a medida em que fui descobrindo mais sobre sua 'situação',  cheguei a conclusão de que de início ela não estava muito animada para ir  para o Brasil-  e creio que tambem não teve muito incentivo do marido para se juntar à ele na 'Cidade Maravilhosa'   ( 'Calamitosa',  hoje em dia??)

 

A verdade é que até agora minha intuição não me diz muito boa coisa do tal alemão e meu sexto sentido raramente se engana.  Pequenos 'indícios' aqui e alí;  um comentário inocente de minha aluna sobre o marido ou algo que ele fez ou disse...Uhm......Não sei não.

Minha primeira impressão é de que o homem é um pão duro de marca maior.  ( Aliás,  sendo europeu,  isto é quase uma garantia...) A segunda é que é do tipo de homem que gosta de rebaixar a mulher e fazê-la sentir-se inferior e desprestigiada. (uma coisa que me irrita profundamente e com a qual convivo muito mal , mesmo que não tenha relação direta comigo...)

Digo isto porque logo na primeira aula que lhe dei,  IG me perguntou se eu lhe indicava algum material extra que pudesse usar para complementar as aulas em casa e, quando lhe sugeri dar uma olhada no programa de computador "Rosetta Stone" , que  sempre ouvi dizer ser muito bom...,   sua resposta foi:  " Mas será que não é muito caro...?"

Ora,  seu marido,  pelo que me conste, é um dos diretores de uma companhia de petróleo no Rio de Janeiro!   É certo que deve ter um excelente salário.  Portanto a primeira coisa que pensei foi:  o espertinho deve deixar a pobre coitada à mingua aqui , enquanto que no Rio,  como todo bom gringo ,  deve estar gastando os tubos com a piranhada local...

( Minha aluna é 'dona de casa'  e portanto totalmente financeiramente dependente do marido...)

 

Mas isso não foi NADA  comparado ao que  ela me disse,  outro dia:  

"Meu marido me disse que lá (  no Rio...) ,  quando olharem pra mim  as pessoas vão pensar que sou empregada doméstica..."

O que??!   Que tipo de homem diz  uma coisa destas à própria mulher?  A mãe de seus dois filhos?!   Quase pulei da cadeira de tão indignada!  

 E eu aqui,  há semanas lhe dando aulas, lhe incentivando,  lhe dando  dicas do que fazer e como aproveitar melhor sua estadia  no Brasil  ,   animando-a ( já que sua ida agora é certa e decidida),  ajudando-a a se livrar das inseguranças e preocupações com a aparência ( o peso,  as cicatrizes na barriga por causa de duas cesarianas..etc..).  E o homem me sai com uma dessas!!

 

- De jeito nenhum !  -   disse-lhe .  -  Pra começar,  você nem tem cara de brasileira.  Mais parece mexicana.  Logo vão ver que é estrangeira.  Além do mais,  no Brasil o que importa  não é a aparência  física  mas principalmene  como você se apresenta.  Deve se vestir bem, principalmente à noite, quando fôr ao cinema em um shopping mais badalado ou jantar fora em um restaurante melhor...

 

E deitei a lhe recomendar algumas das melhores ( e mais caras !) lojas da cidade -  assim como salões de beleza, academias de ginástica,  esteticistas , dermatologistas etc..etc...

Até  o nome de duas lojas de trajes de banho mais tradicionais e para mulheres não tão jovens,  mas de griffes  locais famosíssimas eu lhe dei !   :-))

 

-Afinal,  se não quiser usar biquini  na praia  tudo bem.  Mas  então compre um maiô inteiro bem chique e moderno , em uma destas duas lojas. Mas prepare a carteira , porque baratas não são... - completei.

 

Ela concordou com tudo  e disse que vai seguir minhas sugestões à risca.  Disse-lhe tambem que fizesse  logo a assinatura da VEJA ,  ' para saber tudo de bom que acontece na cidade durante a semana.'   Lhe falei sobre o elegante bairro onde ela vai morar,  de frente para o mar.  Do shopping mais chique  e  badalado da cidade,  que fica a poucos metros dalí...  Dos melhores restaurantes, os teatros, os shows e programas culturais que a cidade tem a oferecer.  

 O resultado é que agora ela está bem animada com a viagem iminente.  ( Naturalmente eu não lhe falei sobre a  epidemia de dengue e  a concorrência desleal feminina local pois afinal , acho que ela já recebeu bastante desincentivo do marido !!  Contudo,  não pude deixar de lhe dar  algumas dicas importantes para sua própria segurança...)

 

O alemão ,  por outro lado ,  lhe disse que quer 'me conhecer'  antes de partirem de vez para o Brasil.  ( ele está aqui esta semana...) .  Com certeza deve estar imaginando que RAIO  de professora é essa que,  de repente,  conseguiu animar  sua  mulher a se juntar à ele no Rio  e , ainda por cima , lhe dar um MONTE  de dicas de  ' como ela deve  gastar o  dinheiro DELE  por lá !! :-))

( Ora bolas,   se ele não gastar com a própria mulher,  é certo que vai  acabar gastando com a mulherada local - se é que já não está fazendo isso ...)

 

Enfim,  na sexta  vamos sair para  jantar fora -  eu , meu marido, ela e o alemão. 

Confesso que já estou  mais do que implicada com o tipo, antes mesmo de conhecê-lo.  ( A ultima  do chucrute foi  dizer à ela que ela estava dizendo  a palavra 'EU' errado.  ( E ela tem ótima  pronúncia  e  muito pouco sotaque! )   Pode? ! 

 Disse -lhe que se pronunciava assim:   'Eeuuuuuuuuuuu' ... 

 Pensei comigo:  "  É ,  só se fôr lá com as  nega dele ..."

 

Ok ,  prometo tentar me conter.  Mas é bom ele não tentar ficar botando a mulher pra baixo na minha frente. 

No que depender de mim,  a estadia de IG no Rio vai ser inesquecível.  Afinal ela vai estar morando em um super apartamento  com vista para a  Praia de São Conrado :-)   e já teve todas as dicas culturais,  gastronômicas, de costumes,  lazer e segurança que precisa.

Esse alemão , se está pensando que a mulher  vai ficar trancafiada em casa , dando uma de doméstica enquanto ele cai na gandaia por lá, está  redondamente  enganado...

 

 

 

 

 

 

 

 

sinto-me: a própria vingadora
tags: ,
publicado por Pâmelli às 20:18
link do post | Comentários | favorito
|
Sábado, 10 de Maio de 2008

O mito da beleza da mulher brasileira

 

É meio cansativo,  assim que alguém sabe que sou do Brasil ,  frequentemente  ouvir o mesmo comentário:

 

-Brasil,  onde tem as mulheres mais bonitas...

 

Acho isto uma tremenda injustiça com as européias e americanas  ,  além do que,  que coisa mais besta!  -  ainda  que fosse verdade.  E sinceramente,  penso que este é um assunto bastante subjetivo -  afinal o que é 'bonito' para um , pode não ser para outro,  e vice versa.

 

O  Brasil tem muitas mulheres bonitas, sim.  E tambem tem muitas mulheres feias.  E velhas, e gordas e bagulhentas ...Como em qualquer outro lugar do planeta.

O Brasil tem antes de tudo ,  MUITAS mulheres! De todos os tipos físicos,  cores, jeitos, origens..., e talvez isto seja o seu maior mérito.

Morenas claras,  escuras, de cabelos lisos , crespos ou cacheados, loiras, de olhos azuis ou verdes, ruivas, branquinhas de pele, altas, mignon , delicadas, malhadas, com tipo índio,  aparência européia, negras, mulatas, latinas ou nisseis....A lista é infindável  e há para todos os gostos.   É só uma questão de se deslocar para o estado ou região de sua preferência:  Sul =  tipos europeus  devido à imigração alemã e italiana .  Norte= tipos indígenas , caboclas etc...   Nordeste e Sudeste = morenas de todos os tipos.   São Paulo = descendentes de italianos e japoneses.    Bahia= enorme população negra ou mulata .   E sim,  TODAS  são brasileiras.

 Portanto no aspecto da diversidade o Brasil certamente é um lugar interessante .  Nenhum homem lá jamais poderá se queixar dizendo: 

"Poxa,  aqui , com a exceção das estrangeiras,  todas têm a mesma cara..."  :-))

 

Já quanto à famosa 'beleza' da mulher brasileira... Acho que existe um grande exagero nisso  tudo e sobretudo uma grande 'ingenuidade'  das pessoas ( homens e mulheres  estrangeiros , pois escuto o tal comentário sobre a famosa 'beleza das mulheres brasileiras...'  tanto de uns quanto de outras...) que realmente acreditam nisso.

 

A verdade  mesmo é que as mulheres brasileiras se CUIDAM horrores!! Muito mais do que qualquer americana ou européia mediana.

Tirando aquelas que são realmente muito pobres e têm uma vida miserável de favela,  a grande maioria das mulheres no Brasil ( mesmo as de classe média baixa)  investem uma ENORME  parte do seu tempo, energia e dinheiro  em  melhorar a própria aparência.

Qualquer moça ou senhora de idade , classe média,  frequenta os salões de beleza pelo menos uma vez por semana (  no Brasil se faz pé e mão com mais frequência do que se toma banho na França! )  .  Hidratação de cabelo e pele é uma coisa frequente e  comum    entre as brasileiras (  e não apenas em ocasiões especiais como casamentos, batizados , Réveillon etc..); escova ( secar os cabelos de forma que fiquem lisos e sedosos...)  ,  pelo menos uma vez por semana...normalíssimo!   Ginástica - quase toda mulher brasileira classe média faz algum tipo.    Quanto ao 'serviço doméstico'  -uma das coisas que mais estraga a aparência e o bom humor de uma mulher...-  ,   tirando as próprias 'domésticas',  a maioria das mulheres no Brasil NÃO  faz . (  Pelo menos não o  'grosso' de cozinhar todo dia, lavar janelas  ( 'jamais de la vie!!' )  , limpar a casa , lavar e passar roupas etc..., pois qualquer pessoa de situação mediana  pode se dar ao luxo de ter ao menos uma diarista uma vez por semana, já que este tipo de serviço,  no Brasil,  ainda é bastante comum  e muito mais  acessível  do que nos países de Primeiro Mundo.  )

Alimentação :  geralmente as brasileiras classe média  ( e notem que estou apenas me referindo às brasileiras 'comuns'  ;  não às milionárias ou celebridades...)  se preocupam com o que comem;  muitas controlam o peso,  o colesterol e  evitam frituras e chocolates  para não estragar a  pele.... 

Sol:  mesmo nas cidades onde não têm praia,  as pessoas costumam se bronzear nos clubes, nos lagos e lagoas ...( sempre com o devido cuidado com a pele, usando hidratantes, filtros etc...) .  Ora,  muita gente há de concordar que uma moça ou mesmo uma senhora 'dourada'  e colorida,   será  sempre mais atraente  e jovial do que uma pálida  e desbotada , com as veinhas do corpo todas a mostra...

 Roupas:  mesmo as brasileiras mais pobres costumam  usar roupas coloridas e sensuais (  muitas vezes confundindo sensualidade com vulgaridade , mas tudo bem,  para muitos homens uma coisa é sinônimo da outra...) ;  se enfeitam com brincos e pulseiras e raríssimamente saem às ruas de óculos ( a menos que sejam de sol...)

Sexo:  sim,  as mulheres brasileiras são famosas por serem 'calientes' e chegadas à um bom 'chamego' , e o que dizem os estudos à esse respeito?  Sexo é bom para a aparência:   ajuda a emagrecer, cria endorfina  no corpo ,  melhora a textura da pele, o brilho dos cabelos - sem falar no humor!   ( Outro dia eu estava lendo  um artigo que dizia que até beijar  na boca é bom para modelar melhor os lábios...:-)))

Notem que até agora ainda não falei nada sobre o segundo melhor amigo das brasileiras   ( depois do cabeleireiro...) :  o dermatologista!  E não,  não são apenas as ricas e dondocas que frequentam seus consultórios !  Manchas de acne,   de sol,  senis, celulite, estrias... Para tudo há solução. Ah,  e  não nos esqueçamos dos peelings , do   laser, do botox ,  da lipo  e do silicone!  Está cada vez mais comum hoje em dia nos grandes centros urbanos brasileiros, mulheres cada vez mais jovens fazerem  uso destes  'super aliados' .   Inclusive em muitos casos o seguro saúde paga a intervenção  e quando não é o caso,  um  'pequeno  empréstimo'  ou até a venda de um imóvel da família  é opção seriamente  considerada . 

Uma conhecida minha ,  alguns anos atras,  vendeu seu único apartamento de quarto e sala  no Rio para pagar uma operação de nariz e outra de prótese de silicone...  Agora me digam,  quantas européias ou americanas fariam uma coisa destas?   Aliás,  na Europa a maioria das mulheres nem se dá ao trabalho de fazer qualquer tipo de plástica.  Nem mesmo as atrizes de cinema!   Já nos E.U.,  a prática só é mesmo comum entre  celebridades ou  entre dondocas com MUITO dinheiro sobrando no banco.

Enquanto  nos países de Primeiro Mundo  a maioria das mulheres  envelhece antes do tempo  ao trabalharem horário integral fora de casa,  terem filhos e depois ainda terem de cuidar da casa ...( já que a maioria não tem empregada fixa ou mesmo diaristas...),  a brasileira, mesmo quando trabalha fora o dia todo, como não faz serviço doméstico,  sempre arruma tempo para ir ao cabeleireiro,  à ginástica,  à esteticista...   Muitas ,  quando têm um marido que ganha o suficiente para sustentar a casa , trabalham apenas meio horário ou nem mesmo isso (  coisa praticamente inconcebível no Primeiro Mundo onde, uma mulher que não trabalha,  mesmo sendo bem de vida,  é muito mal vista...)  ,  o que mais uma vez,  lhes deixa bastante tempo livre para 'se cuidar' . 

 O fato é que , quando não está no trabalho ou na faculdade ,  a mulher brasileira está invariavelmente OU no cabeleireiro,  OU na  academia de ginástica,  OU no shopping fazendo compras de roupas,  OU na praia se bronzeando,  OU transando, OU fazendo uma visita ao dermatologista ,  ao cirurgião plástico , à sua  depiladora ou  esteticista!  Tudo coisas,  convenhamos,  extremamente benéficas para a própria aparência física...

  Todo o dia ,  toda a hora , estão sempre se embelezando de uma maneira ou de outra.   Tudo para agradarem aos machos,  que são a minoria  na sociedade ( principalmente nos grandes centros urbanos)  e  por isso mesmo a cada dia que passa ficam mais exigentes  e arrogantes. ( Ver post  : " O insuportável ego do homem brasileiro" )

 

Tudo isso seria muito bom se  fosse uma coisa pessoal e principalmente OPCIONAL.  Mas na sociedade brasileira  a obsessão com a beleza e a juventude virou uma doença nacional ,  uma espécie de Peste Bubônica que pega em todo o mundo , quer você queira quer não , já que e a pressão social que as mulheres lá sofrem para ser belas, jovens, sexy, magras etc..é terrível e implacável.    Mesmo para quem não é modelo.  Mesmo para quem não é atriz ou celebridade.  Quem não entra na onda do botox, da tintura, da boa forma  e do silicone acaba correndo o risco de perder ( ou sequer conseguir arranjar ! ) o emprego, o marido, o namorado...até mesmo os amigos! 

Quantas vezes eu já não ouvi comentários  entre  'amigas' , do tipo:  " Fulana está tão envelhecida.  Devia fazer um lifting ou aplicação de botox..."   Ou:  " Sicrana está gorda demais.  Por que não faz uma dieta? "   Ou ainda: " Beltrana é uma moça tão inteligente e bem de vida .  Não sei porque não põe um aparelho  nos dentes horríveis  e pinta  aqueles cabelos brancos que a envelhecem tanto! "

Outro dia uma conhecida minha aqui nos E.U.  ( uma imigrante ilegal que trabalha como uma condenada fazendo faxinas em casas de gente rica....) me disse que uma de suas filhas  , de apenas vinte anos e que mora em S.P. ,  vinha lhe infernizando ultimamente ,  pedindo que lhe mandasse dinheiro para colocar silicone nos seios.    

" A coitadinha está tão infeliz e complexada..."  

O que ela esqueceu de acrescentar é que " a maioria de suas amigas já fizeram isso..."  

Humph

 Só no Brasil se vê moças de vinte e poucos anos já colocando botox no rosto e senhoras de mais de oitenta  ainda pintando o cabelo  de preto. 

 Para mim tudo isso é bastante triste e deprimente.  

Cuidar da aparência sempre foi uma coisa boa e positiva .  Na medida certa  é  inclusive sinal  de otimismo  e uma  auto-estima saudável.  Contudo quando  vira obsessão,   denota insegurança,  pobreza de espírito e futilidade ao extremo.  É  um sintoma de que há algo de errado naquela sociedade.

 

Muitos  estrangeiros podem continuar pensando que a  'beleza da mulher brasileira'   é um privilégio com que muitas mulheres foram 'abençoadas'  pela natureza .  Uma coisa inerente  ao povo  no Brasil. 

Eu,  que conheço a coisa de perto ,  mesmo estando longe  há anos,  sei que a estória  é  bem  diferente e que o tempo e  o dinheiro que se investe  para gozar da tal  fama,  é considerável.  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

sinto-me: enervada com tanta ingenuidade
publicado por Pâmelli às 19:28
link do post | Comentários | ver comentários (32) | favorito
|
Quarta-feira, 7 de Maio de 2008

O universo das línguas

 

Aprender uma língua estrangeira é sempre uma experiência enriquecedora.  Pode tambem ser divertido, estimulante, além de nos proporcionar a ocasião de descobrir novas culturas,  novos horizontes, novas mentalidades e costumes.  É tambem uma forma de nos reinventarmos; de 'soltarmos' um outro lado nosso e de nossa personalidade.

A pessoa que domina mais de um idioma sabe que a pessoa que ela é ao falar 'inglês' , por exemplo,  não é a mesma que quando fala sua língua nativa ou ainda uma terceira língua , tal como o francês ou o alemão. Isto porque quando uma pessoa chega a dominar um idioma,  isto significa que ela já incorporou tambem algumas características do povo , do país e da cultura que FALA aquela língua!  Em outras palavras,  alguém que fala francês fluentemente,  com certeza já adquiriu , ao longo do seu aprendizado daquele idioma,  uma certa 'personalidade francesa' : o que significa que ela provavelmente desenvolveu   - se é que já não tinha...- um certo gosto e conhecimento sobre arte, gastronomia, história e talvez,  vinhos...

  Uma  pessoa que domina a língua inglesa -  seja no caso do inglês americano ou do inglês britânico...- ,  com certeza já adquiriu uma certa polidez e amabilidade na sua maneira de se expressar ( coisa bem menos comum na maioria das culturas latinas, que costumam ser mais grosseiras e diretas...).   Na Inglaterra , por exemplo,  até as placas e avisos de interdições em lugares  públicos são educadas;  não dizem simplesmente " Don't Smoke"   ( Não fume)  ou 'Forbidden to smoke'  ( Proibido fumar)...  -  palavra aliás, adorada dos alemães ( Verboten!) -  mas geralmente dizem:  " PLEASE ,  do not smoke in here..."  ou  " Thank you for not smoking".

  

Me lembro certa vez quando tomei um ônibus ( um daqueles double deckers vermelhinhos e tão tipicamente britânicos  :-))  em Londres e ,  a um certo momento,  ao virar-me para a senhora ao meu lado ,  comecei com ..."Excuse-me..."  ( queria lhe pedir para me avisar quando chegasse ao ponto onde pretendia descer...)  e ela,  antes mesmo de me deixar terminar a frase,  disse:  " Yes,  dear? "  (  Pois não , querida...).

Ah,  como são deliciosamente polidos os ingleses! 

 

Ainda outra expressão tão tipicamente inglesa é o 'Do you mind '... ( Você se incomoda...?)

Adoro isso!

Antes de abrirem ou fecharem uma janela em um ônibus , por exemplo,  o costume entre os anglo-saxões  é dizer : "Do you mind if... ? "   

 ( E o brasileiro que vai logo esticando o braço diante do seu nariz e escancara a janela com o vento direto em cima de você ,  sem dizer NADA  -  muito menos perguntar se isto vai lhe incomodar!!)

Os ingleses ou americanos,   quando se engasgam ou   pigarreiam  no meio de uma frase , imediatamente dizem   'Excuse-me" - que na verdade é um pedido de desculpas e não de licença.

Isto me lembra de um episódio que uma amiga certa vez me contou. ( a mesma que estava no carro comigo no Rio aquela vez que eu saltei no meio da rua diante de uma ameaça de assalto ...:-))   -Ver post sobre o "Rio , ou a cidade do absurdo..."

Durante uma visita que fez à Londres,  um dia quando se encontrava sozinha em uma estação de metrô,  meio perdida ,  resolveu parar diante de um mapa da cidade  ( que se encontrava na plataforma....) a fim de se orientar. 

 

-De repente , estou eu lá, parada,  concentrada olhando aquele mapa,  com a testa meio franzida..., quando ouço uma voz  masculina me perguntar:  "Lady,  are you lost?" ( A senhora está perdida?) Imagina a minha surpresa ao me virar e topar com um londrino super elegante,  de terno e gravata , por debaixo do seu trench coat  ' à la Humphrey Bogart...'   E ainda por cima me  chamando de 'lady'  e querendo saber se eu estava perdida! 

 

Depois  ela ainda completou:

 

- E aqui no Brasil, heim?  Já posso bem imaginar o que teria escutado. 

"E aí , gostosa,  tá precisando de ajuda?  Tesão!   "  

 

Isto,  se alguém não lhe afanasse a carteira primeiro...

 

 Mas voltando ao assunto das línguas...Me lembro quando ainda morava no Rio e dava aulas de francês e inglês para brasileiros.

Certo dia,  um aluno particular que estudava as duas línguas comigo já há algum tempo ,  me disse:

 

-Você é muito mais charmosa quando dá aulas de francês do que de inglês...

 

Não era uma cantada mas apenas a constatação de um fato.  Afinal,  a maioria das pessoas concordaria que a língua francesa é de fato muito mais charmosa, feminina, sexy e romântica do que a inglesa. Mesmo durante uma aula!!

 

Já o oposto tambem pode ocorrer.

Me lembro logo que cheguei à Alemanha com meu primeiro marido,  que era alemão e com quem eu só falava inglês... Certa vez ,  (  pouco tempo após ter chegado em Berlim,  e  tambem no metrô ...) ,  eu  percebi um homem se dirigindo à uma senhora já  de idade ,  em um  tom muito agressivo , ao mesmo tempo que  gesticulava bastante.  

 Pensei:

"Nossa,  coitada.  O que pode a velhinha ter feito de tão grave para deixar esse homem tão zangado...?"

Como não falava alemão,  eu não podia entender nada do que ele lhe dizia mas estava claro  para mim que ele  estava  lhe 'passando o  maior pito'  .

Então de repente ouvi quando a senhora lhe sorriu e disse uma das poucas  frases  que eu  então conhecia na língua de Goethe:

 

-Danke schön.  Auf Wiedersehen!    ( Muito obrigada e até logo...)

 

Imagine!  Aquele homem,  que me pareceu tão agressivo e zangado ,  estava simplesmente lhe explicando como chegar à algum lugar!! Tal é a 'delicadeza'  e 'musicalidade'  da língua alemã... :-)))

 Enfim,  acho tudo isto bastante interessante e divertido.

 

Finalmente , com o português do Brasil ( que os portugueses gostam de chamar de 'brasileiro' ...) e o português original  de Portugal é a mesma coisa. 

Um é mais sério,  mais 'clássico' e formal.  Assim como os europeus...

O outro é mais leve,  mais bagunçado ,  mais musical e divertido.  (  Como os brasileiros...)  Peca pela gramática , mas  muitos concordam que é gostoso de se ouvir.

 Pessoalmente penso que os dois têm os seus atrativos e vantagens - além de refletir a cultura,   a história e influência  na língua sofrida por  cada país.

No  Brasil , por exemplo , existe a forte influência africana, italiana , indígena etc. no idioma . ( Nós não dizemos ' fruto da paixão'  ou 'ananas'  e sim 'maracujá'  e 'abacaxi'  - indígena! - .  Não dizemos  'adeus' tampouco , e sim , 'Tchau'  ! ( do italiano , Ciao...)

Já  em Portugal a influência francesa na língua  é bem mais clara  , como em palavras como ' rez do chão'  ,  ' verniz  de unhas '  e 'autocarro '   (  rez de chaussée,  vernis à ongles e autocar , em francês...) , entre tantas outras ,  o que no Brasil chamamos de ' andar térreo' , esmalte de unhas e ônibus... 

 

No final das contas,  tudo é língua,  é cultura,  é vida.   E tudo é tambem uma questão de gosto pessoal  pois sempre haverá pessoas que acharão  o inglês britânico mais bonito que o americano ou vice versa;  o francês quebequense menos musical e charmoso do que o francês original;  o alemão austríaco ainda mais feio que o alemão da Alemanha e o  falado na Suíça alemã  praticamente ininteligível!  Tudo vai depender do lugar onde se  nasceu e onde  se aprendeu a língua,  assim como   de sua experiência de vida e mentalidade.

 

Por que algumas pessoas preferem peixe à carne?  Por que algumas não gostam nem de uma coisa nem de outra?   Quem está certo ou errado?  Tudo depende de com quem  você esteja falando.  Um gaúcho com certeza vai dizer que uma pessoa que não gosta de churrasco só pode ser doida  ou doente;  já um vegetariano de carteirinha , vai dizer que quem come carne certamente acabará  doente algum dia!!  

A verdade é que   a única coisa certa,  é que  VOCÊ É A LÍNGUA QUE FALA . ( Pelo menos no momento em que a  esteja falando...:-)) 

 Por isso talvez não seja má idéia  aprender  a dominar  mais de um idioma.

 Nem que seja somente para não cair na rotina...

 

 

 

 

sinto-me: divertida
publicado por Pâmelli às 20:51
link do post | Comentários | favorito
|
Sexta-feira, 2 de Maio de 2008

A paixão por Carmem e o epicurismo

 

Este mês foi inaugurado o novo teatro de performing arts na cidade onde moramos.

Não estamos em Nova Iorque ou São Francisco , mas ainda assim,  nossa cidade ( que possui mais de um milhão de habitantes...) tem uma vida cultural bastante  razoável. 

Existem bons restaurantes,  a cidade tem o seu  próprio balé  e teatro de ópera... -  sem falar que , volta e meia , recebemos uma  'troupe'  encenando algum musical de sucesso da Broadway !

 Quanto ao novo teatro,  para nós  a mudança  de endereço  não poderia ter sido melhor , já que o  local agora   fica a apenas  uns 5 minutos lá de casa,  bem no centro.

Resolveram estrear com a ópera de Bizet,  "Carmem"  e,  é claro que nós não poderíamos deixar de ir.

 

Na verdade  sempre  gostei  e entendi muito mais de balé do que de ópera.  Afinal,  dos seis aos quinze anos estudei  ( seriamente !)  com uma professora russa  em uma academia de dança  no Rio .(Sua família havia fugido da União Soviética logo após a Revolução de 1917...)    Houve mesmo uma época que achei que seguiria a carreira de bailarina ..:-).

 É claro que isto foi  a SÉCULOS atrás,   mas   o fato é que meu interesse e amor pela arte da dança persistiu até os dias de hoje.

 A verdade é que  concluí que era MUITO  melhor ser espectadora do que estrela  ( ou aspirante à isso..). 

 Toda  aquela dedicação e sacrifício!  ( Deus me livre...:-))    Os treinamentos diários.  As dietas rigorosas.  Sem falar  na competição ferrenha entre as dançarinas!  Eca.  Não,  muito obrigada.

Pensei:  Tem coisa melhor do que ser simplesmente espectadora?  Poder me arrumar e me emperiquitar como quiser ,  chegar ao teatro poucos minutos antes do espetáculo,  tomar uma taça de vinho  ( sem culpa!) antes de sentar-me na platéia,   ler o programa com o resumo  da estória,  tomar OUTRA  taça de vinho (  novamente sem culpa...)  durante o intervalo e simplesmente   apreciar o espetáculo sem compromisso com  nada ou ninguem ?  Depois comentar  com meu acompanhante sobre a 'ponta',  a 'abertura' ou a  'precisão' da bailarina e por fim ,  satisfeita ( ou meio decepcionada, dependendo do caso...)  calmamente   deixar o teatro e voltar para  casa!  (Quando isto acontece no Rio,  melhor ainda , pois podemos sair para  jantar DEPOIS do show , já que lá   ( ao contrário da maioria das cidades européias e americanas...) os restaurantes ficam abertos até as  ' altas horas da madrugada! ' :-))

Ah, que maravilha,  poder  comer um belo filé  au poivre ,  um risotto de camarão  ou  um fettucini ao molho de roquefort,  sem a MENOR  preocupação com o próprio  peso!! 

Realmente não há nada  melhor do que o  desfrute de um prazer sem culpa...

 

Mas voltando à Carmem...

Eu sempre adorei a música de Bizet.  Há vinte anos atrás assisti à uma  inesquecível performance de Carmen ( a ópera , não o balé...) no Teatro Municipal do Rio.  Nunca me esqueci do nome da cantora lírica americana no papel da sensual cigana de Sevilha:   Isola Jones. 

Quanta  paixão,  insolência  e sensualidade!  Que presença de palco!  Me senti tão enfeitiçada  pela bohéminienne quanto o próprio  D. José...:-)

 Foi mais ou menos naquela época que tivemos de ler o livro  'Carmen' ,  de Mérimée  - justamente a estória que inspirou Bizet em sua ópera.  Estava cursando o programa superior de francês da Aliança Francesa no Rio :  o Nancy.

Ah,  me lembro tão bem das análises e comentários que fazíamos em classe sobre a obra!  Ninguem ,  contudo,  além de mim,  parecia ter a menor compaixão por D. José.

" Um chato!  -  diziam minhas colegas.  "  Um machão,  obcecado com a coitada!  E ainda por cima ,  acabar por esfaqueá-la no final!!"

Mas eu tinha pena dele.  Sofria com a sua angústia e aquela paixão enlouquecida pela jovem cigana insensível.  Pobre D. José...

 

Hoje,  vinte anos depois ,  fui novamente ver o mesmo espetáculo, desta vez aqui,  nos E.U.

O teatro está  muito bonito.  O cenário foi  igualmente de primeira.  A música de Bizet maravilhosa , como sempre. 

Antes do show tivemos uma pequena palestra e eu fiquei sabendo pela primeira vez,  que Bizet JAMAIS botou o pé na Espanha em toda sua vida!!

Como é possível que um francês ,  que nunca esteve na Espanha,   possa ter escrito aquela música ??  Pode  existir na Terra algo mais 'espanhol' ,  mais  'sevilhano'  e ' ibérico' ...Que traduza melhor a alma do sul da  Espanha do que a música de Carmem ?!!  ( ainda que a letra da ópera seja em francês...)

Ah, mas ao contrário da performance que tinha visto no Rio com Isola Jones,  a Carmem que vi no teatro aqui não me causou a menor emoção. 

Apesar de  possuir um belo rosto e a cabeleira farta ( o que sempre ajuda ao interpretar Camem...) , assim como uma voz afinada e trabalhada,  a mulher me deixou completamente gelada!

Não havia um pingo da mais remota sensualidade nela.  Os movimentos dos braços eram feios e sem feminilidade ,  o andar mondrongo.  Mais parecia um desses pivetes de rua ,  chupando chiclete e dançando break.... Só faltava a touquinha de meia na cabeça! 

Então pensei que  a verdadeira Carmem de Bizet deveria ser interpretada ,  de preferência ,  por uma mulher latina.  Uma francesa,  uma espanhola ou portuguesa....Quem sabe até uma brasileira (  se bem que não devem haver muitas brasileiras por aí como cantoras líricas...Triste.  ) . 

 Não.  A sensualidade não é a marca registrada dos anglo-saxões e, apesar de que Marilyn Monroe era americana,  penso que ela jamais poderia ter interpretado Carmem.

Isola Jones foi uma exceção.  Talvez porque fosse uma cantora mulata  e cujo sangue africano lhe tivesse dado um 'tempero' extra...  Ou talvez  simplesmente eu fosse jovem demais e tenha visto a coisa com outros olhos...Quem sabe?

 De qualquer forma,  quanto ao espetáculo aqui na semana passado, sempre valeu a pena. Afinal  pudemos conhecer a nova 'Opera House ' da cidade ,  tirar um vestido ou blazer  do armário que nem sempre temos a ocasião de usar,  aprender algo novo sobre Bizet e  novamente ,  ouvir sua música divina.

De quebra,  eu pude mais uma vez ,  entre um ato e outro , tomar minha taça de vinho TOTALMENTE   sem culpa , e me dizer :    Que bom que eu  desisti de ser  bailarina!! 

 

 

 

 

 

 

sinto-me: satisfeita
tags: ,
publicado por Pâmelli às 16:37
link do post | Comentários | favorito
|

.Mais sobre mim

. Meu Livro

COPADRAMA

- A Brazilian Tragicomedy

(um romance em inglês de I. Pamelli M.)

. Comprar na AMAZON.com

.Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Romance para este inverno...

. Visita ao maior Santuário...

. Dica de leitura para este...

. Leitura de verão: Três ro...

. Copadrama -Uma tragicoméd...

. De volta , mas nem tanto....

. Loucura, desgraça e um sh...

. Sorria, você está na Flór...

. De novo rumo à Flórida

. Safari Africano, Texas st...

.arquivos

. Janeiro 2018

. Novembro 2017

. Junho 2017

. Abril 2016

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.flag counter

free counters

.subscrever feeds